Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   26/setembro/2020     
reportagem

Diagnóstico precoce do câncer de mama pode evitar morte

26/7/2008 11:12:42
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Isso é o que disse a especialista Hilka Flávia em palestra a médicos ginecologistas de Porto Velho. 


 O alerta sobre a importância do diagnóstico precoce de câncer de mama foi feito pela médica Hilka Flávia Barra do Espírito Santo, da Fundação Cecom, durante palestra ministrada no Conselho Regional de Medicina de Rondônia, em sua sede de Porto Velho, para médicos da área de ginecologia.

A médica diz que o câncer de mama tem sido o principal responsável por óbito de câncer entre as brasileiras. Segundo ela, o acompanhamento de um especialista, a mamografia periódica e o auto exame podem garantir o diagnóstico precoce. “Com este diagnóstico precoce, as possibilidades de cura são bem maiores”.

Hilka Flávia explica que a primeira mamografia de base ou padrão deve ser feita quando a mulher está com idade entre 35 e 40 anos. No período entre 40 e 49 anos, a mulher deve fazer uma mamografia a cada dois anos ou de ano em ano, dependendo dos fatores de risco. Acima dos 49 anos, diz ela, é necessária uma mamografia a cada ano. A especialista informa que as estatísticas atestam que a maioria dos casos ocorre quando a mulher está na faixa etária de 40 a 50 anos.

As orientações, segundo a médica, devem ser dadas as mulheres pelos médicos ginecologistas, ‘e aí está a importância do médico está bem instruído sobre o assunto’. O tema foi exposto durante o terceiro módulo de ginecologia do Curso de Educação Médica Continuada, realizado pelo Cremero em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O curso tratou de assuntos referentes a mastologia para o ginecologista, patologias benigna e maligna da mama e casos clínicos.

A presidente do Cremero, médica Inês Motta, elogiou a palestra e destacou a participação dos médicos no curso, dizendo que há uma abertura muito grande dos profissionais para a aprendizagem de novos métodos práticos. “Os médicos estão aproveitado bem as palestras, faz valer a pena o esforço do Cremero”, disse.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: