Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   29/março/2020     
artigos

TCE: necessária ação preventiva nas prefeituras que não teve reeleição

21/10/2012 03:52
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
PREVENÇÃO

Uma importante fonte da coluna, acostumada a freqüentes viagens ao interior, comentava ontem sobre a necessidade de uma ação preventiva do Tribunal de Contas, para impedir o verdadeiro desmonte que acontece nas prefeituras onde não ocorreu a reeleição de prefeito.
Segundo contou à coluna, entre as práticas dos prefeitos que saem, estão as paralisações dos serviços essenciais e problemas com o patrimônio público. Outra reclamação comum, essa de prefeitos eleitos, gira em torno da dificuldade que as gestões que estão no fim criam para instalar a comissão de transição. Também nessa questão é pedida a intercessão do TCE. Afinal, segundo a legislação, o prefeito não pode deixar dívidas sem que tenha dinheiro em caixa para o pagamento.

NO FIM

Como princípio, ocupar cargo público deve representar, fundamentalmente, o dever de servir a população. Embora motivo de orgulho, demanda também extremo sacrifício de quem se dedica a tal tarefa de forma honesta e sem tirar proveito. Mas, pelo contrário, o direito de governar é visto, sobretudo, como conquista de poder, prestígio. E, a história já cansou de demonstrar isso, o desejo por esse poder, bem como seu exercício, além do medo de perdê-lo, é responsável por despertar as reações mais extremadas e irracionais. A celeridade do 2º turno faz com que os humores nas duas campanhas fiquem cada vez mais extremados. Isso passa por aliados, assessores e militantes. As redes sociais ajudam a propagar essa onda de histeria, desequilíbrio e desrespeito pelas opiniões contrárias. É triste como tal ambição por mostrar e conquistar força transforma as pessoas. Ainda bem que está quase no fim.

FPE INCONSTITUCIONAL

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, recomendou na sexta-feira (19) aos deputados e senadores que antes do final do ano busquem um acordo para a aprovação de novas regras do Fundo de Participação dos Estados (FPE). Decisão tomada pelo próprio Supremo em 2010 determina que as normas em vigor são inconstitucionais. Dessa forma, não poderão ser aplicadas a partir de 2013. Na prática, de janeiro em diante, as transferências dos recursos do fundo aos estados serão bloqueadas, caso o Congresso não aprove nova lei.


E OS JUROS

O consumidor olha primeiro as parcelas e depois os juros: 30% dão prioridade ao valor das parcelas quando vão fazer um financiamento e 15% olha em primeiro lugar o número de prestações. Os juros são a preocupação de apenas 22%. É o que me contou ontem a noite um empresário do setor de vestuário.

E disse mais: O consumidor de baixa renda não poupa. O consumidor de baixa renda não faz planejamento financeiro. O consumidor de baixa renda não se protege contra fraude e as mulheres estão à frente do orçamento doméstico.

DESVIO

Há um consenso no meio político sobre a prática do desvio de recursos na prefeitura de Porto Velho. Há praticamente certeza de que houve gestão fraudulenta na (??) administração do PT na capital. O município recebeu rios de dinheiro nos últimos oito anos. Da tal “compensação das hidrelétricas” e do governo federal. A pergunta que se faz: para onde foi todo o dinheiro que entrou no Caixa fora do orçamento???? Será que mesmo assim Roberto vai ficar impune???

COVARDIA

Mais de 2 mil mulheres procuram ajuda, diariamente, no Brasil, por terem sofrido ameaças dos maridos. Somente nos primeiros seis meses deste ano, o Ligue 180 computou 388.953 atendimentos. A violência física é a que mais aparece, com 26.939 atendimentos.


NO BRASIL

Os partidos no Brasil não têm ideologia. Mudam de rumo ao sabor das circunstâncias. São, por conseqüência, “organismos circunstanciais”. É só conferir as “alianças” para observar as “amizades” eventuais e os conchavos impensáveis. De minha parte, estou cada vez descrente das promessas dos candidatos, que não podem ser concretizadas em quatro anos, porque o tempo corre velozmente e quatro anos não dão para nada. Bem, agora é esperar o dia 28 de outubro e aguardar os acontecimentos. Como não sou advinho desejo que aconteça o melhor para Porto Velho. E é claro que o melhor não está nos cordões puxados pelo pessoal da cascavel.


MENSALÃO

O Supremo Tribunal Federal decidiu, ontem, marcar uma sessão extra para a próxima terça-feira, com o objetivo de acelerar o julgamento do processo do Mensalão. Assim, na próxima semana serão realizadas quatro reuniões para julgamento desse processo, ao invés de três, como tem ocorrido semanalmente até aqui. O objetivo é tentar concluir o julgamento ainda na próxima semana.

Então, com as três sessões semanais normais sobre o Mensalão e mais a sessão extra, o STF passará a semana toda julgando o processo. Mais especificamente, a acusação de formação de quadrilha, tema que já começou a ser examinado ontem – e isto resultará em um noticiário mais intenso sobre o assunto, o que, em princípio, não favorece os interesses eleitorais de quem tem ligação com a base do governo petista.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: