Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   24/maio/2019     
reportagem

Gol inicia vôos em Rondônia. Agora dá pra viajar de avião

24/8/2004 10:05:14
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Com uma trajetória de sucesso que contrasta com a situação falimentar das concorrentes, a Gol Linhas Aéreas prova que é possível viajar de avião a um preço acessível. Agora, pela rota estabelecida, pode-se ir de Rondônia para São Paulo, Brasília e Acre a um preço que cabe no orçamento. 



Clique para ampliar
Há quase quatro anos atuando no mercado brasileiro, a Gol Linhas Aéreas vem experimentando um crescimento que causa ira na concorrência. No mesmo ano em que o mercado de aviação encolheu 6%, a Gol cresceu quase 70%, tornando-se a segunda companhia aérea mais lucrativa do mundo, atrás apenas da irlandesa Ryanar.

Tarcísio Gargioni, vice-presidente da companhia, gosta sempre de comentar quando saúda os passageiros: “A Gol orgulha-se de possibilitar a realização do sonho de muitas pessoas, viajar de avião”. Tarcísio não exagera nem um pouco quando diz isso: do ano 2000 até hoje, já voaram nas asas da Gol 19,5 milhões de pessoas, das quais cerca de 1,7 milhões tiveram seu primeiro vôo.

O excepcional desempenho da companhia no mercado deve-se ao principal trunfo da empresa: as baixas tarifas cobradas. Essa estratégia não é invenção da Gol. Nos EUA, desde a década de 80, existem companhias aéreas que empregam o mesmo conceito que faz da Gol campeã de vendas de passagens aéreas no Brasil: Low cost, low fare, em bom português, “baixo custo, baixa tarifa”.

Antes mesmo de implantar a empresa, Gargioni lembra do cenário nada encorajador que lhe diziam:

— Naquela época já nos diziam que não havia espaço para outras empresas aéreas no Brasil. [...] Tinha essas outras empresas que estão aí, Varig, Vasp e Tam, e falavam que era impossível ter outra companhia aérea porque já tinha de mais [...] só tinha espaço para duas companhias. O mercado brasileiro estava em crise. Então imaginar um empresário montar uma nova companhia aérea nesse ambiente era considerado de certa forma uma loucura.

Antes de iniciar a empresa, Gargioni e outros dirigentes da empresa encomendaram um profundo estudo do mercado brasileiro para saber as possibilidades de implantação de uma nova companhia aérea.

— Esse estudo dizia o seguinte: primeiro o Brasil tem muito pouca gente voando, somente 5 milhões de brasileiros voam de avião. Esses cinco milhões fazem um pouco mais de 30 milhões de viagens por ano. [...] O que nós fazemos [30 milhões] em um ano eles [Estados Unidos] fazem numa semana [40 milhões]. A segunda informação importante que o estudo alertou é que [...] 25 milhões de pessoas [...] não viajam de avião porque as tarifas são muito caras, mas gostariam de poder viajar.

Além disso, a informação, revelada pelo estudo, que iluminou o caminho da Gol foi um fato ocorrido em 1998. Em meio a uma guerra tarifária entre as empresas aéreas, o valor da passagem teve redução de 30%. Graças à diminuição dos preços, o número de passageiros aumentou 20%.

Aquele fato, segundo Gargioni, demonstrou que “existe uma demanda, existem os passageiros, que voam se for mais barato”.

A chegada da Gol no mercado brasileiro junto com suas tarifas baixas causou frenesi entre os consumidores. O vice-presidente lembra das reações excêntricas dos clientes durante uma recente promoção que cobrava R$ 50,00 para qualquer destino dentro do País:

— As pessoas chegavam no aeroporto para comprar as passagens e nós perguntávamos qual era o destino, as pessoas respondiam: “Para qualquer lugar. Por 50 reais eu vou para qualquer lugar, não importa aonde”

Em Rondônia, o primeiro vôo da Gol partiu de Porto Velho rumo a Rio Branco às 23h do último dia 10. De lá, voltou a Porto Velho, de onde cumpriu a rota com destino a metrópole paulistana, com escala em Brasília.

Os repórteres de Imprensa Popular acompanharam o vôo inaugural em Porto Velho. A viagem foi tranqüila e suave. O único problema (vivenciado por algumas pessoas) foi um leve desconforto no ouvido enquanto o avião ganhava altitude. Isso se deve talvez à elevada altura em que o avião navega: 41 mil pés, aproximadamente 12300 metros.

O lanche recebido pelos passageiros é a forma pura da simplicidade: um pacotinho de biscoitos, um doce e uma bebida escolhida entre refrigerantes e sucos. Não há necessidade de qualquer coisa a mais do que isso, já que os vôos são rápidos; o que vai daqui a Rio Branco leva menos de uma hora.

A tarifa mais barata oferecida é de R$ 99, que leva o passageiro de Porto Velho a Rio Branco ou vice-versa. Esse é outro ponto diferencial da empresa. O valor das passagens de um lugar para outro não varia conforme a ordem: vai-se daqui a São Paulo e volta-se pelo mesmo preço, R$ 671,00.

Com preços assim, qualquer um pode embarcar. Aproveite as baixas tarifas da Gol e boa viagem!

Foto: Roger Lafontaine


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: