Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   24/maio/2019     
reportagem

Cesgranrio explica falhas em concurso do TJ

23/10/2008 13:22:57
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



De acordo com o ofício, devido a lapso na contagem de provas quando do envelopamento, os exemplares contidos no envelope lacrado não foram suficientes para os candidatos presentes. 


 Um "lapso" teria sido a causa do episódio ocorrido durante a aplicação das provas objetivas do concurso do Tribunal de Justiça de Rondônia. Segundo a Cesgranrio, empresa responsável pela organização do certame, tudo correu à perfeição, com exceção do incidente na sala 09 da FARO (Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia).

Segue a íntegra do ofício encaminhado pela Fundação Cesgranrio.

"Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2008

Ofício CONC. 225/2008

Ao
Meritíssimo Juiz Francisco Borges Ferreira Neto
Juiz Auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia

Meritíssimo Juiz,
No último domingo, 19 de outubro, a Fundação Cesgranrio aplicou as provas do Concurso Público para o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.
Ao Concurso acorreram mais de 29.000 (vinte e nove mil) inscritos, disputando vagas em 18 (dezoito) cargos, de nível médio e superior, distribuídos nos municípios de Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim , Jaru, Ji-Paraná, Porto Velho, Rolim de Moura e Vilhena.
O índice de faltosos foi de apenas 7,6% (sete vírgula seis por cento).
As provas transcorreram em clima de total tranqüilidade e apenas um único episódio destoou da impecável operacionalização do evento.
Quando da distribuição das provas para o cargo de Agente Judiciário (Jornalista) na sala 09 da FARO – Faculdade de Ciências Humanas e Letras de Rondônia, constatou-se que os exemplares contidos no envelope lacrado, devido a lapso na contagem de provas quando do envelopamento, não seriam suficientes para os candidatos presentes. Alertado pelos fiscais, a Chefia de Local providenciou o reforço de exemplares das Reservas Técnica e Suplementar que, ainda assim, deixaram de suprir 5 (cinco) candidatos.
A Chefia de Local contatou a Coordenação Central que providenciou o transporte da Reserva Suplementar da UNIRON – União das Escolas Superiores de Rondônia, em completa condição de segurança e inviolabilidade, para atender à carência existente.
Os candidatos da sala, apesar do natural estresse estabelecido, tiveram o discernimento de atender à orientação da Chefia de Local para que todos aguardassem, em sala, a chegada do reforço de provas necessário sob a garantia de que o correspondente atraso para o início efetivo das provas seria compensado de forma a preservar a duração estipulada na capa das provas.
Após a chegada da Reserva Suplementar da UNIRON , os candidatos puderam constatar que os envelopes estavam lacrados e seus conteúdos acondicionados na forma antecipadamente esclarecida pelo Representante da Fundação Cesgranrio e, às 9 horas e 43 minutos, iniciaram suas provas.
Cabe esclarecer que a última candidata a concluir sua prova o fez antes de decorridas as 3 (três ) horas previstas de duração.
Face ao exposto, enfatizamos que o episódio, ainda que inoportuno, não maculou sob nenhuma forma a inequívoca lisura que permeou a realização das provas do Concurso Público para o Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.
Apresentamos, em anexo, cópias dos Termos de Abertura dos Malotes de Provas da FARO e da UNIRON nos quais candidatos , aleatoriamente escolhidos, atestaram a absoluta inviolabilidade dos mesmos.
Prontos para demais esclarecimentos eventualmente necessários, firmamo-nos,

Atenciosamente,

Avelino Werner
Coordenador de Concursos "


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: