Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  qua,   26/fevereiro/2020     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais

20/3/2004
taborda@enter-net.com.br
 
  
FALTA DO QUE FAZER

A administração pública rondoniense sofre com a falta de dirigentes públicos com padrão de excelência. O problema é que alguns desses dirigentes não se preocupam em expor perante a sociedade as vísceras de sua irresponsabilidade, de sua incapacidade de propor e fazer coisas capazes de mudar a sociedade para melhor, de promover a inclusão das comunidades de Rondônia naquela relação dos municípios sérios, onde prefeitos e lideranças não brincam de enxovalhar ainda mais a classe política e dirigente.

Vejam, por exemplo, se pode haver uma coisa mais besta e mais caricata do que o Decreto n° 2646-GAB.PREF/03, da lavra do prefeito Roberto Pilon, de Gujará-Mirim, tornado público agora. É um primor de gaiatice, capaz de inserir o prefeito na relação das grandes decisões caricaturais que recheiam o folclore político brasileiro. Pilon utilizou-se das prerrogativas conferidas a ele pelo artigo 62 da Lei Orgânica dos Municípios, decretando que a partir desse ano, isso mesmo, Jesus Cristo passa a ser o “Senhor e Salvador” da cidade de Guajará-Mirim. Parece com aquela história do vereador que tentou revogar a Lei da Gravidade.

Certamente os moradores de Guajará-Mirim, outrora um dos mais importantes municípios de Rondônia, estão cansados do arremedo de administração conduzida pelo sr. Roberto Pilon. Mas agora todos devem estar achando graça dessa sinecura, através da qual Roberto Pilon tenta se igualar a grandes outros piadistas do cenário político. Essa importante decisão do prefeito da Pérola do Mamoré deve-se, possivelmente, à falta do que fazer como administrador de um município, no sentido de buscar soluções para os problemas de desemprego, segurança e qualidade de vida que tanto atormentam os habitantes daquela urbe.

Enquanto o prefeito entrega o poder da cidade ao senhor Jesus Cristo, para “quebrar todas as maldições de Guajará-Mirim”, como justifica no inciso III de seu Decreto, outros políticos preferem apelar à população da cidade que utilize muito bem o seu voto, nas eleições de outubro, no sentido de escolher prefeito e vereadores com os pés no chão e com vontade suficiente para promoverem a reconquista da importância que outrora o município tinha dentro da realidade econômica e social de Rondônia.

E a população de Guajará, ainda recentemente, mostrou sua determinação e sua ojeriza a administradores que só enrolam, que não fazem praticamente nada de útil para o povo. A partir do volume de denúncias sofridas pelo próprio Pilon, um movimento popular acabou levando-o ao afastamento do Poder, por um longo período. Pensava-se que o prefeito tirasse alguma lição positiva daquele episódio. Parece, todavia, que Cláudio Roberto Pilon continua como o apanhador de trigo em campo de centeio. Desse jeito, sua carreira pública será abreviada. Ele ficará, no entanto, nos anais, como um piadista da política rondoniense. E nem Jesus Cristo interferirá na decisão daquele eleitorado.

NOMEAÇÕES

Amir Lando, nosso primeiro Ministro na república, está agindo com rapidez em apoio aos seus “camaradas”. Já nomeou oito pessoas para os cargos de relevância do Ministério da Previdência. Todos, claro, do PMDB e poucos, para dizer a verdade, pouquíssimos, de Rondônia. Até parece que Lando não está, ainda, preocupado com a chegada de 2006. Ou, o que também pode ser verdade, não existem entre os amigos rondonienses do senador, agora Ministro, alguém capacitado a fazer parte do seleto grupo de colaboradores nos cargos importantes daquele ministério.

SESC

Cláudio Ramalhaes Feitosa, diretor regional do Sesc de Rondônia, estará em Brasília no próximo dia 25, participando da sessão solene da Câmara dos Deputados, em homenagem aos 40 anos de trabalho da entidade na promoção social dos idosos. Naquela data a rede de TV Sesc/Senac estará apresentando um documentário onde o trabalho do Sesc rondoniense será mostrado para todo o Brasil. Aqui o Sesc desenvolve atividades esportivas, culturais, pedagógicas e de lazer em favor do resgate da dignidade dos idosos. Em Rondônia não se anunciou, até agora, nenhum evento comemorativo a esse trabalho que o Sesc vem realizando há 40 anos.

ARAUJO

Através de sua empresa de publicidade, Carlos Araújo (que soma em seu currículo uma passagem pela extinta Secretaria de Estado da Comunicação, a Secom) começou a prestar serviços em favor do pré-candidato Everton Leoni, do partido do governo. Anda procurando, para atender o cliente, apoio de jornalistas ao projeto político do tucano.

SEM ACESSO

Usuários da Internet ficaram praticamente toda a manhã de ontem sem poder acessa-la. Esta situação, segundo titulares de alguns provedores locais, aconteceu por “culpa e obra da Embratel”. É um problema que vem acontecendo com rotina e causa imensos prejuízos aos que precisam navegar na rede por necessidade profissional ou comercial.

DEPURAÇÃO

A mais recente condenação do deputado Marco Donandon pode desencadear um processo de depuração dos homens públicos de Rondônia. A resistência da Assembléia Legislativa em se manifestar sobre o assunto corre o risco de ser minada pela vontade da opinião pública e por uns poucos deputados que prometem fazer, na semana que se inicia, pronunciamentos vigorosos sobre o caso.

DORIL

O vereador Affonso Brasil anda desaparecido da Câmara Municipal. Sua assessoria dá como desculpa “os problemas de saúde” do parlamentar, mas os demais vereadores não confirmam isso. Quem não está gostando do desaparecimento do edil são as várias pessoas que tentam solucionar pendências econômicas com o parlamentar.

EMPREGO AMEAÇADO

Os supermercados de Porto Velho praticamente aniquilaram as vagas de empacotador nas suas lojas. Os poucos empacotadores restantes estão com seus empregos ameaçados por culpa da inconsciência de consumidores que insistem, eles próprios, em fazer o serviço. Muitos agem dessa maneira para serem simpáticos. Não compreendem que no preço dos produtos está embutida a margem para pagamento dessas moças ou rapazes. E com isso vão contribuindo para mais desemprego de quem precisa da função e mais lucro para os supermercados que, ao livrarem-se destes empregados, não reduzem em nada o preço dos produtos que vendem.

TÁ VALENDO

Na vida pública a caminhada só termina com a morte física. Se alguém estava considerando iminente a compra de flores para jogar no caixão político de Divino Cardoso, pode tratar de usar o dinheiro para coisa mais útil. Pelo tamanho da festa que foi o lançamento de seu nome como pré-candidato do PTB a prefeito de Cacoal, pode se ver que o ex-prefeito daquela cidade, por duas vezes, está longe de enterrar o seu projeto de Poder. E esse projeto vai muito além da prefeitura daquela importante cidade. Quem está de olho em 2006 prepare-se: a provável eleição de Divino pode ser o estrondo de sonhos alheios.

AS PALAVRAS

Algum amigo de Miguelzinho, o já futuro ex-secretário da Saúde, deveria avisa-lo da força das palavras. Cuidado com as palavras, elas podem levar ao céu, como ao inferno. Podem ser fortes e valiosas como um diamante e podem ser frágeis como uma casca de ovo. Quem tem juízo não fala qualquer coisa, principalmente a um repórter da Folha de São Paulo. Aliás, o jornalão está preparando uma reportagem especial sobre a saúde de Rondônia. Não ficará pedra sobre pedra.

CIRCULANDO

Começa a circular a edição número 23 do periódico IMPRENSA POPULAR, a primeira desse ano. Traz uma excelente reportagem assinada por Nelson Townes, sobre o sistema prisional rondoniense, fugas, torturas e corrupções. Na capa, Nereu Klosinski e Fátima Cleide são destaques. É a primeira vez que um petista aparece como manchete do polêmico jornal, editado pelo colunista.


Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: