Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   18/novembro/2019     
cidades

Bancários de Rondônia aprovam greve a partir de segunda

24/9/2011 16:31:13
Por Assessoria
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 
Os bancários de Rondônia acabam de decidir, em Assembléia Geral realizada na sede do Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB/RO), que vão entrar em greve geral, por tempo indeterminado, a partir da próxima terça-feira, dia 27 de setembro.

A aceitação foi de 98% dos bancários presentes e acompanha as assembléias gerais que foram realizadas nesta quinta-feira (22/9) nos sindicatos de todo o país, seguindo a orientação do Comando Geral dos Bancários - representados pela Contraf/CUT – que, após inúmeras rodadas de negociação com os representantes da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), não viram outra alternativa para conseguir suas reivindicações por melhores condições de trabalho, qualidade de vida, valorização e respeito ao trabalhador bancário.

“Parece um filme que se repete todos os anos. Novamente estamos aqui discutindo a nossa Campanha Salarial enquanto que os banqueiros lucram como nunca e se negam a valorizar os trabalhadores, legítimos responsáveis por esses sucessivos lucros estratosféricos das instituições bancárias”, disse o presidente do SEEB/RO, José Pinheiro.

Para o presidente da CUT/RO e ex-presidente do SEEB/RO, Cleiton dos Santos Silva, os trabalhadores estão convencidos da necessidade desta mobilização. “A CUT prega o trabalho decente e isso se faz através da segurança mental e física do trabalhador, além do fim da discriminação do funcionário. No entanto, os funcionários continuam sofrendo, adoecendo, e os bancos não estão interessados na saúde do trabalhador”, mencionou Cleiton, que acrescentou o fato de na atualidade existirem bancários recebendo pouco mais de dois salários mínimos nos vencimentos mensais.

“Digam sim á greve por tempo indeterminado para que, somente assim, os banqueiros possam respeitar os trabalhadores”, enaltece.

A diretora financeira do SEEB/RO, Maria do Socorro, destaca que os trabalhadores do Banco da Amazônia são os que mais sofrem no ramo bancário, com os vencimentos menores e que, por isso mesmo, devem se unir à mobilização e participar da greve.

“Não há outra opção a não ser nos unir e enfrentar os patrões”, avalia Socorro.

PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES DA CAMPANHA NACIONAL 2011

Reajuste Salarial
12,8% (5% de aumento real mais a inflação projetada de 7,8%)
PLR - Participação nos Lucros e Resultados
Três salários mais R$ 4.500
Pisos
Portaria - R$ 1.608,26
Escritório - R$ 2.297,51
Caixa - R$ 3.101,64
1º Comissionado - R$ 3.905,77
1º Gerente - R$ 5.169,40
Vales Alimentação e Refeição e auxílio-creche/babá
Salário Mínimo Nacional - R$ 545
PCCS - Plano de Cargos, Carreiras e Salários
Para todos os bancários
Auxílio-educação
Pagamento para graduação e pós
Emprego
Ampliação das contratações
Fim da rotatividade
Combate às terceirizações
Garantia contra dispensas imotivadas (Convenção 158 da OIT)
Banco para todos, sem precarização
Outras prioridades
Cumprimento da jornada de 6 horas
Fim das metas abusivas
Combate ao assédio moral e à violência organizacional
Segurança contra assaltos e adicional de 30% de risco de morte
Previdência complementar para todos os trabalhadores
Contratação da remuneração total
Igualdade de oportunidades.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: