Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   29/novembro/2020     
cidades

É baiano de Ilhéus o tarado da motocicleta que agia em Ji-Paraná

16/11/2009 17:33:33
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Preso pela Polícia Civil, o baiano não tinha nenhum documento para comprovar sua identidade. 


 

Uma equipe de Policiais Civis formada por agentes da 1ª Delegacia de Polícia, Delegacia de Defesa da Mulher e da Delegacia Regional em Ji-Paraná, prenderam nesta sexta feira na Rua Amazonas, bairro Jardim Presidencial, Valdomiro Pacheco dos Santos, 44 anos, natural de Ilhéus-BA, que levado a Delegacia foi reconhecido pelas vítimas, como o elemento que vinha praticando estupros na cidade. Valdomiro já estava conhecido como o Tarado da Motocicleta vermelha, pois sempre que atacava suas vítimas estava de moto, uma CG titan vermelha que foi apreendida com ele.

A Delegada Dilza Telles solicitou junto ao Poder Judiciário a Prisão Preventiva do acusado, que foi concedido e este já está recolhido a uma das Celas do Presídio Central da cidade a disposição da Justiça para responder pelos crimes que praticou. Ele é acusado de mais dois estupros consumados e uma tentativa, crimes praticados em um período de aproximadamente 15 dias.

A Delegada titular da DDM pede à comunidade que se tiverem conhecimento de vítimas que não tenham registrado ocorrência que as mesmas possam ser orientadas a procurarem à delegacia para que sejam tomadas as providências. Outro detalhe importante é que Valdomiro não possui nenhum documento para provar sua identidade, por isso a polícia ainda continua investigando para saber se este nome é verdadeiro.

Segundo a esposa do acusado este veio para Rondônia a cerca de 5 meses junto com ela oriundo da cidade de Nova Andradina -MS, onde o conheceu quando foi passear naquela localidade.

Sempre atacava por volta das 7horas quando as vitimas geralmente ficavam sozinhas devido à saída de seus companheiros para o trabalho, ele observava e entrava na residência armado com uma faca, às vezes até de propriedade da vítima. A outra forma, era atacar as mulheres que estavam andando sozinhas na rua dos bairros de menos movimentos levando a vitima para lugar ermo.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: