Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   24/maio/2019     
artigos

A mídia despudorada e o lamentável silêncio do coronel Marcos

10/03/2019 16:50:18
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

MORTE DA SERENIDADE

Passei o período de carnaval refletindo sobre o momento político e também sobre o papel da mídia no acanalhamento dessa atividade e do direito à informação e opinião, que deveria ser a preocupação principal de quem exerce nos tempos atuais a função do jornalismo. É uma pena retomar a coluna com a triste conclusão de que o jornalismo de hoje (inclusive na chamada grande imprensa) não é feito com um mínimo de elevação, com um mínimo de reflexão cívica ou serenidade.

 

IRRACIONALIDADE

Por aquilo visto ou ouvido na televisão e lido em jornais, sites noticiosos ou blogs opinativos, sou levado constatar que não estamos numa democracia civilizada. Não há como negar: o objetivo maior dessa mídia é fazer o linchamento de homens públicos escolhidos pela sociedade através do voto livre, principalmente quando se trata de alguém que rompeu o paradigma da esquerda numa comunicação direta com o povo, Elegendo-se sem a maquiagem das campanhas milionárias capitaneadas por marqueteiros sem nenhum compromisso com a ética e os valores do povo brasileiro. Uma ação cercada de irracionalidade.

 

DESPUDORADOS

É o que acontece agora em relação ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Essa mídia praticada por militantes despudorados espera como resultado criar um ambiente propício para desequilibrar soluções institucionais propostas por Bolsonaro fundamentais para tirar o país do abismo onde foi jogado por longos anos da roubalheira praticada pela esquerda, seus paladinos e seus porta-vozes. Esses despudorados arautos da militância esquerdista não agem por agir, como interpretam alguns inocentes úteis.

 

SODOMA E GOMORRA

Eles aproveitam casos isolados, como a postagem colocada nas redes sociais por Bolsonaro, mostrando a decadência ética e moral crescente público marmanjos davam vazão a atos libidinosos no carnaval para se escandalizar não com os praticantes dos costumes responsáveis pela destruição de Sodoma e Gomorra. Preferiram estimular o linchamento de quem teve a hombridade de mostrar como a coisa está se degringolando e poderá levar o país para uma tragédia social se essas práticas afrontosas não forem contidas.

 

DATAS

Para quem pretende chegar a Universidade usando o INEP é bom anotar as datas do próximo Exame Nacional do Ensino Médio desse ano. As inscrições estarão abertas entre 6 e 17 de maio. As provas do INEP serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro. Há tempo suficiente para um bom preparo dos candidatos.

 

PERTINENTE

O ótimo jornalista Edson Lustosa é um arguto observador da realidade política rondoniense. É dele a pertinente pergunta lançada na Internet no final da semana: “O governo de Marcos Rocha começou?”. A resposta não poderia ser outra: “Se começou, ninguém sabe e ninguém viu!”.

 

PAREI

Aposentado após mais de 45 anos no exercício do jornalismo parei de ler os jornalões do passado, de ver com frequência as maiores redes de TV e até de navegar por uma quantidade imensa de sites famosos que foram relevantes em anos recentes. Frequento pouco as mídias sociais como o Face, o Instagram e o Tweeter.

Sou do tempo em que o jornalismo era executado com muita proficiência. Lamentavelmente a mídia como é apresentada especialmente em canais de TV (como a Globonews, só para exemplificar) é claramente tendenciosa e voltada para o mal.

 

JORNALISMO FRAJOLA

O pior é que as direções dos órgãos de imprensa de hoje (e isso vale para a maioria dos sites) são incapazes de obstaculizar os jornalistas militantes e comprometidos com aquilo que batizaram de “corretamente político” que, como se sabe, são dogmas e mantras inventados pela esquerda interessada em destruir bons conceitos da verdadeira democracia e da família.

 

EDITAL

Uma boa fonte da prefeitura de Porto Velho contou à coluna que o edital de licitação para os serviços de transporte coletivo da capital deverá ser apresentado pelo prefeito Hildon Chaves nesse mês. Com os ajustes feitos pelo chefe do Executivo finalmente a porcaria do “SIM” inventado pelo antecessor de Hildon com a desculpa da “emergencialidade” deverá finalmente acabar. Com a licitação aberta o serviço deve ser entregue a empresários de notória especialização em transporte público com capacidade de investimento em melhorias das frotas e do serviço.

 

CONVENÇÕES

Outro bom informe do executivo municipal de Porto Velho. Com apoio de integrantes da bancada de deputados de Rondônia há uma intensa movimentação junto ao Ministério do Turismo de recursos destinados ao projeto do necessário Centro de Convenções rondoniense, um dos compromissos de campanha de Hildon Chaves, fundamental para alavancar os negócios do turismo na capital rondoniense.

 

VEXAME

Vai ser difícil tirar o Brasil da sua posição de terceiro mundo. Essa notícia de que ocupamos a quarta colocação no ranking dos maiores produtores de lixo no mundo é vexatória. O pior é que só reciclamos 1,29% do lixo produzido!

 

RAZOÁVEL

A Assembléia Legislativa de Rondônia, agora com a gestão do deputado Laerte Gomes, poderá sofrer uma mudança na qualidade de seus servidores. Na gestão anterior de responsabilidade do ex-deputado Maurão de Carvalho quando o grande peso das indicações políticas é que dava o tom da gestão, quase 60% dos cargos foram entregues a comissionados. Como não se obedeciam a níveis razoáveis de aspones e comissionados o contribuinte pagava uma folha inchada e cheia de privilégios dados aos escolhidos por critérios políticos.

Agora Laerte Gomes já se comprometeu publicamente a chamar aprovados no concurso público. Laerte Gomes vai precisar de coragem para cortar despesas, principalmente reduzindo a cota parlamentar em relação ao número de servidores no gabinete e em suas bases eleitorais.

 

PARA PENSAR

Com mais dois anos daquele desastre que foi o governo petista da Dilma o Brasil de hoje seria uma Venezuela. Agora em relação à Rondônia, espera-se que o coronel eleito na onda do bolsonarismo não mantenha o freio de mão puxado impedindo o desenvolvimento do estado. Até agora nada se sabe sobre como Marcos Rocha vai agir para promover os investimentos e gerar os empregos necessários aos rondonienses. Tomara que ele explique alguma coisa.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: