Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   27/janeiro/2020     
política

Apoio de Lula não é decisivo para garantir vitória a Roberto

28/9/2008 19:10:39
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Parodiando o jogo que é a paixão nacional, bem ao gosto do presidente Lula da Silva, eleição é como jogo de futebol: só termina quando o juiz dá o apito final. 


 No confronto pela prefeitura de Porto Velho, apenas Roberto Sobrinho conta com o apoio declarado do Presidente Lula da Silva. Afinal ambos são do mesmo partido, o PT. A maioria dos outros concorrentes de peso, como se sabe, também faz parte da base aliada de Lula.

Esse é o caso de Lindomar Garçom, membro da bancada do PV na Câmara dos Deputados, de Mauro Nazif, da bancada do PSB, e até de David Chiquilito, sem mandato, do PCdoB, um dos partidos mais “íntimos do PT” no plano federal da base aliada governista. Na verdade, entre os concorrentes poderia se dizer que apenas o tucano Casara está na chamada “oposição” ao governo petista.

De todos esses candidatos, somente Lindomar Garçom dispensou, até agora, a participação de membros do governo federal em seu programa eleitoral. Nem por isso o candidato do PV está ameaçado em sua posição de segundo lugar nesse confronto.

David Chiquilito já apresentou ministro e outros políticos de expressão nacional de seu partido (como Aldo Rabelo, que é vice na chapa de Marta Suplicy, na disputa pela prefeitura da capital paulista) hipotecando apoio à sua candidatura e nem por isso conseguiu melhorar sua pontuação nas pesquisas divulgadas.


E O PRESTÍGIO DE LULA?

Com a popularidade em alta, Lula se transformou no cabo eleitoral dos sonhos de Roberto Sobrinho, o candidato a reeleição. É ele que tem presença garantida nos programas eleitorais do prefeito, demonstrando que os responsáveis pelo marketing do PT estão certos de que o presidente Lula, mesmo sem vir pessoalmente a Porto Velho, tem tudo para ser o grande puxador de votos da atual campanha, afinal o presidente tem, de acordo com pesquisa CNT/Sensus 77,7% de aprovação do eleitorado brasileiro.

Analistas da disputa eleitoral tem uma visão mais comedida sobre esses “apoios” ao candidato oficial. Para aqueles que foram ouvidos por Imprensa Popular “a transferência de votos não é uma coisa automática”. Por isso estes analistas minimizam “o peso desse importante cabo eleitoral” na decisão dos eleitores, “a ponto de garantir uma vitória em primeiro turno de seu apadrinhado político em Rondônia”.


O ALIADO DE GARÇOM

Na matemática política da utilização dos cabos eleitorais de peso no Estado, o nome do governador Ivo Cassol merece destaque. Ele também tem grande popularidade em Rondônia, especialmente no interior. Tanto que praticamente ninguém duvida de que Cassol não terá maiores dificuldades em eleger-se senador no pleito de 2010, caso seja realmente candidato.

Lindomar Garçom vem se apresentando desde o momento em que começou a articular sua candidatura a prefeito, como o legítimo candidato de Ivo Cassol. Todavia só começou a utilizar, no programa eleitoral, a imagem do governador após as primeiras aparições de Lula no programa de Roberto Sobrinho. A demora, segundo explicações do próprio Lindomar, foi motivada para não melindrar “o outro candidato da base aliada do governador na Assembléia Legislativa”.

Os demais candidatos desse pleito que não contam com “padrinhos políticos” da envergadura de Cassol e Lula minimizam os efeitos “desse tipo de apoio” porque, como disse a Imprensa Popular o candidato do PSOL, Adilson Siqueira, não existe “essa transferência de votos” que tanto Roberto Sobrinho como Lindomar Garçom esperam obter de seus padrinhos.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: