Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   23/outubro/2020     
artigos

O povo pergunta: Quanto custa a folha de pessoal dos 3 poderes do estado?

17/12/2016 11:18:36
Gessi Taborda da Costa
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

Só será possível sanear a vida econômica num clima de disciplina da vida política. Sem isso não haverá incremento de investimento, que é a primeira das medidas que nos permitirá debelar a crise.FRANCISCO SÁ CARNEIRO (1934/1980), fundador e líder do Partido Popular Democrático e do Partido Social Democrático, além de advogado e Primeiro-Ministro de Portugal. Morreu na trágica circunstância de um desastre de avião, em dezembro de 1980, até hoje não completamente esclarecido.

 

PERGUNTINHA

Bem que os pagadores de impostos gostariam de saber. Mas essa ainda é a perguntinha que não quer calar e ainda não tem resposta.

Quanto custa a folha de pessoal dos três poderes do governo rondoniense? Quando o governo do estado terá coragem de divulgar, amplamente, esses valores? Será que o povo terá de pedir isso do Papai Noel???

 

INSEGURANÇA

Deputados (há as honrosas exceções de sempre) não desistiram de pressionar o governo a mandar os PCCS de categorias do segmento da Segurança para o legislativo. Eles farão sessões extraordinárias na próxima semana para decidir sobre isso. Servidores públicos desse segmento fundamental continuam ocupando a Casa e deixando desguarnecidas delegacias e até presídios.

 

FACA NO PESCOÇO

Deputados ameaçam não aprovar o Orçamento de 2017 enquanto o governo não mandar os planos que, em outras palavras, melhoram os vencimentos dessas categorias de servidores. Com a faca no pescoço, Confúcio resiste. Até quando?

 

JUSTIFICATIVA

O argumento de Confúcio para negar: O momento é de contingência econômica e há imposições sobre o “teto” das despesas públicas. Enquanto não se chega a um denominador comum, o que se vê a esbórnia transformando a Assembleia numa espécie de casa de cômodos. Ninguém faz nada. Nem os órgãos do controle externo. E bate o bumbo.

 

TETO

Até recentemente a solução para recuperar a economia nacional, era a volta da CPMF, agora a solução é um “teto” para as despesas do governo, que vai justificar a não realização de obras e providências até emergenciais, por ultrapassar o limite do teto! Teto é medida meramente paliativa.

 

NÃO FUNCIONA

O ano vai terminar e não conseguirei entender por que um sujeito bom caráter como o deputado Maurão de Carvalho ainda não colocou ponto final no gasto milionário com a publicidade da Assembleia. A propaganda não tem como ser pior. E não produz, por isso, os efeitos esperados para a imagem da instituição ou para os próprios parlamentares.

 

EFEITO CONTRÁRIO

Ora senhores deputados: em propaganda o pior que pode acontecer com um anunciante que gasta milhões (como é o caso da Assembleia) é a indiferença do público alvo, por não encontrar nada novo na mensagem veiculada.

O papel da publicidade é, primeiramente, seduzir, conquistar seu público alvo. A publicidade da Assembleia custa caro, muito caro e não só pela veiculação, mas pela produção que serve apenas para enriquecer ainda mais a agência contratada para cuidar disso.

 

PERCEPÇÃO NEGATIVA

A publicidade paga pelo contribuinte não soma adesões ao legislativo estadual. Ao contrário: aumenta a percepção negativa da população com a casa que deveria verdadeiramente identificar-se com o povo. Até quando os deputados vão tolerar esse esquema por onde se esvai uma bela fortuna custeada pelo erário? Afinal, pelo valor arrancado do bolso dos contribuintes, a tal publicidade deveria, no mínimo, ser mais criativa em respeito, pelo menos, aos telespectadores...

 

ASSOMBRANDO

O informe captado ontem nas coxias do poder político rondoniense com certeza fará muita gente desistir das festas natalinas e procurar em paragens insólitas alguma proteção mística para se blindar de graves consequências que deverão advir após o fechamento de acordo de mais delações premiadas.

 

CARLÃO E HELEN

Consta que pelo menos dois políticos foragidos estão costurando, através de seus advogados, esses acordos. Só assim terão garantias de que não irão para presídios do tipo masmorra ao se apresentarem para o cumprimento de seus mandados de prisão.

Quem andou metendo a mão na botija treme de medo diante da possibilidade de Helen Ruth e Carlão de Oliveira contar tudo que sabem ao Ministério Público. Tanto a deputada, como o ex-presidente da Assembleia, sabem que não escapam do xilindró, mas, com delação premiada aceita, terão minorado o martírio da prisão.

 

SOA BEM

A nova via-crúcis colocada no caminho de Ivo Cassol com mais oito denúncias pela prática de corrupção – dessa vez focando sua gestão no governo – soou bem aos ouvidos de quem já está cansado de ver nossos políticos safarem-se sempre da cadeia, mesmo quando condenados em mais de uma vez, por essas maracutaias.

O próprio Ivo Cassol tem escapado da cadeia pelas manobras comuns permitidas na legislação brasileira para quem com muito dinheiro consegue sustentar caríssimas bancas de advogados, especialistas em fazer processos ficar engavetados por anos. Mas as novas oito denúncias contra ele forem aceitas, mesmo com toda a grana do mundo sua “dolce vita” vai virar um verdadeiro inferno.

 

ELE VEM

Essa ideia de se achar intocável é muitas vezes falaciosa. Quem poderia imaginar que até o Silas Malafaia, o riquíssimo pastor da televisão, finalmente será ouvido pela PF. Ele é suspeito de apoiar esquemas de lavagem de dinheiro. O castigo pode demorar mas acaba vindo.

 

DEM

O lançamento de candidatura própria do DEM à presidência da República em 2018 poderá ter reflexo imediato (em 2017) entre “tigrões” da política rondoniense. Alguns interessados em disputar o governo e sem espaço nas suas siglas podem migrar se Ronaldo Caiado acabar viabilizado para a sucessão de Temer. 

 

GENTLEMAN

O evangélico senador Magno Malta (PR- ES) fez homenagem ao cardeal dom Paulo Evaristo Arns (falecido na quarta): “Defensor dos pobres e oprimidos”.

 




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: