Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   9/julho/2020     
reportagem

Micro-Crédito incrementa pequenos negócios

17/7/2010 11:41:05
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
A Associação de Crédito Cidadão de Rondônia-ACRECID- entre os anos de 2004 e 2009 liberou recursos da ordem de R$ 5 milhões aprovando 4.900 projetos beneficiando mais de 15 mil pessoas, em todo o Estado de Rondônia. Piscicultura, apicultura e pequenas empresas e outras atividades que geram emprego e rendas, como indústrias de móveis de sorvetes, carrocinhas de pipocas, costureiras e dezenas de pequenos empreendedores receberam apoio desta instituição que não tem fins lucrativos.

“É um trabalho silencioso com pouca publicidade, mas que os objetivos estão sendo alcançados graças ao comprometimento dos parceiros”, garante Manoel Serra presidente da instituição de crédito. Participam desta parceria que vem apresentando bons resultados, o Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social, FIERO, SEBRAE, FECOMÉRCIO, FAPERON, TERMONORTE, SIMPI, SIMPEC e PortoCredi.

Segundo o vice-presidente da Acrecid, Aníbal Martins, “não é empréstimo pessoal, a instituição financia pequenas atividades com recursos que vão variam entre R$ 300,00 e R$ 10 mil, sempre de acordo com apresentação de um plano de negócios que são avaliadas por um comitê de técnicos”. Os produtores de Avestruz do município de Mirante da Serra , por exemplo, receberam financiamentos de R$ 140 mil para produzir óleo natural que, segundo estudos, é rico em ômega 3, 6 e 9, elemento que previne o câncer, além de ser um ótimo cicatrizante, e uma pequena industria de cosméticos.

Peixes e sorvetes

No município de Rolim de Moura 300 pequenos produtores rurais, receberam apoio financeiro da ACRECID para a produção de peixes em cativeiros com excelentes resultados. Ali, os tambaquis com um ano de idade atingem o peso de 2,5 quilos, sendo este o peso ideal para comercialização. Entre tambaqui, pirarucu e curimatâ criados em cativeiros, Rolim de Moura produz mais de 600 toneladas de pescados por ano, que são comercializados nos Estados de Mato grosso e São Paulo.

Francisco Faustino Neto, produtor de pirarucu, revela que com um ano de idade ao ser consorciado com outras espécies, o pirarucu alcança 23 quilos, peso ideal para comercialização. Em Porto Velho, também com apoio da ACRECID, Manoel da Nóbrega de Almeida, financiou uma indústria de sorvetes, e não tem do que se arrepender, produzindo 6 mil picolés e 400 litros de sorvetes ao dia, ele atende diversas sorveterias na capital, gerando emprego e rendas.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: