Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   20/janeiro/2021     
reportagem

EUA querem estimular turismo de brasileiros

22/1/2012 17:25:40
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou nesta quinta-feira (19/1) medidas para estimular o turismo no país. De olho na classe média do Brasil, da China e da Índia, o governo norte-americano prevê simplificar e reduzir em 40% o tempo para conceder vistos para turistas dos três países, segundo informações divulgadas no site oficial da Casa Branca, sede do governo dos Estados Unidos, conforme noticiou a Agência Brasil.

Definiu-se como meta entrevistar 80% dos candidatos em até três semanas após o pedido de visto. Outra ideia em teste é isentar viajantes brasileiros e chineses da entrevista para concessão do visto, desde que sejam classificados como de "baixo risco" pelo Departamento de Segurança, como em casos de pedidos de renovação do documento.

Com as iniciativas de estímulo ao turismo, Obama espera movimentar a economia do país, que enfrenta dificuldades. O turismo representa 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e é responsável por 7,5 milhões de empregos nos Estados Unidos, conforme dados de 2010. O governo espera que, se mais turistas estrangeiros escolherem os Estados Unidos como destino de viagem, sejam criados 1 milhão de empregos na próxima década.

No parque da Disney World, na Flórida, Obama disse que "a cada ano, 10 milhões de turistas de todo o mundo visitam a América. Quanto mais pessoas visitam a América, mais norte-americanos voltam ao mercado de trabalho".

Os chineses e brasileiros estão entre os turistas que mais gastam, com desembolso de US$ 5 mil a US$ 6 mil por viagem. Em 2011, os consulados americanos emitiram 1 milhão de vistos na China e 800 mil no Brasil, crescimento de 34% e 42% respectivamente.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: