Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   7/dezembro/2019     
reportagem

Criação de peixes é segundo maior destino de investimentos em RO

24/11/2006 16:39:38
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Depois da agropecuária, o ramo de piscicultura é quem mais recebe financiamentos do Banco da Amazônia (BASA). A informação é do técnico em piscicultura Rodrigo Giovanini Manuel, gerente de um projeto pioneiro de criação de larvas de peixes nativos em Rondônia. 


 O paranaense Rodrigo Giovanini Manuel está animado. Há três anos em Porto Velho, Rodrigo veio do Paraná para assumir a função de gerente de produção na BioFish Aqüicultura Ltda., empresa pioneira em produção de alevinos (filhotes de peixes) no Estado.

Apesar da rotina de trabalho esgotante, Giovanini não tem do que reclamar. Seu campo de trabalho está em franco crescimento. De acordo com ele, depois da agropecuária, o setor que mais consegue financiamentos do Banco da Amazônia (BASA) é o de piscicultura.

A empresa para qual Rodrigo trabalha é uma das evidências dessa onda de progresso no setor. Diferente de outras empresas do ramo, a BioFish se atém unicamente em produzir, em laboratório, alevinos, isto é, filhotes de peixes. De lá, a produção segue para empresas que se encarregam da engorda dos peixes em tanques. Anualmente, estima-se que a BioFish produza cerca de dois milhões de alevinos.

Apenas peixes nativos da região são desenvolvidos. Entre as espécies estão Tambaqui, Jatuarana, Pirapitinga, Curimba e Pacu.

A maior parte dos filhotes de peixe (cerca de 90%) fica dentro do Estado. O município de Ariquemes é o principal comprador, conforme Giovanini. A cidade chega a consumir mais de 50% da produção de alevinos. É nela que se concentra a maior parte das fazendas de piscicultura de Rondônia.

PESQUISA

Além do trabalho de fecundar óvulos de peixes, Giovanini também auxilia uma pesquisa realizada entre a BioFish e a Universidade Federal de Rondônia. O estudo tem por objetivo analisar a fisiologia do peixe Jundiá Amazônico em todas as suas fases. Segundo o especialista, este é um peixe de grande potencial econômico.

FRIGORÍFICO

Resultado da expansão do setor, a criação do primeiro frigorífico de peixes de Rondônia é um dos empreendimentos aguardados para o próximo ano. Ainda sem data definida para inauguração, o frigorífico será construído também em Ariquemes.

“Será a primeira empresa que fará o beneficiamento do peixe”, diz Giovanini. “Isso certamente fará com que um grande número de pessoas que antes não consumiam passem a comer peixe, pois ele será vendido limpo, e o consumidor não precisará sujar as mãos limpando o peixe”.

As perspectivas para o setor são ótimas, avalia Rodrigo, que conclui otimista: “Muito mais coisas ainda estão por vir aí.”


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: