Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   18/setembro/2020     
artigos

Ampla coligação formada em torno de Nazif pode ficar de pires na mão

02/08/2016 11:42:04
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

O boteco é ressoante como uma concha marinha. Todas as vozes brasileiras passam por ele”. Nelson Rodrigues (1912/1980). Jornalista e dramaturgo brasileiro.

 

FECHOU

Não faz muito tempo, a vida boemia de Porto Velho era riquíssima exatamente pelo bom número de seus botecos temáticos, onde as pessoas mais interessantes, inteligentes e críticas se reuniam religiosamente. Em botecos como o Te Guenta, Jangadeiros, Bangalô, Justinos, Zizi, Meio Quilo e o Bar do Ceará (no Avenida Calama, no Quatro de Janeiro) entre tantos outros eram points onde se discutia de tudo e muitas vezes proporcionavam soluções para muitos problemas e até para as composições políticas da época. A quase totalidade desses botecos deixou de existir. Resistia, mas com dificuldades, o tradicional Bar do Bigode. Ele também encerrou as atividades na última semana. A cultura e a convivência da sadia boemia fica cada vez mais pobre nessa capital.

 

POSITIVA

Fonte ligada a importante entidade classista do estado contou ontem que possivelmente essas entidades, capitaneadas pela Fiero (Federação das Indústrias do Estado de Rondônia) lancem uma campanha de conscientização do eleitorado rondoniense, do tipo “Vote Bem”. Iniciativa muito positiva e que deveria ser apoiada até mesmo pelos clubes de serviço.

O objetivo é a chamar a atenção de dos eleitores, em todos os setores da sociedade, sobre a importância de privilegiar com o voto as melhores propostas para o desenvolvimento dos municípios, e também denunciar os candidatos que não respeitarem a legislação eleitoral.

 

SEM ERRO

Tomara que essa iniciativa se concretize, possibilitando uma verdadeira limpeza na política. Se quisermos, todos nós, um futuro melhor para nossas cidades, é necessário barrar nas urnas o político corrupto, oportunista e sem conteúdo, preguiçoso e incompetente. Não existe mais espaço para erros diante da realidade de criminalidade exacerbada, alta taxa de desemprego e tantas outras mazelas responsáveis pelo baixo índice de qualidade de vida da população. Para mudar isso, o eleitor tem de votar criteriosamente.

 

PENTE FINO

Candidatos, partidos e colaboradores da campanha eleitoral que se avizinha, e das posteriores, precisam estar atentos por que muita coisa mudou no âmbito (antes permissivo?) da justiça eleitoral. O rigor está contido nessa declaração do Ministro Gilmar Mendes, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral: “Estamos nos preparando e talvez nós estejamos até avançados, para concebermos uma análise mais rigorosa das contas. O nosso esforço é para fazer com que a prestação de contas deixe de ser um faz de conta. Há um grupo de inteligência formado por técnicos do Tribunal de Contas da União, Conselho de Controle de Atividades Financeiras, Polícia Federal, Ministério Público, Banco Central e Receita Federal que irá acompanhar e fazer o batimento de dados das prestações de contas das campanhas eleitorais”.

 

 

DESEJO BRAZUCA

Quase metade dos brasileiros quer ver o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva atrás das grades. metade dos brasileiros quer ver o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva atrás das grades. É o que indica prospecção de opinião pública feita pela confiável Paraná Pesquisa.

Segundo a pesquisa, 47,7% dos brasileiros querem Lula preso. Um contraste para o político que deixou a Presidência da República com mais de 80% de aprovação.

 

 

SUFICIENTE

Se a coligação formada em torno da campanha de reeleição do prefeito Mauro Nazif for o suficiente para dar-lhe mais uma vitória, o “capo de tutti capi” do PSB rondoniense pode descobrir que a máquina pública municipal não terá o tamanho para ser partilhada com todos os partidos (cerca de 10 siglas) dessa base eleitoral.

Embora o prefeito detenha uma rejeição assustadora entre o eleitorado portovelhense, ainda existem mais partidos interessados em se agregar ao projeto de permanência do prefeito por mais um mandato. Que tipo de negócio atrai tantos “companheiros”? A resposta dos áulicos: “Eles acreditam no projeto de Nazif e na ideologia que ele representa”. Fala sério... é mesmo?

 

 

IMPREVISÍVEL

Dia 5 é a data final para a realização das convenções partidárias para a escolha dos candidatos das eleições municipais. Praticamente em relação a Porto Velho o quadro está definido pelo menos em relação às siglas mais importantes em se tratando das cabeças de chapa. E mesmo assim podem acontecer modificações, possíveis até o momento em que as atas dos partidos sejam protocoladas na Justiça eleitoral.

É muito difícil acontecer um cenário eleitoral como está se vendo agora, sem parâmetros confiáveis. O que se pode dizer nesse momento é que a largada dos pretendentes está embolada e imprevisível. E assim, nenhum resultado pode ser descartado, embora algumas situações sejam menos prováveis, sobretudo se levar em conta a distribuição do horário da propagando eleitoral na televisão.

 

 

IMAGINAÇÃO

Dentro desse cenário sem horizonte definido, é possível imaginar que o prefeito Mauro Nazif (com menos tempo que PMDB e PSDB) corre até mesmo risco de não conseguir classificação para o segundo turno, principalmente se não conseguir reduzir a enorme rejeição sofrida perante a população da capital rondoniense. É uma situação possível, mas pouco provável, até pelo fato do prefeito não ter tido uma oposição competente na promoção de seu desgaste mais efetivo.

 

 

O TOM

Não dá para negar que entre os concorrentes o deputado Leo Moraes está entre os melhores desafiantes na corrida. Mas se permanecer sendo o político as defesas e interesses da caserna como o tom principal de seus discursos, terá pequenas chances de crescer, de encantar corações e mentes dos eleitores, mesmo tendo como “partner” o respeitado e querido médico Amado Raahal, do PP.

Mas, como disse, teoricamente tudo ainda é possível e imprevisível pois a definição mais clara só surgirá quando os políticos escalados para disputa acertar os seus ponteiros.

 

 

DUVIDO

Na viagem que fiz no final de semana para assistir o casamento de uma prima na cidade de Cerejeiras, ouvi um comentário de um político sobre o paradeiro da foragida da Justiça, a ex-deputada Ellen Ruth, dando conta de ela bateu asas para os Estados Unidos. Não acredito nisso.

Acredito que não vai demorar muito e ela cairá, como caiu o coronel (aposentado) Evanildo Abreu, também ex-deputado. Consta que Abreu (que estaria vivendo em Santa Catarina) só foi preso por ter sido parado numa blitz da PRF para pegar motorista trafegando em rodovia com o farol baixo desligado durante o dia.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: