Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   24/janeiro/2021     
política

Cahulla teve todos contra ele e mesmo assim chegou ao segundo turno

17/10/2010 04:41:32
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Come√ßando a campanha com apenas 3%, rompeu todos os muros constru√≠dos √† sua volta e chegou a mais de 37% dos votos. 



Clique para ampliar
O ex-vice e atual governador de Rondônia (ele está completando o mandato de Ivo Cassol), João Cahulla surpreendeu os analistas políticos do estado ao iniciar uma campanha com apenas 3% das intenções de votos e bater políticos experientes e consagrados (como Valverde e o próprio ex-senador Expedito Júnior), chegando ao segundo turno para decidir no próximo dia 31 a batalha eleitoral e, se vencer, iniciar um novo mandato no próximo ano para cumprir novas metas “e dar continuidade ao desenvolvimento de Rondônia”, desencadeado a partir do primeiro mandato do ex-governador Ivo Cassol, como falou o próprio Cahulla a Imprensa Popular.

Cahulla, um fervoroso cristão, explica como sobreviveu aos ataques pesados de todos os 4 candidatos que disputaram o primeiro turno: “Nada é impossível para quem confia em Deus!” exclama para afirmar que é com essa mesma confiança que espera ser vitorioso na votação de 31 de outubro.


FOI UM MILAGRE

Para alguns foi mesmo um milagre essa vitória parcial do governador rondoniense. Afinal, João Cahulla e o ex-governador Ivo (eleito senador em 3 de outubro) tiveram tudo contra si: a campanha de cinema do PT, com a presença do presidente Lula e de sua candidata Dilma, o Ministério Público Eleitoral tentando barrar os dois candidatos, etc. Fizeram um muro quase intransponível contra as candidaturas de Cahulla e Cassol e ambos tinham muito pouco tempo de TV para explicar as metas do próximo governo e ao mesmo tempo se defender do ataque contumaz dos poderosos adversários.

Um eleitor cassolista resume bem como foi enfrentar “as forças implacáveis” daqueles que representam o retorno de tudo o que aconteceu no recente passado da administração rondoniense: “Esse pessoal já mandou em tudo em nosso estado e tem muito poder por sua ligação com o governo federal, do qual sempre fizeram parte. Mas mesmo mandando em tudo, eles não mandam no povo que elegeu Cassol e colocou Cahulla no segundo turno, em reconhecimento a esses dois fizeram e poderão fazer por toda a sociedade rondoniense”.

João Cahulla foi vencedor na maioria dos municípios (32) rondonienses, principalmente naqueles onde a concentração de famílias de baixa renda é mais nítida.
Ficou mais bastante claro que Cahulla foi mais admirado e saudado por essa massa de gente simples a quem o governo de Ivo Cassol serviu com obras como estradas durante os seus dois mandatos de governador.


FALTOU ESCLARECIMENTO

O governo de Ivo e João Cahulla foi o que mais investiu e fez muitas grandes obras de infra-estrutura para atender os anseios da população das maiores cidades do Estado. Foram eles que retomaram as obras paralisadas ainda no tempo em que o senador Valdir Raupp realizou o mais desastrado governo rondoniense, como o Hospital Regional de Cacoal, usado como ferramenta pela oposição na eleição desse ano.


Fora as obras rodoviárias espalhadas pelo estado (pontes, rodovias asfaltadas, etc.) o governo conseguiu acabar com a decaída Esplanada das Secretarias, em Porto Velho, construindo naquele local conjunto de prédios do Centro Político e Administrativo (CPA), obra quase pronta para ser inaugurada.

Não é possível esquecer que, só para exemplificar, até a obra do Teatro Estadual, paralisada no governo de Raupp, só agora está perto de ser terminada, pela operosidade e coragem de Cassol.

Neste segundo turno Cahulla espera dar mais explicações sobre as obras estruturantes, como as do saneamento, que sempre foi prioridade para atender as carências do povo das cidades onde não obteve os melhores índices eleitorais.


MUDANÇAS

Homem de sólida formação cristã, autêntico e de origem humilde, João Cahulla quer, como disse, desenvolver um governo humanista e de justiça social, principalmente para atender os mais desprotegidos.


Ele também pretende dar mais apoio às reivindicações dos servidores públicos, sobretudo afiançando o pagamento de precatórios conseguidos pelos trabalhadores do Estado sobre direitos negados em governos antigos.

Com a demonstração da realidade do eleitorado rondoniense, através dos resultados do primeiro turno, João Cahulla começou a campanha do segundo turno com importantes mudanças, principalmente no marketing, segmento mais criticado até por parte dos mais fiéis aliados de João e Ivo.

Também mudou a estratégia de campanha que, nesse segundo turno, vai dar mais atenção aos grandes colégios eleitorais, onde Cahulla pretende reverter a votação recebida.

“Quero mostrar que meu nome tem a melhor garantia para o progresso de nosso estado continuar, pois o nosso governo estadual tem marcas fortes de realização, com obras de vulto em todo o estado. Com um novo mandato teremos condição de ampliar muito mais o nosso trabalho que, certamente vai se tornar uma referência ainda maior para a população rondoniense e até para o Brasil”.


CASA ARRUMADA

Ao falar com Imprensa Popular João Cahulla destacou que “não foi fácil” consertar todos os erros cometidos pelas administrações passadas, especialmente a praticada contra as pessoas, como a demissão dos 10 mil servidores e o sucateamento dos equipamentos da administração. Agora com a casa arrumada, disse Cahulla, podemos dar sequência ao nosso projeto, que é o melhor para Rondônia.

Para ele, assim como o que foi feito pelo governo que representa deve servir de referência para o eleitor, também deveria servir de referência o que acontecia antes de Ivo chegar ao governo do Estado, “quando nem mesmo combustível existia para atender a segurança pública do estado, com a maioria das RPs paradas nos pátios das delegacias.

Concluindo, João Cahulla relembrou que “foi necessário um grande esforço desse governo para que o estado desse esse salto gigantesco de desenvolvimento”. Para ele, num novo governo além de melhorias concretas no setor da saúde, com a construção imediata de um novo hospital na zona leste de Porto Velho, será possível “ampliar o processo de industrialização, gerando novos empregos, construir milhares de novas casas populares, promover as ligações asfaltadas com os municípios que ainda carecem dessa melhoria, melhorar muito o setor de Educação e muitas outras ações incluídas no melhor projeto para o nosso estado”, terminou.



Comentários (1)
a casa

quem e de rondonia e vive em rondonia e viveu em rondonia nos ultimos mandatos antes do gorverno do ex governador ivo cassol.nao vai deixar de votar no certo pra votar no duvidoso.ivo corcertou os burraco deixado no telhado. agora vamos deixa joao caulla continuar construindo a casa.não vamos deixar derrubar essa casa

alexandre - alto alegre dos parecis/ RO.
Enviado em: 24/10/2010 19:25:13  [IP: 189.74.54.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: