Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   19/setembro/2019     
política

Finalmente foi apresentado um plano para a Sa√ļde municipal

1/7/2009 17:44:46
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O plano dever√° ser aplicado at√© 2012. 


 

Ainda é promessa, mas se concretizada, o município de Porto Velho vai ter pelo menos uma unidade de saúde capaz de contribuir para reduzir sensivelmente o excesso de pessoal que lota as unidades de saúde do governo estadual, sobretudo o João Paulo II. Para cumprir com sua obrigação, o município aposta no aporte de recursos por parte da União e das empresas que estão construindo as hidrelétricas do Madeira.

 

O plano apresentado pelo secretário Williames Pimentel (Semusa) e por técnicos do setor será executado em toda a rede municipal de saúde que conta com uma policlínica, sete unidades de Saúde da Família que atendem cerca de 19 bairros, e 14 Unidades de Saúde da Família, uma maternidade, oito equipes do Programa de Agente Comunitário, quatro Pronto Atendimentos, um Samu, uma Unidade de Saúde Tradicional, Departamento de Controle de Zoonoses e a Vigilância Sanitária Municipal. Algumas ações já foram implantadas e outras com previsão de serem desenvolvidas nos próximos meses, com recursos do Ministério da Saúde e das contra partidas das empresas construtoras das duas hidrelétricas.

Com a assinatura do Termo de Compromisso do Pacto pela Saúde, em vigor desde agosto 2008, a Semusa passou a ser gestora e gerente de suas próprias unidades, voltando à condição de Gestora Plena do Sistema Municipal de Saúde. Com isso, o município de Porto Velho aumenta as suas responsabilidades de dirigir o Sistema de Saúde, exigindo uma maior agilidade para garantir melhor atendimento à população, com ações nas áreas de atenção básica, média e alta complexidade e vigilância em saúde. “Este é um momento ímpar em que nós buscamos a participação da sociedade para construirmos um plano estratégico que realmente atenda as necessidades da população”, diz Pimentel.

O Plano prevê também a reorganização da Atenção Básica no município com a ampliação da Estratégia Saúde da Família e PACS, atingindo a cobertura de 70% de Saúde da Família no município. Nesta expansão, estão determinadas ações como a reforma e aparelhamento das Unidades de Saúde, ampliação da rede com a construção de novas USFs, o fortalecimento das ações básicas de saúde através dos programas estratégicos e das ações de vigilância à saúde.

      Entre as ações de vigilância em saúde, a Semusa quer manter acima de 95% as coberturas das vacinas. Para isso deve reestruturar a Rede de Frio e Salas de Vacina  das zonas urbana e rural, contratar e capacitar  mais profissionais, realizar cursos para enfermeiros e técnicos de  enfermagem, entre outras ações. Nas últimas três campanhas realizadas pela Divisão de Imunizações da Semusa, foram atingidas todas as metas apontadas pelo Ministério da Saúde. A campanha de vacinação Infantil anti-pólio, já tem mais de 91% da meta atingida, com 34.368 crianças imunizadas.

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO

Aumentar a resolutividade dos atendimentos de Urgência e Emergência em   Porto Velho, este é o principal objetivo desta ação, que deverá diminuir em 40% o número de atendimentos de atenção ambulatorial a urgência e emergência no Hospital João Paulo II, dos residentes, além de regular os casos de Urgência e Emergência realizada pelo SAMU. Pelo projeto, serão construídas 03 (três) UPAS, duas do tipo II, na zona leste e zona sul e uma do tipo I, no Distrito de Jacy-Paraná.

Algumas ações de média e alta complexidade de urgência e emergência devem melhorar e muito o sistema de saúde pública do município, como o acolhimento mais humanizado ao paciente e seus familiares, o atendimento ordenado de acordo com o grau de sofrimento do paciente ou a gravidade do caso, a realização da consulta médica em regime de pronto-atendimento aos casos de menor gravidade, a realização do primeiro atendimento e estabilização dos pacientes graves para que possam ser transferidos a serviços de maior porte, o apoio diagnóstico (realização de Raios-X, exames laboratoriais, eletrocardiograma) e terapêutico nas 24 horas do dia, entre outras ações.

Para a execução de todas as ações programadas até 2012, a Semusa está contando com recursos do Governo Federal e também das empresas que vão construir as hidrelétricas em Porto Velho. Ao todo são Mais de 8 milhões de reais vindos da empresa que construirá a Santo Antônio, cerca de 3 milhões e meio de reais, vindos da empresa que construirá a hidrelétrica de Jirau e mais 3 milhões e 800 mil reais, vindos do Ministério da Saúde que devem ser destinados às unidades Ana Adelaide, José Adelino, Manoel Amorim de matos, Agenor de Carvalho, Pedacinho de Chão, Caladinho, Mauricio Bustani, Osvaldo Piana, Renato Medeiros e Ernandes Índio na área Urbana e às localidades de U. Bandeirantes, Joana D’Arc, Morrinhos e São Miguel, na zona rural. Os recursos da Santo Antônio Energia vão ser distribuídos para a revitalização, reforma e ampliação, construção e aquisição de equipamentos para as unidades Ana Adelaide, Hamilton Gondim, Alfredo e Silva, Ronaldo Aragão e Rafael V. e Silva na zona urbana e Cujubim, Rio das Garças, São Carlos, Aliança e Calama na zona rural. Já os investimentos com recursos de Jirau deverão ser destinados a zona rural de Jaci-Paraná, Mutum, Abunã, Fortaleza do Abunã, Extrema e Nova Califórnia.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: