Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   15/novembro/2019     
cidades

Na capital campeã de acidentes, mototaxistas farão passeata em favor da vida

24/9/2009 15:48:14
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Proporcionalmente ao número de habitantes, Porto Velho é a capital com o trânsito mais perigoso. 



Clique para ampliar

Não é preciso ser especialista na matéria para constatar que a maior dos condutores de veículos na cidade de Porto Velho dirigem mal e têm dificuldades em seguir as normas do trânsito em vigor no código e nas portarias do Contran.

O próprio diretor-geral do Detran, Joarez Jardim (que não tem formação para conhecer as minúcias do setor) reconhece que o maior índice de acidentes de trânsito (proporcionalmente) entre as capitais do Brasil acontece exatamente na capital rondoniense.

Mudar esta estatística, segundo informação distribuida à imprensa, é o que ele pretende, implementando ações educativas, especialmente preparadas para este mês de setembro.

E o empresário Joarez Jardim (que pretende ser candidato a deputado federal) acha que essas ações educativas deve atingir primeiramente àqueles que ainda não são condutores de veículos, como é o caso das crianças.

Por isso, no dia 24, segundo informou o setor de imprensa do Detran, foi realizado uma palestra no Centro Integrado da Criança e do Adolescente, foram realizadas blitzes educativas, as quais contaram com a participação dos mototaxistas.

Na sexta-feira, dia 25, sempre com o mesmo objetivo de redução do volume de acidentes, acontecerá uma passeata promovida pelos mototaxistas, em favor da paz do trânsito e da vida, destacou a informação distribuida pelo Detran.

 

INCOMPETÊNCIA

É certo que os condutores de veículos de Porto Velho praticam de forma rotineira manobras que no trânsito de outras grandes cidades são raras e inadimissíveis. Até parece que as escolas de formação de motoristas de Rondônia ensinam propositadamente da maneira errada de como conduzir e se comportar no trânsito.

Entre os motoristas de Porto Velho praticamente ninguém leva em consideração regras de ultrapassagem (que só podem ser feitas pelo lado esquerdo), de conversão (aqui o motorista faz conversão em qualquer lugar e sem sinalizar nada), regras simples como a de entender que a pista de rolamento do lado esquerdo é para se desenvolver maior velocidade, enquanto a do lado direito é para os mais lentos.

Até nos cruzamentos sinalizados com semáforo é fácil constatar a falta de preparo do motorista local, sempre indolente e indeciso em sair do lugar quando abre o sinal.

Em termos de motoqueiros, tudo o que não pode acontecer em outras cidades com grande trânsito acontece aqui de forma rotineira. Eles ultrapassam como bem desejam, costuram perigosamente no trânsito, carregam mais pessoas nas motos do que o permito por lei, andam no meio da pista como se fôssem donos da rua, etc, etc...

 

AUTORIDADES IGNORANTES

Mas se os usuários agem como se tivessem retirado suas habilitações por telefone, também as autoridaes que cuidam desse importante setor são completamente parvas quando se trata de trânsito, uma ciência complexa que não admite soluções prosaicas e surrealistas.

Fernanda, titular da Secretaria Municipal que cuida do transporte e trânsito é uma figura sem qualquer formação na área da engenharia de trânsito. Como neófita que só está no cargo por atender interesses políticos do alcaide, deve achar “must” a existência de três esquinas (uma em cima da outra, praticamente) na avenida Guaporé semaforizadas. Um exagero que jamais um profissional de trânsito admitiria.

Certamente, dona Fernanda deve achar estranha a idéia de que hoje, em centros importantes do mundo, já estuda meios de garantir um trânsito que flua e ao mesmo tempo seja seguro e civilizado, com o mínimo de sinalização e de obstáculos. É o que acontece, por exemplo, em algumas cidades da Holanda onde, após essa nova filosofia, praticamente não existe mais acidentes no trânsito.

Ora, não dá para esconder a incompetência dessa gente. Afinal, são autoridades incapazes até mesmo de normalizar e normatizar o prosaico sistema de estacionamento nas vias da capital. No centro de Porto Velho, por exemplo, é impossível estacionar um automóvel, pois todas os espaços são ocupados por essa verdadeira ditadura das motos. 




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: