Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   10/dezembro/2019     
reportagem

Petisco inicia programa para dar trabalho a presos do ‚ÄúEnio Pinheiro‚ÄĚ

15/3/2008 08:46:57
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O novo programa de ressocializa√ß√£o de apenados do sistema carcer√°rio come√ßa com 60 presos em Porto Velho, mas poder√° chegar a pres√≠dios do interior. 


 Uma parceria entre as Secretarias de Estado da Justi√ßa (SEJUS) e da Agricultura, Produ√ß√£o e do Desenvolvimento Econ√īmico e Social (SEAPES) vai permitir a 60 presos da Col√īnia Penal ‚Äú√änio Pinheiro‚ÄĚ, na capital, aprenderem o of√≠cio de hortel√£o, ou olericultor.

Com uma vantagem: todos os apenados v√£o ser instru√≠dos sobre como produzir plantas org√Ęnicas - tratadas sem defensivos t√≥xicos nem aduba√ß√£o qu√≠mica ‚Äď al√©m de serem estimulados a participar do projeto desde a prepara√ß√£o da terra (etapa j√° conclu√≠da) at√© a constru√ß√£o das estufas, da confec√ß√£o dos canteiros ao plantio, colheita e comercializa√ß√£o dos ma√ßos de agri√£o, alface, almeir√£o e r√ļcula e das caixas de tomate, piment√£o, beterraba, berinjela e outras esp√©cies de hortali√ßas.

‚ÄúQuerer ressocializar o preso sem lhe dar sequer a chance de dominar um of√≠cio √© uma ilus√£o, por isso articulamos esta iniciativa, que pode ser replicada em outros estabelecimentos prisionais‚ÄĚ, afirma Marco Antonio Petisco, secret√°rio titular da SEAPES.

Segundo ele, al√©m de disponibilizar 8 000 quilos de calc√°rio dolom√≠tico, que ser√£o trazidos da jazida de Espig√£o do Oeste t√£o logo sejam conclu√≠das as oito estufas, cada uma com 150 metros quadrados (5m x 30m), a SEAPES tamb√©m colocou √† disposi√ß√£o do projeto a engenheira agr√īnoma Solange Dantas, graduada pela Universidade Federal da Para√≠ba (UFPB), p√≥s-graduada em Fitopatologia pela Universidade Federal de Lavras (MG) e mestre em Fitotecnia pela Escola Superior de Agronomia de Mossor√≥ (RN).

Os apenados que participam do projeto terão uma oportunidade de encontrar colocação no mercado de trabalho ao fim de suas penas e ainda ganham o benefício da remissão - a cada três dias trabalhados, um é reduzido do tempo a que cada um foi sentenciado.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: