Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   17/setembro/2019     
política

Por que o Ministério Público não exige recato na publicidade do prefeito?

6/6/2009 18:47:40
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O evento foi na manhã do dia 4, mas a publicidade maquiada do prefeito foi veiculada até na noite da sexta-feira, num desperdício de dinheiro público. 



Clique para ampliar

A corrupção de princípios é inquestionável no exercício do poder em todo o Brasil e, portanto, não poderia ser diferente em Rondônia. As manobras do prefeito Roberto Sobrinho para naquiar e fazer propaganda enganosa, destinada a autopromoção de sua gestão à frente da prefeitura não obedece nenhum limite.

 

Na parte da propaganda a prefeitura de Porto Velho age sem nenhum recato, como que tendo a certeza de que não será, em nenhuma hipótese, alvo do sempre atento Ministério Público Estadual, mesmo quando esta instituição já está careca de saber que desde que Sobrinho assentou-se no “trono” municipal quase sempre surgiram entraves no processo legal e normal de contratação desses serviços.

 

A sorte é que o prefeito – como foi anteriormente – continua não tendo oposição e tão pouco fiscalização por parte da Câmara Municipal. Aqui ninguém quer se oposição, preferindo ficar do lado que a vaca deita.

 

E assim, aquilo que era prá ser um simples comunicado aos interessados em participar do programa “Bolsa Família”, do governo federal, foi transformada numa peça publicitária de autoelogio à administração do prefeito petista (como se ele tivesse algum mérito nisso e não apenas atuasse como coadjuvante na inscrição dos beneficiados pelo programa), veicululada macissamente nos principais canais de TV, em horário nobre, quando o preço da veiculação é muito mais caro.

 

Roberto Sobrinho, claro, procurou, mais uma vez, tirar o máximo de interesse político pessoal e para o seu partido, por entender que o Bolsa Família não é um direito e sim uma dádiva.

 

A desfaçatez dos homens públicos em torrar o dinheiro do contribuinte é uma coisa corriqueira nesse país, principalmente em locais onde instituições como o Ministério Público parece não ter interesse em perceber como o dinheiro do contribuinte municipal é jogado pelo ralo por essa administração.

 

Aliás, é melhor mesmo que essas instituições fiquem na superfície, sem investigar nada com mediana profundidade, pois se não fosse assim acabariam descobrindo que certos políticos titulares de cargos públicos só mudaram o seu perfil econômico depois que aderiram ao víco de meter a mão no dinheiro do povo, mandando definitivamente a ideologia prás cucuias.

 

Será que nas instituições como o Ministério Público tem alguém pronto a exigir exemplar honestidade e transparência dos nossos homens públicos ou também chegaram à conclusão de que tudo é farinha do mesmo saco?




Comentários (1)
rios de dinheiro

Gastar rios de dinheiro com propaganda e de forma tão ardilosa é uma coisa horrenda.... Mas é típica desse nosso Brasil...

José de Almeida - Manaus/ AM.
Enviado em: 9/6/2009 08:26:39  [IP: 200.101.66.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: