Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   16/setembro/2019     
política

No PP tem gente pronta para criar problemas à candidatura do ex-prefeito

2/11/2009 16:30:41
Por Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Pelo menos um pepista que é candidato à reeleição de deputado estadual está pronto a impedir a candidatura do ex-prefeito Carlos Camurça em 2010. 


 

Carlos Camurça foi deputado federal duas vezes e também duas vezes prefeito de Porto Velho, a capital rondoniense. Agora, preparando seu retorno à vida pública, Camurça aceitou o convite do governador Ivo Cassol, atual presidente regional do Partido Progressista, filiando-se à legenda, pela qual pretende disputar uma vaga na Assembléia Legislativa rondoniense.

“Com certeza” o ex-prefeito ainda é um nome de respeito junto ao eleitorado, principalmente de Porto Velho. E é exatamente esta posição de destaque que deixou de cabelos em pé outros pepistas crentes de que teriam facilidades de ganhar a eleição pela legenda.

Um deles é o deputado Maurão de Carvalho, interessado em continuar com sua cadeira na Assembléia Legislativa. O deputado Maurão já sobreviveu a crises e escândalos, se reelegendo sempre por contar, principalmente com fortes aliados do segmento evangélico. Ele sobriveu politicamente ao escândalo revelado pela “Operação Dominó”, realizada pela Polícia Federal e que levou para a cadeia o ex-deputado Carlão de Oliveira e até o presidente do Tribunal de Justiça à época.

Carlão foi apenas um dos 21 deputados que sairam da vida pública em decorrência daquele escândalo. Apenas três deputados, Maurão, Chico Paraiba e Kaká Bueno, escaparam, renovando seus mandatos. Chico conseguiu a sorte grande e nunca mais deverá disputar coisa alguma: ele agora é um feliz conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, emprego eterno e excelentemente remunerado que, é claro, só corre o risco de dar zebra se lá prá frente ele resolver meter as mãos na cumbuca, associado a algum esquema de corrupção, como aconteceu com um dos membros daquela corte que também, na “Operação Dominó” foi algemado para passar uns dias no xilindró.

Pois é, o deputado Maurão de Carvalho anda espalhando que não aceitará o partido garantindo legenda ao ex-prefeito Carlos Camurça. Ele sabe que o ex-prefeito da capital sabe mecher o doce e com a votação que se imagina poderá complicar a vida de medalhões como Maurão, mesmo tendo esse a “proteção” da igreja e a capacidade de escapar de complicações decorrentes de operações policiais e judiciais, como a realizada pela temível Polícia Federal.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: