Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   27/novembro/2020     
cidades

Flagrantes: instrutores de auto-escolas são os primeiros violar lei de trânsito

6/4/2010 18:29:53
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O pandemônio do trânsito de Porto Velho começa nas práticas irresponsáveis dos instrutores de auto-escolas, que deveriam dar exemplo de boa direção. 


 

Trafegar a pé ou de carro pelas vias de Porto Velho tornou-se um verdadeiro inferno. Falta sinalização, ruas bem conservadas e, principalmente, educação de motoristas e pedestres. É uma verdadeira selva, em que uns tentam sobreviver sobre a irracionalidade de outros. É fácil ver que não é à toa que Porto Velho ocupa as primeiras colocações entre as cidades com o trânsito mais violento do país.

O problema, certamente, é intrincado e tem em sua composição várias causas. Mas parte dele, com certeza, está relacionado à formação dos condutores. Nas auto-escolas, que formam todos os anos milhares de motoristas, o rigor com que os próprios professores encaram o Código de Trânsito parece inspirar seus alunos – negativamente.

Ao longo dos últimos dias, a reportagem de Imprensa Popular fotografou vários episódios de desrespeito às leis de trânsito. Estacionamento em local proibido, invasão de faixa exclusiva, entre tantas outras barbeiragens. E o mais grave nessas ocasiões é o fato dos infratores serem instrutores de auto-escolas.

Confiantes na impunidade, os instrutores-infratores não fazem nenhum esforço para disfarçar as faltas no trânsito e, em algumas circunstâncias, chegam até a achincalhar aqueles que ousam chamar sua atenção.

Foi o que aconteceu com um comerciário Vitor Almeida, que voltava do trabalho, passando pela BR-364, sentido centro. Enquanto aguardava na sua faixa, para ir ao centro da cidade, um esperto carro de auto-escola tentava furar a fila, passando na frente de todos os que esperavam pacientemente sua vez de atravessar a rotatória.

Inconformado com a atitude do cidadão, Almeida protestou. Foi o suficiente para ouvir do instrutor palavras do mais baixo calão e, como se não bastasse, até uma ameaça: “Te pego ainda hoje!”.

A ousadia desses infratores tem amparo na completa certeza de que, por mais absurdas sejam suas condutas, sempre ficarão impunes. E essa certeza não é para menos, afinal sequer existe fiscalização de trânsito efetiva na cidade. Está tudo a Deus dará, o que termina por criar um ambiente selvagem, sem leis nem respeito dos motoristas uns pelos outros.

Quando se trata de burlar as regras de trânsito, tanto carros quanto motoqueiros são pródigos em fazer suas barbeiragens. Os desvios mais comuns, registrados pela reportagem, são desrespeito às faixas exclusivas e estacionamento impróprio.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, no parágrafo único do art. 153, instrutores e examinadores estão sujeitos às punições de advertência, suspensão e cancelamento da autorização para o exercício da atividade, conforme a gravidade da infração cometida. 

Publicado na edição nº 128, de 28/03/2010.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: