Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   16/setembro/2019     
cidades

Buracos tornam perigosas as ruas de Porto Velho

17/3/2008 07:35:03
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Não existe uma rua da capital rondoniense que não tenha buracos. Esta uma situação que se perpetua porque os prefeitos sempre adotam o tal “asfalto casca de ovo”, que não dura nada. E nesse estado, algumas ruas são verdadeiras armadilhas que causam sérios acidentes de trânsito. 


 A rua José Camacho, ao lado do Clube Botafogo e nas proximidades da rua Elias Gorayeb, numa área nobre de Porto Velho, se transformou num trecho crítico, como dezenas de outras ruas esquecidas pela administração municipal chefiada pelo prefeito Roberto Sobrinho, do PT.

E foi por isso que na tardezinha do sábado, dia 15, um grave acidente envolvendo um automóvel e uma moto acabou certamente destruindo o fim de semana de mais duas famílias, mandando para o hospital, em estado grave o jovem motoqueiro. Um dia antes, conta Jorge, o dono boteco ao lado do enorme buraco que provocou o acidente, “uma mulher numa bicicleta, também acabou sendo acidentada, ficando o braço quebrado, ao cair no maldito buraco”.

COISA ANTIGA

Na rua José Camacho, o problema já é tão antigo que até os moradores perderam a noção de quando os buracos no asfalto começaram a aparecer. Na verdade essa é a situação da maioria das ruas de Porto Velho, onde o problema se perpetua até mesmo em bairros nobres da capital, como Alfaville, Jardim América, Santo Antonio e Jardim das Mangueiras, que é onde o prefeito mora.

A buraqueira, aliada à falta de qualquer tipo de sinalização transforma em risco muitos trechos para os condutores de veículos que andam neles pela primeira vez. São riscos de danificar a suspensão dos carros, de cair nos buracos ou de colisões em locais onde é preciso – para desviar das crateras – andar um pedaço na contra-mão.

Isso foi, por exemplo, o que aconteceu na rua José Camacho, proximidade da Rádio Transamazônica FM. Naquele trecho a José Camacho é uma rua de grande fluxo de veículos, nem por isso a solução desse problema entra na pauta das prioridades da prefeitura. Nela existem vários buracos aniversariando.

PROPAGANDA ENGANOSA


O prefeito de Porto Velho veicula uma cara propaganda na televisão vendendo a imagem de uma administração operosa que – como diz – tem feito obras em todos os cantos da cidade, especialmente na revitalização do centro da capital, com a reforma de praças, etc, etc.

A realidade é muito diferente da propaganda oficial, que só engana as pessoas mais ingênuas ou que não tenham parâmetros de comparação entre a administração da capital rondoniense e outras cidades de seu porte espalhadas pelo Brasil.

A propaganda oficial escamoteia, por exemplo, a informação de que as praças reformadas na área central (duas apenas) tiveram suas obras custeadas pela iniciativa privada e não pelos recursos próprios da prefeitura. E mesmo assim foram reformas capengas. São praças pequenas, sem jardim, de arborização pobre, sem equipamentos comuns nestes espaços. Nada realmente significativo em termos de lazer ou de embelezamento urbano.

Em se tratando das ruas, a propaganda oficial esconde as centenas de crateras, fendas, falhas e rachaduras existentes em todas as ruas de Porto Velho, inclusive naquelas em que a pavimentação foi feita recentemente na atual gestão do PT.

Como a pavimentação realizada pela prefeitura é de péssima qualidade, na temporada de chuvas aparecem centenas de buracos todos os dias. Não tem operação tapa-buracos que dê conta de acompanhar o ritmo de surgimento de tantas crateras. A pavimentação das ruas de Porto Velho é repleta de remendos, mais parecendo um tabuleiro de xadrez. Há muitos trechos onde o tapa-buraco não resolve mais nada e é apenas jogar dinheiro fora. Mas se a prefeitura não consegue fechar as crateras abertas pela chuva, como esperar que ela faça obras duradouras de recapeamento das vias que de tantos remendos tem o pavimento em desníveis perigosos?

SEM OPOSIÇÃO

A sorte do prefeito Roberto Sobrinho é não ter de enfrentar na Câmara Municipal uma oposição atuante. Assim, além de não sofrer críticas (raramente um secretário seu é criticado e quase nunca pela incompetência) praticamente não é também fiscalizado pelos vereadores.

Sem oposição, o Executivo faz o que quer e isso enfraquece o exercício democrático pois o Executivo passa agir com características de ditadura sem o povo ter a quem reclamar.

O fato é que a administração municipal petista não tem grandes diferenças das administrações anteriores. Roberto Sobrinho é um prefeito muito individualista, centralizador e que terá como grande marca o aparalhemento petista da municipalidade.

Como não existe na Câmara Municipal ninguém para criticar, para cobrar e exigir ações que possam melhorar a qualidade de vida dos moradores de Porto Velho, a cidade continua com os seus mesmos antigos problemas porque a administração municipal está paralisada. Quase quatros dessa gestão não serviu para resolver coisas prosaicas, como terrenos baldios e cheio de matagal no próprio centro, regulamentação de estacionamento de carros e motos no centro da cidade, trânsito que caminha para o colapso, ruas bloqueadas pelo comércio informal e muitas vezes criminoso, alagações em locais onde a prefeitura enterrou milhares de reais sem resolver o problema, isso sem falar da falta de obras estruturantes. Mesmo os projetos sociais em execução só existem porque o dinheiro vem da União.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias

23/11/2012 20:12:09 - SINDCONTAS ganha novo portal

Publicidade: