Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   22/outubro/2019     
política

CPI do Leite ouvirá técnicos da Emater e da Conab

3/11/2008 16:59:01
Por Imprensa Popular
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



A CPI, presidida pelo deputado Jesualdo Pires, do PSB, já ouviu Carlos Magno, Secretário da Agricultura, e Sorrival Lima, titular da Emater. 


 A CPI do Leite tem como objetivo, segundo seu próprio presidente, o deputado Jesuado Pires, investigar em profundidade se há mesmo cartelização do setor, trabalhando no sentido de causar prejuízos ao segmento produtivo da pecuária leiteira que, ao longo dos últimos meses vem denunciando essa prática como uma das responsáveis pela situação caótica existente hoje nas bacias leiteiras do estado.

O deputado Jesualdo, presidente da CPI, ouviu inicialmente os principais responsáveis pela política do setor primário no estado, ou seja, o Secretário de Estado da Agricultura, Carlos Magno, e o titular da Emater, Sorrival Lima.

Jesualdo considerou que as duas autoridades contribuíram muito com suas explanações para o aprofundamento das investigações da CPI. Agora, de acordo com Jesualdo, os membros da CPI irão sabatinar técnicos da Emater, no próximo dia 11 de novembro, quando também ouvirá representantes da Câmara Setorial do Leite.

Em dezembro, mais especificamente no dia 2, a CPI vai ouvir representantes da Conab e representantes dos produtores.

O deputado Jesualdo considera que este é um assunto muito importante para economia do Estado, “pois há uma reclamação generalizada que a indústria de laticínios tem praticado um preço vil, não cobrindo os custos de produção do leite”, podendo inviabilizar o setor se esse sistema agir de forma cartelizado como, parece, está acontecendo agora.

INCENTIVO FISCAL

O Secretário da Agricultura Carlos Mágno explicou à Comissão Parlamentar de Inquérito que, atualmente as indústrias de processamento do leite em Rondônia recebem um incentivo fiscal onde contribuem com 0,70% do faturamento para o programa Pró-leite criado em 1999 e gerido pela EMATER.

Dentre as dificuldades enfrentadas no setor, o secretário alertou para o estrangulamento feito pelos atravessadores que acabam lucrando mais que as indústrias e que os produtores rurais.

Ele acrescentou também a sugestão de um incentivo para a produção de leite em Granelização (produto resfriado em tanques pelos próprios produtores), agregando mais valor e qualidade no leite.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: