Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   22/setembro/2019     
política

“Não tem solução”. É o que disse Marinho Melo sobre o trânsito

28/9/2008 19:06:34
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O vereador faz parte da base aliada do prefeito. Nem por isso deixou de reconhecer, num pronunciamento feito no dia 23, que falta capacidade para a cúpula atual da Semtran resolver o caos do trânsito urbano. 


 Se a prefeitura não trouxer técnicos especializados em trânsito de outras partes do país, o setor continuará caótico em Porto Velho. A conclusão de que o poder público municipal não tem credibilidade suficiente para enfrentar as decisões que poderiam melhorar o trânsito da capital rondoniense foi transmitida pelo vereador do PMDB, Marinho Melo, que faz parte da base aliada do prefeito Roberto Sobrinho.

E para o vereador, que disputa a reeleição, a Prefeitura – através da Secretaria Municipal de Transporte – precisa procurar com urgência técnicos especializados no assunto, com experiência em cidades do porte da capital rondoniense, para evitar o verdadeiro colapso que se avizinha, especialmente porque “todos os meses o Detran licencia mais de mil novos veículos” para rodar por ruas mal sinalizadas e que já estão apinhadas de veículos.

Marinho fez o alerta no costumeiro estilo de falar pausadamente para dar a impressão que não critica a administração petista.

Reafirmando que cidade precisa de medidas urgentes para fazer o trânsito urbano funcionar, ele acabou reconhecendo que por falta de engenheiros de trânsito e de técnicos especializados a Secretaria do Transito, dirigida atualmente por Fernanda, uma jovem de quase nenhum experiência para lidar com estas questões, não dá credibilidade ao poder público.

O vereador acredita na existência de muitas alternativas para consertar o caos do tráfego urbano, mas “se elas não caminharem na direção de privilegiar o transporte coletivo em detrimento do individual não haverá solução duradoura”.

A falta de alguém capaz de compreender a engenharia urbana faz com que nos dias de hoje automóveis, motos, bicicletas e ônibus que o trânsito continuará oprimindo os moradores da cidade, pois com o seu previsível crescimento populacional não teremos “nem mesmo a ordem desordenada” de hoje, explicou o vereador ao conversar com Imprensa Popular.



FUTURO INCERTO

Interessado em tratar desse tema sem superficialidade, Marinho Melo garantiu que se vier a conquistar um novo mandato vai se debruçar em defender novas opções de políticas urbanas, para evitar “o incerto futuro” que se desenha com o avanço cada vez mais rápido de Porto Velho como uma cidade cosmopolita.

O vereador imagina que a cidade, com o advento das hidrelétricas do Madeira, da ligação ao Pacífico através da BR-364 até sua ligação com o Peru, vai se soltar cada vez mais dos trilhos, espalhando-se em periferias precárias. Será – especulou o vereador ao conversar com Imprensa Popular – sobreviveremos aos congestionamentos que já estão presentes em nosso dia-a-dia, inclusive gerando poluição?

É sobre esses problemas e as possíveis decisões que Marinho pretende se debruçar ao renovar o seu mandato. É preciso, disse ao concluir, “que os próximos vereadores e o prefeito defenda modelos de cidade que evite a transformação de Porto Velho numa nau desgovernada”.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: