Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   23/setembro/2020     
reportagem

Estudo do IPEA diz que obras não serão entregues antes das Olimpíadas no Rio

18/4/2011 02:07:15
Por Aline Sales - Contas Abertas
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 
Ontem o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou estudo sobre os atrasos nas obras dos aeroportos brasileiros. A nota técnica diz que a maioria dos aeroportos não estarão prontos para receber a Copa do Mundo de Futebol em 2014. No mesmo dia, a Controladoria Geral da União (CGU) atualizou as informações da Matriz de Responsabilidades - cronograma de investimentos que engloba as obras aeroportuárias, disponível no Portal da Transparência da Copa. Os dados foram atualizados até 23 de março.

Do montante total previsto de R$ 5,6 bilhões para investimentos nos aeroportos das 12 cidades que vão sediar o evento, R$ 294,5 milhões foram contratados e apenas R$ 137,7 milhões foram efetivamente aplicados na melhoria ou na ampliação das estruturas aeroportuárias. O que equivale apenas 2,5 % de execução (veja tabela).

A cidade do Rio de Janeiro (RJ) possui o melhor desempenho. No Aeroporto Internacional do Galeão já foi investido R$ 60 milhões. Está sendo realizada a reforma do terminal de passageiros 1 e a conclusão do terminal de passageiros 2. Para essas obras estão previstos R$ 687,3 milhões. Assim, o Galeão atingiu a execução de 8,7% do valor previsto para investimentos.

O aeroporto São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN) possui duas frentes de trabalho já iniciadas: Construção do terminal de passageiros e a infraestrutura da pista de pouso. É o segundo melhor desempenho. Dos R$ 576 milhões previstos, R$ 40,6 milhões já foram, de fato, executados.

Das cidades que vão abrigar o mundial esportivo, Recife (PE) é a que tem a menor quantidade de investimentos já executados. Apenas R$ 15 mil foram desembolsados para o projeto de construção da nova torre de controle. Porém há cidades que não tiveram qualquer tipo de execução, pois nenhuma contratação para os serviços foi realizada. Trate-se dos casos de Cuiabá (MT), Porto Alegre (RS) e Salvador (BA).

Segundo o estudo do Ipea não será possível cumprir os prazos de entrega das obras para os eventos esportivos. “O resultado é preocupante. Não vai dar sequer para a Olimpíada. A grande maioria dos novos terminais visando a Copa do Mundo ainda não tem nem projeto”, diz Carlos Campos, coordenador de Infraestrutura Econômica do Ipea, que participou da elaboração do trabalho.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: