Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   24/janeiro/2021     
artigos

O Brasil é o país que transforma uma coisa fácil em difícil por meio do inútil

07/04/2015 10:03:54
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
FILOSOFANDO

O Brasil é o país que transforma uma coisa fácil em difícil por meio do inútil.


FIM DA PICADA

Às vezes sinto a impressão de que o prefeito Mauro Nazif deve imaginar que todos nós somos amestrados... Ora, ontem sua fábrica de factóides se superou em enviar os costumeiros textos canastrões sobre aquilo que deve acreditar ser uma “gestão” pública. Atentem bem:

“Banheiros do Mercado KM1 serão revitalizados”. Esse foi o título do factóide mandado pela prefeitura. Ora prefeito, até podemos parecer idiotas, mas não gostamos de ser tratados como tal.

E para considerar isso como “notícia” o prefeito sequer corou. Mais uma vez reforça-se a ideia de que Mauro Nazif faz muito mal à capital rondoniense, pois em sua gestão falta algo simples como planejamento e sobra casuísmo.


INTERESSES

Poderia ser diferente, mas com um prefeito que imagina estar fazendo uma gestão criativa arrancando árvores decenárias com a desculpa de que isso é necessário para evitar alagamentos não há como fugir dessa definição: Porto Velho está sendo governada por interesses mesquinhos, agregados numa gestão fajuta.

O titular dessa prefeitura dá impressão de que acredita ser possível usar o povo como massa de manobra de seus interesses de dominação e permanência no poder.

Porto Velho, essa terra abençoada por Deus, acaba sendo detonada pelos seus últimos prefeitos, pelos políticos mais interessados em ficar do lado que a vaca deita do que em representar o povo, por maus empresários (??), todos apostando na ignorância de sua massa de trabalhadores.


DÚVIDAS

Quem consegue ainda acreditar no prefeito Mauro Nazif? Quem ainda consegue botar fé que essa gestão desse prefeito vai modificar para melhor a cidade de Porto Velho?

Eu não vou acreditar que exista algum tipo de má-intenção dos detentores do poder na prefeitura ao espalhar para a mídia essa manchete: “Funcultural e ex-ferroviários vistoriam estado das peças da Estrada de Ferro”. Isso soa como zombaria. É de fazer rir.

Uma prefeitura incapaz de cuidar de praças públicas, de desobstruir calçadas, de simplesmente comemorar o centenário da capital como alguma coisa de repercussão pelo menos regional, é muita arrogância essa declaração de vistoriar um material sobre o qual não entende nada, e nem tem ideia de como deveria ser sua destinação...

A gente só não vai rir mais dessa gestão mequetrefe porque no final só restará mais uma opção: chorar. Mauro está repetindo a tragédia de seu antecessor. Só na hora que for abatido pelas urnas compreenderá o que significa a expressão “o tiro saiu pela culatra”.


COM A COR DO BRASIL

Ontem, após o longo feriado, praticamente não houve movimentação no segmento político digno de nota. Na Assembleia, certamente o mais importante endereço político do estado, as segundas-feiras são tradicionalmente sem emoção por ser um dia onde não há sessão a rotineira sessão parlamentar. Então, após um feriado prolongado esse cenário modorrento é mais do que natural. Nem por isso as dificuldades de se conseguir uma vaga para estacionamento na Casa do Povo é mais fácil...


MANIFESTAÇÃO

A segunda feira passou como sempre, em brancas nuvens, sem ser afetada sequer pela ideia da manifestação programada para o dia 12, em todo o Brasil, quando os rondonienses também terão oportunidade de vestir as cores da pátria e sair para as ruas, provando que aqui também há dignidade na população, embora tenhamos uma pá de políticos que não nos orgulham em nada quando aparecem no noticiário como atores do descalabro que apequena nosso país, em escândalos como a Operação Lava Jato, ou o dos Sanguessugas (o famoso escândalo das ambulâncias dos Verdoins).


OUTRO DIA

Se na segunda feira a principal anotação da agenda foi o evento preparado pelo Ministério Público de Rondônia para homenagear a imprensa pelo Dia dos Jornalistas (comemorado hoje, dia 7), a terça-feira poderá ter um peso muito mais significativo para Rondônia e sua verdadeira cidadania.

Tem muita gente afirmando que nada vai acontecer.

Ora, nós que amamos essa terra e esperamos vê-la como um sítio capaz de orgulhar seus moradores e até o Brasil, acreditamos que a Justiça se manifestará em relação à cassação do governador e seu vice, pela qual ela (a própria Justiça) decidiu, levando em conta esse desejo predominante na sociedade rondoniense de ter um estado verdadeiramente digno, com instituições capazes de aplicar os rigores da lei doa a quem doer.


MOBILIZAÇÃO

Essa deverá ser uma palavra de ordem importante para todos brasileiros no decorrer desse ano. Então, dia 12, Rondônia também fará manifestações para deixar claro sua postura de ser contra a corrupção que se tornou endêmica também nos limites do estado, desde que políticos patéticos assumiram os postos mais altos das instituições do governo e da política.


NAS TETAS

Aliás, por tocar nesse assunto, é importante registrar como o governo acuado – como o que está aí – gasta uma pequena fortuna do dinheiro do contribuinte com mensagens criadas pela fantasiosa imaginação de marqueteiros que vivem das tetas do poder.

Sim, Rondônia realmente precisa de Você, não para bajular esse governo, para dar-lhe qualquer tipo de apoio. E dentro desse slogan que o governo inunda a televisão com uma propaganda fantasiosa, que não resiste a um único ponto de interrogação sobre para onde está levando o estado.


A COR DO DIA 12

Talvez aqui por Rondônia a população deva descartar o amarelo (pois foi a cor usada no período eleitoral pelo governante que está na corda bamba), assim como também o vermelho dos petralhas. Então no dia 12, use uma cor representativa da bandeira rondoniense e do Brasil, como é, por exemplo, o azul.


ENFRENTAR A IMPUNIDADE
O menor rouba, sequestra e mata, mas não vai preso. "Prisão aos 16 não resolve", diz um ministro do Supremo Tribunal Federal. "Cadeia não conserta ninguém". E as vítimas, ministro, bandido solto as recupera? Recuperar os bandidos melhora alguma coisa para as vítimas? Pergunte a qualquer cidadão que tenha perdido um filho nas mãos de um menor assassino quem ele prefere recuperar. Já é hora de acabar com a inversão de valores e resolver a impunidade!



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: