Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   23/setembro/2020     
reportagem

Inadimplência cresceu em outubro

12/11/2009 20:52:27
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



As mulheres são as que mais honram seus compromissos de crédito. 


 

A inadimplência (número de registros incluídos no SPC BRASIL - maior entidade e banco de dados da América Latina) apresentou crescimento de +7,08% no mês de outubro de 2009, em relação a setembro. Se comparada a outubro de 2008, foi verificada queda de -1,30%. 

No acumulado do ano, a inadimplência teve significativa queda de -12,03%%. Os resultados revelam o bom desempenho da economia. No comparativo a setembro, o crescimento da inadimplência ocorreu porque parte significativa dos empresários aproveitou a proximidade do Natal e a injeção de recursos do Imposto de Renda para registrar os débitos, com a esperança de que os inscritos no SPC BRASIL honrem os compromissos para voltar a consumir em breve.

O nível de confiança dos cidadãos também foi determinante. Até setembro, não assumiam dívidas em função da crise. Com a normalização do cenário econômico, voltaram a consumir, o que também ocasionou aumento da inadimplência. A queda da taxa básica de juros (Selic), a redução do IPI para a linha branca e o aumento da renda salarial foram responsáveis pelo aumento (+2,70%) no número de consultas ao SPC Brasil no acumulado do ano.

No confronto de outubro com setembro a elevação registrada foi de +2,81%, e na comparação com o mesmo mês do ano anterior alta de +1,63%. O volume de cancelamento de registros (pessoas que regularizam seus débitos no SPC BRASIL) também teve aumento de +5,44% em relação a setembro. Isto porque a queda na taxa de desemprego, a inflação dentro da meta estabelecida pelo BC e o início das contratações temporárias incentivaram os consumidores a regularizar os débitos.

As mulheres continuam sendo as que mais honram seus compromissos (55,20%), contra 44,80% dos homens. O maior número de inadimplentes (49,17%) está na faixa até R$ 100,00.

A
PESQUISA

O Indicador CNDL/SPC Brasil de Vendas e Inadimplência é apurado com base na média de consultas ao banco de dados em todos os Estados do País e no Distrito Federal. Atualmente, o cadastro de consumidores conta com aproximadamente 150 milhões de CPFs (Cadastro de Pessoas Físicas), dentre os quais existem pessoas com débitos e também aquelas que apenas foram consultadas, mas que encontram-se em dia com os seus compromissos financeiros.

O Indicador CNDL/SPC Brasil de Vendas e Inadimplência tem como principal objetivo medir a variação do volume de consultas, tanto de vendas, quanto de recuperação de crédito, em períodos pré-determinados. O público-alvo desta pesquisa é amplo. Abrange não apenas os comerciantes, mas empresários de todos os setores da economia, interessados em auferir com segurança a situação das vendas, recuperação e/ou agravamento da crise econômica, risco de crédito, aumento da inadimplência, elevação do número de consultas e arrefecimento da poupança.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: