Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   14/novembro/2019     
cidades

Cassol lança outra grande obra: 100% de água tratada para Porto Velho

13/8/2008 08:30:39
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O sistema de captação, tratamento e distribuição de água para 100% dos imóveis da capital rondoniense estará pronto em 18 meses. A ordem de serviço foi assinada em evento realizado no auditório do Tribunal de Contas. 


 Dentro de 18 meses, a contar do dia 12 de agosto, o deficiente sistema de abastecimento de água tratada em Porto Velho, de responsabilidade da Caerd, será uma página virada na história da capital. Graças ao empenho do governador Ivo Cassol a distribuição de água tratada aos moradores da capital chegará a 100%, um sonho que até então parecia difícil de se tornar realidade.

Ainda hoje, segundo dados da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia, apenas 50% da população portovelhense tem acesso a este benefício fundamental para a melhoria dos índices de saúde e qualidade de vida, realidade que estará completamente modificada a partir do esforço do governador Ivo Cassol, numa parceria com o governo federal, através do Ministério das Cidades.


PARTICIPAÇÃO DO ESTADO
A obra de ampliação do sistema de captação, tratamento e ampliação da rede de distribuição de água para atender toda a população de Porto Velho tem custo previsto de R$ 112.264.301,38. Desse valor o Estado participa com um terço e o governo federal com o restante.

Essa divisão de responsabilidade econômica foi uma vitória do próprio Governador Ivo Cassol quando foi negociar a participação do Estado nessa obra que faz parte do PAC. Ao presidir a solenidade de lançamento das obras que universalizarão a distribuição de água tratada à população da Capital, o próprio governador lembrou "a negociação feita com a Ministra Dilma Roussef" nesse sentido: "O governo federal queria que o estado bancasse dois terços do valor da obra mas a gente soube exigir uma compensação especial para Rondônia e diferentemente dos acordos firmados com outros estados da federação, aqui o estado vai bancar apenas 1/3 do valor, ficando em condições de investir em outros setores, em favor de outras melhorias sociais".


PROPAGANDA MENTIROSA
Ao falar no evento em que assinou a ordem de serviço para o início das obras, o governador Ivo Cassol lamentou a tentativa do prefeito Roberto Sobrinho em tirar proveito político dessa importante obra de saneamento para a população da capital, "veiculando por dias e dias na televisão uma propaganda enganosa e capciosa" sobre o assunto, como disse o governador.

Ele explicava ao representante do ministro Márcio Fortes e à platéia que o prefeito de Porto Velho tentou, com a publicidade da prefeitura, iludir o povo de Porto Velho, passando a idéia de que "esta grande obra era fruto do esforço da prefeitura e do governo federal".

Na publicidade da prefeitura o papel do Estado era simplesmente omitido, "até mesmo quando se afirmava que o dinheiro para a implantação desse sistema de distribuição de água tratada em 100% da capital já estava garantido na Caixa Econômica", destacou o governador para dizer em seguida:

"É bom que fique claro, de uma vez por todas, que o município de Porto Velho não entrou nesse programa com um centavo sequer. E ai está o representante do Ministro para confirmar. Esta obra de imenso cunho social, que resgata anos de omissão do poder público nesse setor, acontece agora pelo esforço do governo estadual que é, juntamente com o governo federal, que banca seu custo financeiro. Não aceito essa postura do prefeito de Porto Velho, pois não é justo fazer festa com o chapéu alheio", acentuou enfaticamente.


CAERD E SEPLAN

As obras do PAC Saneamento para Rondônia – estão sob gestão da Secretaria de Estado de Planejamento – Seplan. O valor estimado de obra é de mais de R$ 112 milhões, que irão proporcionar a construção de uma nova rede de distribuição de água de 453.992 metros - o equivalente a 454 quilômetros, com prazo de 18 meses para execução. Futuramente os municípios de Ji-Paraná, Jaru e Ariquemes também serão contemplados com obras desta natureza.

Sérgio Antunes Gonçalves, representando o ministro Márcio Fortes, do Ministério das Cidades, destacou a importância do projeto para a população da capital do estado, independente da cor partidária. "Todos ganham quando os governos federal, estadual e municipal trabalham juntos. 75% da população do Brasil estão sendo beneficiados pelas obras do PAC", disse, destacando a importância do governador Ivo Cassol para que o processo de implantação fosse levado adiante, negociando em Brasília a execução do projeto e mantendo a Caerd com a gestão compartilhada ao longo de sua administração.

O representante do ministro confirmou que as obras são frutos da parceria do Governo do Estado de Rondônia com o Governo Federal e os recursos são provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, com contrapartida do Estado. Na solenidade serão assinados dois contratos: o de Obras, com a empresa Andrade Gutierrez - no valor de R$ 112.264.000,00 – para implantação do sistema de abastecimento de água na cidade Porto Velho, e o de Prestação de Serviços Técnicos Especializados, no valor de R$ 4.100.000,00, com a empresa Arquitec, para gerenciamento, fiscalização, análise dos projetos, supervisão e acompanhamento das obras de ampliação de abastecimento da capital.


NÚMEROS DA OBRA
Após os 18 meses de obras – que serão realizadas pela Andrade Gutierrez – serão implantados quase 454 km de rede distribuição de água, para atender a mais 18.130 novas ligações de consumidores. O sistema de captação do Madeira terá a implantação de novas adutoras e a capacidade da estação de tratamento será acrescida em 1.600 litros por segundo.

Novos reservatórios serão construídos em diversos pontos da capital, com o sistema de recalque que, como se sabe, levará às áreas mais altas de Porto Velho o fornecimento seguro 24 horas por dia. "Vai acabar aquela conversa de que a água é fraca e não sobe aos reservatórios dos imóveis sem a ajuda de uma bomba domiciliar", explicava a IMPRENSA POPULAR um técnico da Caerd.

As obras, segundo se informou, começarão pela zona sul de Porto Velho, mas vários canteiros de obras estarão funcionando concomitantemente nas diversas regiões da cidade.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: