Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   23/setembro/2020     
reportagem

Idaron espera que vacinação contra aftosa atinja 100% do rebanho rondoniense

7/11/2009 05:21:11
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O rebanho de Rondônia supera as 11 milhões de cabeças, colocando o estado como o quarto maior exportador de carne do Brasil e o segundo maior produtor de queijo mussarela do país. 


 

Faltando pouco mais de uma semana para o final da 27ª Etapa de Vacinação contra Febre Aftosa, a Idaron alerta os donos de rebanhos de bovinos e bubalinos para o prazo final da imunização. A segunda fase da campanha neste ano será encerrada no dia 15 de novembro (domingo) e a expectativa é proteger 100% das criações rondonienses. Os produtores têm até o dia 22 para declarar a vacinação dos animais em um dos 76 escritórios ou 13 postos de fiscalização da Idaron espalhados pelo estado.

O presidente do órgão, Augustinho Pastore, está bastante animado com o rumo que a campanha vem tomando. “Estamos presentes em todos os municípios e distritos do Estado. Estamos em 89 pontos do estado, mais as estruturas itinerantes. Com toda este sistema, não tem porque nenhum criador ficar fora da campanha e aproveito para dizer que o prazo não será prorrogado”. 

Pastore também endossa a importância da participação dos pecuaristas na campanha, que não é voltada apenas para a proteção contra a doença. Serve também para o desenvolvimento econômico do estado. “Temos 11,2 milhões de cabeças de gado. É o oitavo maior rebanho do Brasil e o quarto maior exportador de carne e derivados do país, além de ser o segundo maior produtor de queijo mussarela. Estes números representam mais de 40% de tudo o que é produzido aqui. Para continuarmos crescendo economicamente, é importante mantermos os 10 anos sem foco da doença. O sucesso da erradicação da febre aftosa se dá ao empenho do Governo de Rondônia e lógico, com o apoio dos pecuaristas”. 

A Idaron tem como objetivo acompanhar e fiscalizar mais de 84 mil pecuaristas de Rondônia e conta com o apoio do Ministério da Agricultura, que considera o trabalho da Agência de Defesa Sanitária um exemplo de controle da doença.

O produtor rural que eventualmente deixar de vacinar o gado até o prazo exigido pela Agência de Defesa será notificado, a propriedade interditada, e, num prazo de 72 horas deverá fazer a imunização do rebanho. A multa para cada cabeça de gado não protegida é de 5 (cinco) UPFs. O valor da UPF equivale a R$ 40,12, ou seja, a multa chega a 200 reais por animal.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: