Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   19/setembro/2019     
reportagem

Biotecnologia abre caminhos para combater agressão ao meio-ambiente

7/1/2010 21:40:51
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Empresário do setor biotecnológico afirma que o caminho não é o reciclável, mas sim o compostável. 


 

Empresas recém-criadas no polo universitário de pesquisa de São Carlos (SP) estão colocando no mercado produtos que ajudarão na redução de gases poluentes e servirão para eliminar os efeitos de atos de agressão ao meio ambientes, como os costumeiros derramento de óleos em cursos d’água, por embarcações.

A Biomater é uma dessas empresas. Ela produz matérias-primas obtidas de fontes agrícolas renováveis para a indústria de embalagens sustentáveis. A companhia fabrica e fornece granulados à base de milho, batata e mandioca para a fabricação de artefatos plásticos e embalagens. A empresa aposta no crescimento do mercado internacional por matérias-primas de origem biológica, em substituição aos plásticos convencionais de origem fóssil. 

A Vitrovita é outro exemplo que nasceu das experiências de universitários nos laboratórios da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da USP com pesquisas em biotecnologia. A empresa desenvolveu um produto para tratamento da hipersensibilidade dentária que já se encontra em processo de aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A Synbeeosis também traz inovações biotecnológicas para o mercado. A companhia criou um produto para retirada de óleo da água em acidentes de derramamento. "É um material hidrofóbico, que rejeita a água e absorve o petróleo", explica Cláudio Dezidério, diretor da empresa. O Canadá é o maior exportador de um produto similar, mas que absorve quantidade menor do petróleo. "Nosso produto absorve até 40 vezes mais do que seu peso, desde que mesclado a alguns outros produtos", ressalta Dezidério. A Synbeeosis tem ainda outros produtos, como uma urna funerária que evita a contaminação do meio ambiente, e placas hidropônicas com novos materiais. "O caminho não é o reciclável, mas o compostável", aponta o empresário.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: