Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   15/janeiro/2021     
reportagem

Ministro dos Transportes agride jornalista da CBN de Manaus

30/6/2009 11:27:28
Por Ana Luiza Moulatlet e Thiago Rosa
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

O jornalista Ronaldo Lázaro Tiradentes, da Rede de Rádio e Televisão Tiradentes Ltda., retransmissora da CBN em Manaus, entrou com uma representação junto à Superintendência da Polícia Federal do Amazonas contra o senador licenciado e ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, e seu filho, Gustavo Nascimento, por eventual prática de ameaça e abuso de autoridade. 

No último sábado (27), o profissional e sua esposa, a advogada Kiê Mariee Cavalcante Hara, aguardavam por uma vaga no estacionamento do hangar do Governo do Estado do Amazonas no aeroporto Eduardo Gomes, quando foram abordados pelo ministro dos Transportes, seu filho, e o Capitão da Policia Militar, Wellington Silva.

Segundo a representação, ao ver o casal no carro identificado como da emissora Tiradentes, Alfredo Nascimento tentou arrombar a porta do lado do motorista, gritando para o jornalista: "abra a porta vagabundo, ladrão, safado e desce do carro que eu quero passar por cima de você".

Do outro lado, Gustavo Nascimento tentava arrombar a porta do passageiro. "Aproveitando-se que os vidros daquele lado estavam entreabertos, meteu a mão pelo buraco, agredindo covardemente a esposa do jornalista com vários socos, enquanto esta tentava impedir que ele abrisse a porta do carro", diz o representação.

As agressões só teriam acabado quando o jornalista começou a documentar a cena com seu celular. O ministro teria corrido para não ser filmado, mas o oficial da PM teria continuado a agredir a socos e pontapés os jornalistas Ronaldo Tiradentes e Marcos Santos, que aguardava uma vaga para estacionar logo atrás.

No documento apresentado por Tiradentes, ele afirma que "não bastasse a violência física e verbal dos representados, o ministro dos Transportes, em evidente abuso de poder, convocou os policiais federais que estavam de plantão no aeroporto Eduardo Gomes, para vistoriar o carro utilizado pelo jornalista e sua esposa (...) Alguns minutos depois, chegaram à Sala Vip dois agentes da Polícia Federal informando que o representado Alfredo Nascimento os havia convocado, sob a alegação de que havia uma arma no carro ocupado pelos representantes".

Para Tiradentes, o ocorrido mostra um "ato de vingança" contra ele e seu companheiro Marcos Santos, que comandam o programa de rádio "CBN Manaus". Na atração, eles têm cobrado promessas de campanha do então candidato ao Senado, que prometeu, entre inúmeras coisas, ajudar os idosos com recursos federais, construir um porto em cada cidade do Amazonas, duplicar a BR 174 e asfaltar a BR 319. O ministro está processando os dois jornalistas, em ações que tramitam na Justiça do Amazonas.

Em denúncia feita à Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Tiradentes afirmou que "o lamentável episódio aqui denunciado é um atentado à liberdade de expressão e mais uma reação antidemocrática do ministro Alfredo Nascimento às críticas que esta emissora tem feito à figura pública que tantas promessas fez ao longo de suas campanhas sem, no entanto, cumpri-las".

Na carta, endereçada ao presidente da entidade, Sergio Murillo de Andrade, o jornalista de Manaus narra o ocorrido, e o considera uma "clara afronta aos direitos democráticos e à liberdade de informação tão duramente conquistados em nosso País". A ação do ministro, para ele, é "mais uma demonstração desse comportamento arbitrário e ditatorial, que não respeita a convivência democrática".

"Ficam patentes o abuso de poder, a tentativa de intimidação e a falta de espírito democrático e de decoro do ministro. O senador e ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, não vai calar a Rádio CBN Manaus. Essa trincheira da liberdade de imprensa será defendida até o último momento, buscando resguardar a sociedade de políticos que não cumprem as promessas e sobrevivem de renová-las a cada eleição, como é o caso dele", diz Tiradentes.

O Portal IMPRENSA entrou em contato com a assessoria do ministro e aguarda posicionamento.

FONTE: Portal Imprensa




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: