Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   15/novembro/2019     
cidades

Equipe da FEI sagra-se campeã da Competição Fórmula SAE BRASIL-PETROBRAS

10/11/2008 12:51:41
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Competição de engenharia avaliou tecnicamente veículos construídos por dez equipes, no Campo de Provas da Goodyear. 


 A equipe Fórmula FEI, composta por estudantes do Centro Universitário da FEI, sagrou-se bicampeã na V Competição Fórmula SAE BRASIL-PETROBRAS, encerrada neste domingo (9), no Campo de Provas da Goodyear, em Americana, São Paulo. A equipe de São Bernardo do Campo obteve 888,46 pontos e foi seguida pela equipe V8, da Faculdade de Sorocaba (Facens), com 457,53 pontos. A competição teve início sexta-feira (7), e reuniu nove carros, tipo Fórmula SAE, projetados e construídos por estudantes de engenharia do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia, além de São Paulo.

Com 888,46 pontos, a equipe Fórmula FEI também conquistou a melhor pontuação nas provas de aceleração, design, custos, skid pad (teste de estabilidade e aceleração lateral do veículo), autocross e no enduro, onde o carro percorreu 22 km de circuito de cones em apenas 26,5 minutos. Além do empenho da equipe, o capitão Jean Tavares Horcaio atribuiu a liderança às inovações no carro. “Reduzimos bastante peso com aplicação de novos materiais no conjunto de rodas e no sistema de entrada de ar, além de desenvolvermos um volante que transmite dados ao piloto”, contou o estudante ao comemorar o resultado com a equipe de 18 integrantes.

O carro da equipe V8 também atraiu a atenção dos juízes da competição, todos especialistas da indústria da mobilidade. Entre as inovações, a equipe apostou num carro bastante compacto. “Reduzimos em 50 kg o seu peso, com o uso de fibra de carbono e usinagem de peças”, afirmou André Ferreira de Souza, capitão da equipe, campeã em 2007. A terceira colocada na competição foi a equipe Solid Edge EESC USP, da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo.

Com o resultado, as equipes Fórmula FEI e V8 ganharam o direito de representar o Brasil em 2009, nas competições norte-americanas, a serem realizadas em Michigan e Califórnia, respectivamente, pela SAE International, da qual a SAE BRASIL é afiliada. Além de troféus, as três equipes ganharam da Goodyear um jogo de pneus.

A V Competição Fórmula SAE BRASIL-PETROBRAS homenageou, ainda, a equipe FSAE, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no quesito apresentação. Já a equipe Fórmula UNIP, da Universidade Paulista, campus São Paulo, foi destaque na prova de consumo de combustível. O carro da equipe paulistana precisou apenas de 3,97 litros para percorrer as 22 voltas do enduro, a última prova do domingo.

Com 15 equipes inscritas, a competição avaliou os carros desde a concepção técnica (projeto, relatórios de engenharia e inspeção técnica) até a viabilidade comercial do projeto, que englobou relatório de custos e apresentação do projeto. Além disso, os carros enfrentaram provas dinâmicas, como aceleração, frenagem, manobrabilidade, consumo de combustível e desempenho em pista. Seguindo o regulamento, os carros têm motores 4 tempos e cilindrada máxima de 610 cm³.

Os veículos Fórmula SAE surgiram na década de 1970 e são projetados por estudantes de graduação e pós-graduação de engenharia, de acordo com regras definidas pela SAE International. A prova é realizada, também, nos Estados Unidos, Inglaterra, Itália e Austrália. O Brasil passou a integrar o circuito em 2004. O objetivo é fomentar a especialização técnica da engenharia da mobilidade brasileira, em veículos de alto desempenho.

Vilmar Fistarol, presidente da SAE BRASIL, ressalta a complexidade dos projetos de veículos fórmula como um dos principais desafios encarados pelos futuros engenheiros neste tipo de competição. “Construir um carro tipo fórmula é sempre um desafio, pois para se obter um veículo de alto desempenho é preciso dominar diversas tecnologias de ponta, não apenas na teoria, mas na prática. Por este motivo, os estudantes que participam da Fórmula SAE são altamente requisitados pelo mercado”, afirma Fistarol.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: