Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   22/setembro/2019     
reportagem

"Mãe da transposição", Fátima Cleide some e ameaça sindicalista, afirma jornal

19/5/2010 09:53:33
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

O jornal eletrônico Rondoniagora (www.rondoniagora.com) publicou reportagem hoje, afirmando que a senadora petista Fátima Cleide, que gosta de ser chamada de a "Mãe da Transposição", tem evitado aparecer nos eventos que envolvem a votação da medida na Câmara, depois que revelou-se a intenção do governo de rejeitar a proposta, por meio do parecer desfavorável do relator, deputado Marcelo Ortiz (PV-SP).

Segundo a matéria, após ser cobrada por mais compromisso com a matéria nesse momento difícil, Cleide teria ainda ameaçado o sindicalista Israel Borges, presidente do Sindicato dos Servidores do Judiciário rondoniense (SINJUR), que, colocando-lhe o dedo em riste, teria dito que o "pegaria" de qualquer jeito em Rondônia.


Senadora nega ameaças

Em resposta às acusações, a senadora petista Fátima Cleide disse hoje que em nenhum momento ameaçou o sindicalista Israel Borges, presidente do Sinjur, a quem acusa de "misturar as coisas" por causa de interesses partidários.


Leia abaixo a íntegra da reportagem:

BASTIDORES DA TRANSPOSIÇÃO
SINDICALISTAS E PARLAMENTARES POR POUCO NÃO SAEM AOS TAPAS DURANTE REUNIÃO 

A senadora Fátima Cleide (PT-RO) fez graves ameaças ao presidente do Sindicato dos Servidores Judiciário (Sinjur), Israel Borges, durante uma acalorada discussão na reunião entre sindicalistas e a bancada parlamentar para tratar da votação da MP incluindo a transposição dos servidores públicos de Rondônia. 

Mais uma vez, a parlamentar, que se diz “mãe da Emenda da Transposição”, decidiu se ausentar do encontro, alegando compromissos inadiáveis na Esplanada dos Ministérios e que também não poderia acompanhar a votação na Câmara dos Deputados por estar realizando palestra. 

O dirigente sindical pediu compromisso no momento mais importante para o funcionalismo público à senadora, que reagiu com uma explosão de raiva, ameaçando “pegar Israel” de qualquer maneira em Rondônia. Ela deu de dedo no rosto do presidente do Sinjur, que retrucou o “afago” da parlamentar petista. Outro incidente ocorreu com o ex-presidente do Sinsepol, Cícero Evangelista, que ficou insatisfeito com as declarações da deputada federal Marinha Raupp (PMDB-RO), que disse à bancada que “estava perdida” e não sabia o que fazer para aprovar a MP com a transposição. 

“Ela pediu para retirar o que disse, mas a verdade que ela estava perdida, enquanto nós já sabíamos que o Governo havia encaminhado voto contrário a transposição”, explicou Cícero, reclamando da atuação dos deputados, a exemplo de Moreira Mendes (PPS-RO), que apareceu bem depois do início da votação, Anselmo de Jesus (PT-RO) e Ernandes Amorim (PTB-RO), que nem mesmo apareceu no plenário na terça-feira. “Estamos desiludidos”, acrescentou Cícero.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: