Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   22/setembro/2019     
política

Governador afirma que policiais não podem deixar sociedade à mercê de criminalidade

09/05/2011 01:15
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

Já conhecido por exprimir suas conjecturas e impressões em seu blog oficial, o governador Confúcio Moura (PMDB), falou brevemente sobre o movimento de paralisação da Polícia Militar – cujo estopim fora a prisão do presidente da ASSFAPOM (Associação dos Familiares dos Praças da Polícia Militar do Estado de Rondônia), Jesuíno Boabaid, preso no último dia cinco.

Os policiais aproveitaram a ocasião para reivindicar outros pontos que, segundo eles, não foram respeitados pelo Governo do Estado no acordo celebrado na última greve. Já o governador não pensa assim.

O tom de crítica, na curta passagem em que fala sobre o caso em seu texto intitulado “SERVIÇO PÚBLICO X SALÁRIO X CONFRONTOS”, fica claro quando o peemedebista levanta a não só a questão da irregularidade da paralisação, e não deixa de dizer claramente que não há previsão legal.

“ – O fim de semana em Rondônia foi tormentoso. Mais uma manifestação de policiais militares, coisa que a lei não prevê e nem assegura direitos. Uma sublevação sem pauta definida. Porque tudo já se havia acordado e assegurado. E o Governo não pode aceitar a desguarnição da sociedade. O movimento foi localizado em Porto Velho. E exaustivamente negociado, até mesmo além do limite do possível, com imensa paciência e prudência. Com participação de parlamentares mediadores, o que foi inteligente e importante. Creio que chegou ao fim”, finalizou.

FONTE: Rondoniadinamica.com




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: