Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   25/novembro/2017     
artigos

O prefeito não dá murro em ponta de faca

30/09/2017 10:26:27
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

Dizem que ofendo as pessoas. É um erro. Trato as pessoas como adultas. Critico-as. É tão incomum isso na nossa imprensa que as pessoas acham que é ofensa. Crítica não é raiva. É crítica. Às vezes estúpida. O leitor que julgue. Acho que quem ofende os outros é o jornalismo em cima do muro, que não quer contestar coisa alguma. PAULO FRANCIS (1930/1997), jornalista, crítico de teatro e escritor brasileiro. Trabalhou em vários jornais e na televisão.

 

DESPEDIDA

Com a coluna desse sábado (30), estamos nos despedindo daqueles que estavam acostumados a seguir Em Linhas Gerais na edição impressa do Alto Madeira. Difícil explicar como isso é tocante para os velhos jornalistas, como é o nosso caso. É impossível conter a emoção para quem teve o privilégio de escrever por décadas a coluna em jornais impresso, especialmente num jornal que completou nesse ano seu centenário.

Foi muito gratificante conviver e aprender nessa última década com o Euro Tourinho, uma unanimidade no jornalismo rondoniense, um decano cheio de dignidade. Rondando ele próprio os 100 anos de vida, nada mais justo do que viver a partir de agora o descanso do velho guerreiro.

 

CONTATO

Aos nossos leitores de décadas podemos garantir que o contato com a coluna Em Linhas Gerais e com a produção jornalística de Gessi Taborda vai continuar através de vários sites, incluindo o histórico Imprensapopular.com.

Podemos ser lidos também em outras plataformas e nos seguintes grupos do Facebook: “Taborda Cuanto Somos”; Sindicontas; Cadê o Prefeito de PVH; Política, Políticos e Politiqueiros; Informação Sem Censura; Jornalistas da Amazônia; Imprensa; Capa de Notícias; Amigos de Guajará, Amigos de Cacoal, Repercute Rondônia; História Arte Política e Ativismo da Unir/RO; Família Taborda; Rádio Alternativa FM, Amizades do Sul e também na página pessoal de Gessi Taborda no Facebook.

 

QUESTÃO DE TEMPO

A última edição impressa do Alto Madeira vai circular no domingo. Certamente será um documento de valor histórico a ser guardado para posteridade. Naquela edição deverá ser publicado um artigo de nossa lavra.

Com certeza o AM não será o único jornal de Rondônia a encerrar sua atividade. Outros títulos vão sucumbir ao desafio do jornalismo impresso. É reflexo da concorrência do jornal on-line e do sufocamento econômico diante da redução da publicidade e do aumento dos custos de produção.

 

NÃO SURPREENDEM

Como os jornais impressos não surpreendem mais os leitores, comportando-se apenas como replay de notícias vistas na televisão e no computador, acabam perdendo leitores e aumentando o encalhe em bancas. No caso do centenário jornal Alto Madeira é possível que ele continue cumprindo o seu papel através do portal de notícias digital. Nesse sentido é a torcida de todos aqueles que compreendem a sua importância na imprensa do estado.

 

COISA FEIA

É claro que há incompetência e omissão do poder público e da sociedade. O Brasil possui a quarta maior população carcerária do mundo, com mais de 563 mil pessoas encarceradas. Cerca de 80% da população carcerária brasileira está presa por crime contra o patrimônio ou por tráfico de entorpecentes. Colocar jovens em um sistema penitenciário falido, que tem demonstrado ser uma escola do crime, não assegura a reinserção e reeducação dessas pessoas, muito menos a diminuição da violência. É entregá-los de bandeja ao crime organizado.

 

TURISMO

Este tema sempre foi tratado aqui pela coluna, mostrando principalmente a inércia do poder público em desenvolver projetos para incrementar a atividade. Turismo, especialmente num estado onde a indústria é incipiente, é atividade fundamental para a geração de empregos. Atividade que tem impacto em pelo menos 52 segmentos da economia, gerando demandas para o setor de serviços e também para a indústria.

Mesmo reconhecendo um maior esforço, especialmente da parte do prefeito de Porto Velho com a recuperação do Parque Ecológico da capital, ainda está claro o distanciamento das gestões públicas rondonienses do desenvolvimento do Turismo. Tanto assim que passou em brancas nuvens a comemoração do Dia Mundial do Turismo, comemorado no último dia 27 de setembro.

 

INSUFICIENTES

Enganam-se aqueles que pensam que um destino turístico nasce naturalmente ou que os atrativos do meio ambiente, culturais ou arquitetônicos são suficientes para transformar um lugar num destino. Recentemente o estado conseguiu a inclusão de pelos novos 30 locais turísticos no roteiro do turismo federal. Isso não garante que o turismo se converta numa atividade sustentável em Rondônia. Verdade seja dita: nossa querida Rondônia ainda não entra na lista dos destinos mais desejados do país.

 

NONAGENÁRIO

Completou noventa anos ontem (29), o inesquecível âncora Cid Moreira. Ele nasceu em Taubaté.

 

MURRO

A coluna quis saber ontem de uma fonte muito ligada ao prefeito Hildon Chaves se ele seria um candidato à sucessão estadual em 2018. A resposta foi direta: “Ele consulta os amigos!”. Acrescentado a fonte disse: “O prefeito não dá murro em ponta de faca!”. Certamente Hildon Chaves deve achar que a eleição de governador será uma guerra.

 

PESQUISAS

Alguém acredita que existe 3% de brasileiros que ainda apoiam o governo Temer? E ainda com margem de erro de dois pontos percentuais. Onde estão eles? Onde vivem? Sinceramente, essa é praticamente uma desmoralização das pesquisas!




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: