Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   25/novembro/2017     
entrevista

Silvernani é contra gastar milhões para construir nova Assembléia: “Existem outras prioridades”

18/11/2009 12:53:30
Por Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Deputado foi o oitavo a assinar documento pedindo a Noedi a desistência dessa sinecura. 



Clique para ampliar

A Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia, uma instituição notória quando se trata de desperdiçar dinheiro público, foi apontada recentemente como uma das mais caras do país, por uma ONG especializada em acompanhar o comportamento dos legislativos brasileiros.

Aqui a parte visível do desperdício do dinheiro público é a massiva propaganda do legislativo estadual veiculada nas emissoras de TV, rádio e nos jornais amestrados do Estado, ou seja, aqueles que não divulgam ou não pautam nada que desagrade os “donos” do poder legislativo e que conseguem, assim, ter um bom relacionamento com o marqueteiro da Casa, um pseudo-publicitário criado no arraial do fugitivo da Justiça, dono daquele que se vangloria ser o maior matutino rondoniense.

Certamente a publicidade não é o único ralo por onde se desperdiça milhões de reais do contribuinte. Embora fale-se muito em transparência, a população desconhce o tamanho do desperdício com essa despesa que é canalizada apenas para beneficiar um número reduzido de gente influente na Casa, reservando, para a maioria dos veículos que aceitam ser domésticados, simplesmente a quirela do bolo.

OBRA DESNECESSÁRIA 

Com essa conversa de que a Assembléia rondoniense “devolve” dinheiro para o governo do Estado, os deputados que dirigem o poder estavam prestes a colocar em funcionamento um novo ralo por onde seria possível escoar muito do dinheiro público que irriga principalmente a conta de políticos que estão diretamente ligados a empreteiras ou atuam como aliados desse segmento que, sem controle, acaba sendo uma das pragas nas contínuas práticas de desvio do dinheiro público no Brasil.

Num ambiente marcado por negócios nem sempre bem explicados e por práticas com total sabor de abuso que acabam no geral na impunidade, a construção de uma nova sede do Legislativo estadual, em pleno ano eleitoral, certamente levantou suspeitas nos circulos das pessoas mais bem informadas e conscientes do estado. Afinal, como se sabe, nesse país, este é dos roteiros mais comuns para a formação do chamado caixa 2 de campanha e para o enriquecimento mais rápido daqueles que estão mais bem postados nesse nicho de poder.

Para um grande número de deputados estaduais, a determinação do presidente Neodi Carlos de construir uma nova sede para o Poder Legislativo é despropositada e fora da realidade, porque o Estado tem nesse momento outras prioridades, como a ampliação e melhoria da rede hospitalar, os investimentos na Segurança, na Educação e no Saneamento Básico, fatores que demonstram claramente não existir prioridade para se gastar milhões agora, numa obra que pode esperar, no mínimo, mais umas duas legislaturas.

GABINETES DE LUXO 

Os deptuados estaduais rondonienses têm estrutura física no prédio da Assembléia Legislativa de excelente qualidade. Afinal, no prédio onde funciona gastou-se ao longo dos anos  vários milhões em reformas e hoje, como reconhece o novo deputado Silvernani Santos (que foi deputado federal), os gabinetes dos parlamentares rondonienses são muito superiores aos dos parlamentares federais, incluindo aí os próprios senadores, em termos de conforto, funcionalidade e até luxo.

Silvernani espera que a anunciada decisão do deputado Neodi de assinar a ordem de serviço para a construção da nova sede da Assembléia seja postergada para que os deputados avaliem sem paixão a inoportunidade dessa medida que certamente custará milhões aos cofres públicos de Rondônia.

O novo parlamentar (que assumiu no lugar de Tucura, cujo mandado foi cancelado pela Justiça) estava esperançoso na manhã do último dia 18 porque, como explicava, até o líder do governo tinha assinado requerimento pedindo a supressão da tal Ordem de Serviçio.

É preciso deixar claro – argumentava Silvernani Santos para Imprensa Popular – que uma obra dessa natureza que, segundo consta, apenas para começar custaria algo acima dos 35 milhões de reais, acaba chegando fácil aos 100 milhões. E isso é dinheiro do estado (o caixa que sustenta a Assembléia é o caixa únido do estado), retirado do bolso do contribuinte. E esse contribuinte precisa muito mais de investimentos na Saúde e na Segurança do que num novo e desnecessário (pelo menos pelas próximas duas legislaturas) prédio da Assembléia Legislativa.




Comentários (1)
Que preocupação ?

Causa-me estranhesa o Deputado Silvernani Santos preocupado com os gastos da Assembléia com a construção da nova sede. Esse Senhor não era o mesmo que quando Presidente da Assembléia colaborou com o desvio de dinheiro para aquisição de passagens aéreas ? Por que somente agora ele está preocupado com desperdício de dinheiro ? Dinheiro público não tem dono, caro Deputado. Na minha opinião, a construção de nova sede não vai mudar em nada o conceito de vocês perante a opinião pública. Não vai mudar em nada o atendimento ao povo. Afinal de contas, o povo não tem nem acesso a tal casa do povo. É segurança prá tudo que é lado. Acho que o atual local está adequado para atender as reais necessidades da Casa. Gastaram muitos milhões para reformar a atual sede. Agora querem gastar mais dinheiro para construir uma nova sede ? Por que não investir esse dinheiro em saúde, em educação, em segurança pública ? A polícia não tem veículo para atender as ocorrências policiais. Os postos de saúde não tem material e nem medicamento para atender a população. Não seria mais justo pegar esse dinheiro e utilizar nesses setores ? Pensem bem !

João Lima - Porto Velho/ RO.
Enviado em: 18/11/2009 14:23:42  [IP: 200.103.18.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: