Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   22/outubro/2019     
reportagem

Verbas de custeio das Universidades serão 39% maior que ano passado

3/7/2005 15:51:36
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O aumento faz parte do processo de recuperação das Universidades que, nos últimos 10 anos, perderam 50% dos recursos para custeio e manutenção. 


 As universidades federais receberão este ano R$ 228 milhões a mais para custeio e manutenção – serão R$ 802 milhões ou 39,7% a mais do que no ano passado. O anúncio foi feito na semana que passou pelo ministro da Educação, Tarso Genro, durante audiência com a presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), Ana Lúcia Almeida Gazzola.

Este aumento faz parte de um processo de recuperação das universidades já que as federais, nos últimos dez anos, tiveram uma perda de 50% da verba para custeio e manutenção. Para se ter uma idéia, no último ano do desgoverno de FHC, a verba destinada para custeio foi de R$ 411 milhões.

“Destacamos a importância desse processo de negociação entre MEC e Andifes pela sua contribuição para a estabilidade e para o equilíbrio das metas de gestão das nossas instituições”, destacou o ministro.

Com isso, a emenda Andifes – que durante o sucateamento das federais foi utilizada para tentar garantir o funcionamento mínimo das universidades – volta à sua função original de ser um complemento do custeio mas com o caráter de investimento em projetos.

“Os reitores são unânimes em afirmar que o diálogo com o MEC e a Secretaria de Educação Superior foi excelente. Tivemos a oportunidade de discutir longamente na Andifes, com acompanhamento da SESu, uma nova matriz de distribuição de recursos, que está sendo agora implementada pela primeira vez”, afirmou Ana Lúcia Gazzola, destacando que iniciativa permitirá que as universidades façam um planejamento anual.

Segundo Gazzola, “nos anos anteriores, ficávamos até o final do ano sem saber qual era o orçamento daquele ano. Agora, não, já sabemos que o custeio está definido, o orçamento foi distribuído e todos podemos planejar nosso ano”.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: