Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   17/setembro/2019     
cidades

Fórum debate situação socioeconômica das cooperativas médicas

27/5/2010 18:38:55
Por Assessoria
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O evento é presidido pelo Dr. Hiram Gallo (ao centro), presidente do Cremero. 



Clique para ampliar
Teve início nesta quinta-feira (27), em Brasília, o III Fórum Nacional de Cooperativismo Médico. O evento, segundo informou o conselheiro federal José Hiran Gallo, que é coordenador da Câmara Técnica de Cooperativismo do Conselho Federal de Medicina (CFM), discutirá a situação socioeconômica das cooperativas de trabalho médico e a terceirização.

“Trata-se de uma realização da Comissão de Cooperativismo Médico do CFM, para, através de debates com médicos cooperativistas de todo o País, ajudar a amadurecer os trabalhos da comissão, que tem a função de fiscalizar as ações das cooperativas médicas”, acentua Hiran Galo, salientando que, ao longo dos últimos quatro anos, muito se avançou por causa da realização desses fóruns e do diálogo que eles suscitaram.

O fórum acontecerá nesta quinta e sexta-feira (27 e 28), no auditório do CFM. Concomitante à realização do evento, será empossada a diretoria da Confederação Brasileira das Cooperativas Médicas (Confemed).

Para participar do evento, foram convidados o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e representantes das três entidades médicas nacionais: CFM, Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam). Segundo Hiran Gallo, estarão presentes no Fórum nomes da Unimed Brasil, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), das secretarias de Saúde, parlamentares, do Ministério Público do Trabalho, da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Exercendo também a função de diretor-tesoureiro, Hiran Gallo lembra que a presença de tantas autoridades contribui para que os debates tomem proporções que, ao final, cumprem a propositura do fórum, “que é garantir respaldo legal ao médico que está lá na ponta dessas organizações, lutando no seu dia-a-dia e fazendo cumprir o que decidimos”, reitera Gallo.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: