Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   29/março/2020     
reportagem

Obra de Hitler à venda em livrarias de Porto Velho

31/7/2007 20:59:16
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 A obra que serviu de inspiração para o massacre de milhares de pessoas na Alemanha está à venda em livrarias de Porto Velho. Trata-se de “Minha Luta” – Mein Kampf, em Alemão –, o livro que Adolf Hitler escreveu no período em que esteve preso e no qual vislumbrou os primeiros lampejos do seu império de terror.

Comunidades judaicas de todo o país vêm manifestando preocupação com a popularidade que ideologias nazistas têm ganhado em todo mundo.

A publicação do livro-símbolo do nazismo apenas vem se somar a uma série de eventos que estão se sucedendo no mundo todo de enaltecimento de idéias discriminatórias.

Em Rondônia não é com menos preocupação que a comunidade judaica vê a disponibilização do livro de Hitler para a população. Alguns estudiosos apontam como preocupante o fato de que o livro, ainda que considerado um documento histórico, possa ser perigosamente mal interpretado por pessoas desavisadas, muitas vezes alheias ao contexto histórico em que ele foi escrito.

Todavia, líderes judeus como o advogado Octávio Aronis, diretor jurídico da Federação Israelita do Estado de São Paulo, analisam a publicação do livro de Hitler sob outra perspectiva. A editora Centauro, que publica “Minha Luta”, foi a mesma a publicar outro livro polêmico, “Os Protocolos dos Sábios de Sião”, obra apócrifa na qual se descreve um suposto plano dos judeus para dominação mundial.

A comunidade judaica representada por Aronis considerou uma afronta a publicação dos “Protocolos” pela editora e conseguiu, na Justiça, a apreensão de todos os exemplares que ainda restavam na sede da Centauro, em São Paulo, no início do ano passado.

A mesma reação, entretanto, não foi dada em relação à publicação de “Minha Luta”, de Hitler. Isso porque, conforme disse à época em reportagem da Folha de S. Paulo, o advogado Octávio Aronis acredita haver diferenças entre os dois livros. “Minha Luta é um documento histórico. O Protocolos é um livro só usado para discriminar e ofender os judeus”, afirmou.

A editora Centauro, que lançou os dois títulos, defendeu-se sob o argumento de que olha o livro sob o viés “econômico”, mantendo neutralidade em relação ao conteúdo dos mesmos.

Em Porto Velho, até o momento, os representantes do Judaísmo local não se manifestaram sobre o assunto. Cícero Adson, que costuma falar pela comunidade judia, não foi localizado.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: