Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   22/setembro/2019     
reportagem

Ricos são os que mais fazem ‘gatos’

2/5/2005 09:19:05
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Em entrevista exclusiva, o presidente da CERON, Eurípedes Miranda, revela que, ao contrário do que se imaginava, são os “bem de vida” que mais cometem furto de energia, o famigerado “gato”. 



Clique para ampliar
Subir em postes, mexer na fiação elétrica – correndo risco de tomar um choque – e puxar um fio clandestino para a residência, roteiro de como fazer um “gato”, não combina muito com champanhe ou trufas. Mas, pergunta-se o leitor, qual a relação entre aquela prática gatuna e a comida dos mais afortunados? A resposta: o ator principal, isto é, membros das classes A e B.

Esta é a revelação feita por Eurípedes Miranda Botelho, presidente das Centrais Elétricas de Rondônia (CERON), em entrevista exclusiva a Imprensa Popular. Perguntado sobre que região de Porto Velho mais se faz “gato”, ele respondeu:

“Não vou dizer que são todos, porque eu estaria sendo injusto, mas há uma concentração da classe média para cima. Até porque a classe média está passando por uma extrema dificuldade e não quer expor essa situação.”



CRISE NAS FINANÇAS

A situação financeira da CERON é grave, principalmente devido às fraudes e inadimplências. “Nossa inadimplência hoje [...] já está beirando a casa dos 120 milhões de reais”, conta Miranda, que acrescenta:

“Se a empresa não fosse pública, nós já teríamos quebrado. Só não quebra porque vem o governo Federal e coloca dinheiro. A empresa leva prejuízo, e as pessoas não acreditam. Mas passam a acreditar, porque você compra energia a 1% e vende a 152%.”



“DEGATO”

Para fazer frente a esse problema, a CERON reuniu a imprensa para anunciar suas novas armas: delegados aposentados. O primeiro contratado e que comandará a equipe de combate às fraudes foi o coronel da reserva Walnir Ferro.

Os delegados aposentados vão atuar como investigadores, correndo atrás daqueles consumidores que não pagam a conta de energia ou que a furtam. O trabalho de investigação servirá de subsídio à CERON para tomar as medidas cabíveis nos casos de inadimplência ou furto.

No caso de inadimplência, Miranda adverte:

“Com aqueles que não pagam, a ação será a execução [cobrança judicial]. Mas antes de nós executarmos, temos que saber porque ele não está pagando. De repente ele está passando por uma miséria danada, ou uma dificuldade extrema. Nós vamos negociar. Nós vamos executar realmente aqueles casos em que não gosta de pagar mesmo. Que não dá satisfação, não quer conversar, não deseja negociar.”

Quanto ao furto de energia, Miranda diz que, assim que detectado pela equipe comandada por Walnir Ferro, será informado à polícia que deverá tomar as ações legais.



GRANDES DEVEDORES

Combate sem tréguas aos grandes devedores. Pelo menos, é o que promete fazer de agora em diante Eurípedes Miranda. Segundo ele, os consumidores que têm enormes dívidas com a CERON – entre eles, órgãos públicos, prefeituras, empresas de rádio, jornais e telecomunicação em geral –, se não negociarem o pagamento de suas dívidas terão sérios problemas com a Justiça.

Muitos dos que não pagam há anos uma conta sequer não perdem o fornecimento de energia porque entraram com recurso na Justiça. Porém, diz Miranda, “nós estamos [fazendo de tudo] para que essas ações cheguem ao STJ o mais rápido possível, pois sabemos que na maioria delas a Ceron é vencedora.”



R$ 30 MILHÕES

O maior devedor atualmente do Estado é a CAERD (Companhia de Água e Esgotos de Rondônia), cuja dívida ultrapassa os R$ 30 milhões. Mesmo com essa dívida monstruosa, Miranda diz-se impedido de agir, pois “se nós cortamos a energia da Caerd a população irá ficar sem água”.

Por conta disso, Eurípedes não vê outra saída à Caerd senão sua incorporação à Ceron. “Eu acho que no futuro essas empresas de distribuição de água, vai acabar pertencendo às empresas de energia.”

Foto: Aldrin Willy


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: