Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   17/outubro/2021     
política

O governo adota o improviso no lugar do planejamento, crê Acir Gurgacz

24/7/2006 00:05:06
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O mais rico candidato ao Senado justifica nessa visão a decisão de ser oposição à reeleição de Cassol. Empresário bem sucedido, Acir acha que não terá dificuldade de levar sua mensagem ao povão. 


 Como todos os demais candidatos que participam do pleito desse ano, Acir Gurgacz, do PDT, também é um crente no desenvolvimento de Rondônia, e também confessa não estar contente com a nossa classe política. E por isso, “ao contrário de só ficar reclamando” decidiu voltar a participar do pleito, “para ter legitimidade”.

Ele, no princípio das conversações eleitorais, chegou a constar na lista dos prováveis integrantes de apoio ao governador Ivo Cassol. No final do processo, preferiu aderir à campanha de Carlinhos Camurça, como ele ex-prefeito. Gurcagz foi o burgomestre de Ji-Paraná, onde deixou o mandato na metade para disputar o governo do estado com o apoio de Camurça, que era o prefeito de Porto Velho. Não chegou ao segundo turno, mas ajudou a eleger a professora Fátima Cleide como senadora pelo PT. Não é, portanto, um marinheiro de primeira viagem.

MOTIVO PARA OPOSIÇÃO

O principal de sua oposição neste ano é Ivo Cassol e não Fátima Cleide, de quem se afastou definitivamente. Para Imprensa Popular o candidato ligado ao maior grupo empresarial de Rondônia explicou o principal motivo que justifica estar na oposição ao governador que também buscar um novo mandato para ficar mais 4 anos no governo:

— O problema do atual governo é falta de planejamento; de um projeto de gerenciamento da administração pública. Tudo em Rondônia deveria ser projeto para o coletivo. Como isso não aconteceu nestes quatro anos, defendendo a mudança do governo.

Sem mais se aprofundar nas críticas ao “planejamento” (ou falta dele) no governo de Ivo Cassol, o candidato ao senado pelo PDT usa o “Desenvolvimento” como palavra chave no discurso que pretende utilizar para convencer o eleitor.

Desenvolvimento de seus negócios, de suas empresas, de seu grupo? Pergunta o repórter de Imprensa Popular. Não, Acir acha que suas empresas crescerão e se tornarão mais fortes “se o estado todo se desenvolver”. E para ele o candidato de sua coligação está preparado “para adotar um modelo qualificado de desenvolvimento”, capaz de dar conta de uma gama de desafios que Rondônia tinha e tem pela frente para transformar as suas potencialidades em alavancas efetivas para geração de bem-estar para o conjunto da população.

E uma coisa Acir deixou claro em sua conversa com Imprensa Popular: O improviso e o voluntarismo não têm lugar na agenda de um Estado moderno e que se dispõe a enfrentar desafios da magnitude dos que nós ainda temos pela frente.

FIGURINO CLÁSSICO


Acir Gurgacz costuma ser apontado pelos concorrentes como verdadeiro representante da burguesia, encontrado sempre naquele figurino clássico “do riquinho”. É difícil imaginá-lo fora de lugar em setores elitistas. Está sempre bem vestido, bem penteado, como se tivesse acabado de sair do banho.

Mas é uma injustiça imaginá-lo como um velho senador que já compôs a representação política rondoniense. Acir, claro, está longe de ser um “pai dos pobres” ou de repetir o estilo populista de um ex-senador que se tornou cacique político em Ariquemes e mesmo após um tempo na prisão continua cotado para voltar à vida pública, agora como candidato a deputado federal que, coincidentemente, estará no palanque desse rico candidato.

Na verdade Acir afirma sonhar com uma atuação no parlamento – se for vitorioso para o Senado – focada no social. E durante a campanha vai procurar convencer os integrantes do “segmento do povão” sem maiores constrangimentos. Ele disse a Imprensa Popular que percorre o estado há muito tempo e de todas as formas, “até de ônibus”. Na sua explicação ao jornal Acir deixa claro que não é um mero expectador da miséria que grassa nos grotões de Rondônia, e sim uma pessoa que conversa com esse povo procurando o tamanho do sofrimento dessa gente e a necessidade de trabalhar “para resolver a miséria desse país”.

O CONGRESSO É O PROBLEMA


Gurgacz não é de polemizar. Gosta de manter os bons modos. Assim prefere não emitir opinião sobre a senadora do PT, Fátima Cleide, eleita com sua ajuda. Ele acha melhor dizer que “não tem acompanhado” o trabalho da parlamentar que agora disputa o governo do estado pelo partido do presidente Lula da Silva.

Mas o aspirante ao senado tem idéias claras sobre o Congresso e acha que ali está um dos grandes problemas do Brasil, por isso “a importância de renová-lo para melhor”.

“Os últimos episódios revelaram para nós, brasileiros, um Congresso transformado em moeda de troca, que se vende. É ali que se abafam CPIs, que os deputados envolvidos no mensalão são absolvidos, que dezenas de parlamentares se envolveram na máfia dos sanguessugas. Creio que está na hora de mudar tudo isso e só com apoio do povão isso será possível”, afirmou a Imprensa Popular o representante do PDT.

RONDÔNIA TEM ESPAÇO


Ligado ao estado do Paraná, Acir Gurgacz lembra que “o território de Rondônia” é maior do que aquele estado e mesmo assim “nossa população estadual é menor do que a de Curitiba”. Para ele é importante trazer mais gente para Rondônia”, só que pessoas com capacidade de investir nas mais diversas áreas.

Ele acredita que com “o aumento da população com imigrantes mais capacitados” todos os que estão aqui irão lucrar com o crescimento, “com novas indústrias, novos empreendimentos.

“Hoje temos uma estrutura melhor em comunicações, em transporte, em energia e isso deve ser um atrativo para novos capitais”, afirmou.

Dentro dessa visão, o político destaca como ponto maior de seu projeto como candidato, “a geração de emprego, criando condições para atrair novas empresas para o Estado”.

Nesta seqüência, Acir assume o discurso de Cristovam Buarque, o candidato a presidente da República pelo PDT. “É preciso fazer um grande esforço nacional pela Educação, de tal maneira que os alunos de Rondônia tenham um ensino com a mesma qualidade de São Paulo ou dos estados onde o setor está mais avançado no Brasil. Então sou favorável à federalização do ensino fundamental, como sou favorável a federalização da Saúde”, disse.

E para concluir, Acir Gurgacz afirmou a Imprensa Popular que não terá dificuldades em “estar num palanque” ao lado de um candidato acusado da prática de corrupção, “mesmo que tenha ido para a cadeia por um período por essa prática”. Segundo ele isso não desqualifica a sua imagem “de totalmente contrário às práticas de corrupção no país, por compreender que a honestidade é o maior patrimônio de um cidadão que valoriza a pátria, a família e a solidariedade”.


(Publicado na edição nº 85, de 18 a 30 de julho de 2006)


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: