Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   22/setembro/2019     
reportagem

Presépio de Porto Velho, 2° do mundo, ameaçado por falta de verbas. Promessa da Secel não foi cumprida

16/12/2004 14:00:42
Por Janiele Viana
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O local atrai até visitantes de outros países e mesmo assim o padre Enz (foto) não consegue patrocinadores. 



Clique para ampliar
A Paróquia São Thiago Maior, localizada na Rua José Amador dos Reis, Bairro JK 1, é conhecida por possuir segundo presépio monumental existente do mundo, e o primeiro e maior do Brasil. O presépio monumental narra a história da bíblia desde a criação do mundo até a morte de Jesus. Através de imagens criadas por 18 artistas da Itália, que doaram suas peças para a montagem do presépio. A Paróquia também posssui o Museu Internacional de Presépios, que possui grandes e pequenos presépios doados por artistas de vários países e de toda região brasileira.

Segundo o padre Enzo Mángano, pároco da São Tiago, a divulgação do local é deficiente e se dá apenas por algumas matérias na imprensa da região. Enzo reclama da ausência de parcerias com empresas privadas e com o governo do Estado para uma maior divulgação, pois o presépio, diz o clérigo, faz parte da cultura e do turismo de Rondônia.

Apesar de ter sido tombado como patrimônio do Estado, o presépio monumental da Paróquia São Tiago não está sendo valorizado nem pelos próprios moradores de Porto Velho.

O padre diz esperar a liberação de 14 mil reais da Secretaria de Cultura de Rondônia, fruto de convênio autorizado pelo governador Ivo Cassol há mais de seis meses.

Até agora nada foi feito para a liberação da verba. Padre Enzo Mángano confessa depender do convênio com o governo para manter o patrimônio do Estado, pois a única parceria que a Igreja tem, até o momento, é com o Banco Basa e ajuda dos fiéis da Paróquia.

O museu e o Presépio Monumental é aberto o ano inteiro, em horário comercial, das 8 as 21 horas. O local é visitado por mais ou menos 150 pessoas por semana. Já recebeu pessoas de outros países e regiões brasileiras. Mesmo assim, o número de visitantes não supera as expectativas. Conforme Mángano, existem muitas pessoas em Porto Velho que ainda não conhecem o Museu Internacional nem o Presépio Monumental.



POLÍTICA

Padre Enzo diz ter esperança de melhoria nos bairros da zona leste, considerada a maior da Capital. Suas expectativas estão no novo prefeito eleito Roberto Sobrinho. “O candidato foi eleito com a maioria dos votos dos moradores da zona leste”, diz Enzo. Segundo ele, o novo prefeito deve muito aos moradores da região, cujos bairros têm sido freqüentemente esquecidos pelos governantes da Capital.

As ações imediatas de Roberto logo que assumir o cargo, opina Enzo, devem premiar o saneamento básico, investimentos nas escolas e postos de saúde locais. Isso feito, a violência local diminuiria, explica Mángano.

O pároco da São Tiago também reclama da mídia por passar apenas imagens negativas da Zona Leste: “Ao ser divulgado algum ato de violência ou roubo, os jornalistas não destacam o nome do bairro, apenas colocam ‘Zona Leste’, e [a região] fica então mal vista pela sociedade”. “Muitos acham que na Zona Leste” – diz Enzo – “só moram marginais por conseqüência da maneira em que são divulgadas certas notícias”.

Os bairros locais também oferecem diversões à comunidade e até mesmo áreas de turismo, maior exemplo disso seria: o Museu Internacional e o Segundo Presépio Monumental, em existência, do mundo.

Padre Enzo Mángano termina dizendo que muitas pessoas da classe alta não vêm visitar o local por medo de sofrer alguma violência na região.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: