Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  sáb,   19/outubro/2019     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais

11/3/2004
taborda@enter-net.com.br
 
  
INSTRUMENTO ESQUECIDO

As recentes revelações da imprensa sinalizam um clima de suspeita em algumas operações de compras e de prestação de serviços, adquiridos pelo estado. Graves como um tumor maligno que lança metástases sobre o tecido moral da classe política, nem assim tais revelações conseguem inculcar no parlamento local, estímulos para dar início ao rompimento do culto da impunidade. Até parece que os membros do parlamento ainda não se deram conta de que a renúncia à sua finalidade precípua de fiscalizar os demais Poderes, serve, isto sim, para ampliar o desgaste das instituições políticas, conspirando contra os próprios ditames da democracia.

É patético e até surrealistas ver líderes partidários – principalmente do PT – ocupando a tribuna da Assembléia para denunciar os “fatos escabrosos” e, quando questionados, responder constrangidos que de nada adiantaria a proposta de CPIs, pois elas poderiam comprometer ainda mais o erário. Afinal, num ambiente onde ninguém pretende investigar mazelas, episódios assim apenas aumentam a cotação do óbolo e do estipêndio, acentuam deputados como Nereu e Firigollo. Em outras palavras, a mala-preta fica mais recheada. Com esse pensamento, o PT daqui acaba agindo na contra-mão da história, menosprezando a abertura de CPIs.

O segmento dos trabalhadores na educação – ameaçando uma greve geral – e boa parte da opinião pública suspeita da política de privilégios usada para manter uma engrenagem subterrânea que contamina a administração, onde joio e trigo são identificáveis por observadores mais atentos. Certamente há dúvidas sobre a postura do superior hierárquico, embora a maioria prefira acreditar o respaldo para a realização desses “negócios da china” não parta dele.

Esclarecer todas as dúvidas sobre estes “negócios” por parte dos membros do legislativo seria uma maneira de liquidar as suspeitas de uma opinião pública cada vez mais desconfiada, inclusive sobre o comportamento de alguns importantes nomes do parlamento.

As dúvidas que pairam sobre os fatos revelados onde milhões do erário foram claramente canalizados, assustam não só os cidadãos, mas, inclusive, os investidores e os empresários com pouco trânsito nos meandros palacianos. Todos preocupados com a credibilidade das instituições desejam conhecer a verdade. A opinião pública, cada vez mais consciente da importância da cidadania, está convencida de que “a mulher de César não basta ser honesta – é preciso também que pareça honesta”. Prevalecendo o bom senso, certamente o parlamento rondoniense não perderá a oportunidade de recuperar a confiança da população, a confiança de que aqui também é possível divisar ética e honestidade na vida pública.

INGENUA

Perguntinha ingênua repetida toda hora no Sintero: “como é que alguém que vive reclamando das vacas magras de Brasília devolve assim, meio na manha, cinco milhões que já estava no seu caixa?”.

FADIGA

O encontro político entre o governador Ivo Narciso e o prefeito Carlos Camurça, onde os dois líderes trataram das eleições municipais com destaque para a sucessão de Porto Velho acabou motivando uma reunião de emergência de articuladores do PSB. O encontro do prefeito e do governador, ao sinalizar a possibilidade de uma aliança entre o PSDB e o PDT provocou fadiga no seio da cúpula do PSB, tirando um pouco da animação daqueles que tinham como certo o apoio do prefeito à candidatura de Mauro Nazif. Sem o apoio de Camurça, entendem estes articuladores, a candidatura do ainda líder das pesquisas pode perder sua exuberância, especialmente se o PMDB insistir em ter candidato próprio, rechaçando as investidas de Mauro em sua seara. A arrumação no tabuleiro do xadrez político vai demonstrando que o médico do PSB não terá uma disputa tão amena como imaginava.

CONTINUA

Fontes próximas do Secretário da Defesa e da Cidadania, Paulo Moraes, confessam que com o compromisso do governador de dotar a polícia da capital de novas viaturas, a coisa vai mudar de figura no combate à criminalidade de Porto Velho. E com isso está afastada a possibilidade de Moraes entregar o cargo, retomando sua cadeira na Assembléia Legislativa. Atualmente o policiamento preventivo na capital conta apenas com duas viaturas em perfeitas condições de uso. Numa situação dessas, é praticamente impossível evitar desgaste político.

SEBRAE EM AÇÃO

O artesanato de Rondônia vai ganhando cada vez mais espaço não só nos importantes mercados consumidores do Brasil, mas também no plano internacional. Tudo isso graças ao trabalho do Sebrae-RO, hoje o mais forte aliado dos artesãos do Estado. Pelo empenho do superintendente Pedro Teixeira, neste mês e em abril Rondônia participará de importantes feiras e exposições no Brasil. Estão programas participações do nosso artesanato em Cuiabá (MT), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e São Paulo (SP) entre outras capitais brasileiras. O artesanato rondoniense vai se transformando numa importante alternativa de geração de renda para centenas de famílias do estado.

PERFIL ECONÔMICO

Dentro de no máximo dois meses Júlio Miranda, presidente da Fiero, lançará a nova edição da publicação “Perfil Socioeconômico de Rondônia”, obra pela qual se norteiam boa parte dos empresários do setor industrial interessadas em investir no estado. A última edição do perfil socioeconômico do estado foi lançada pela Federação das Indústrias de Rondônia em 1997. A obra, além de subsidiar empresários brasileiros, será enviada também a centros de estudos internacionais preocupados em fazer investimentos nessa região brasileira.

CORRUPÇÃO

Não é por descuido que os acadêmicos da Unir estão impossibilitados de obterem, através do DCE, a carteira da UNE. Eles são vítimas da corrupção. O clima de impunidade acabou inoculando o DNA da corrupção naquele órgão de representação estudantil que, na gestão passada, simplesmente recebeu o dinheiro dos alunos para pagar as carteirinhas da UNE e não repassou os valores à entidade de representação nacional dos estudantes. Por artes e malabarismos ainda não compreendidos corretamente Chicão não sofreu nenhuma reprimenda de quem quer que seja. A nova diretoria do DCE da Unir não deve se intimidar e nem influenciar. Os acadêmicos esperam que toda essa sórdida história seja passada a limpo, com a punição daqueles que meteram a mão na bufunfa dos universitários.

HORIZONTE NUBLADO

Não é nada animador o horizonte político do deputado Ronilton Capixaba. Ele terá de fazer das tripas coração para convencer setores da Justiça que conquistou legitimamente seu mandato parlamentar e não deve, portanto, perde-lo.

ADMIRADOR

Sou um admirador da sensibilidade, da intuição e da alma feminina, virtudes que ainda as dominam. Gosto especialmente dessas mulheres que, por suas atitudes, ensinam suas contemporâneas que não bastam peitos firmes, belas bundas, talento para a cozinha para conquistar o seu espaço na sociedade. Por isso mulheres como Ellen Ruth, Cláudia Carvalho, Suzana Davis e outras que se mostram dotadas de coragem, atitude, senso crítico e inteligência são fundamentais. Acho que, se quisermos construir um mundo melhor (não só para as mulheres, mas para os homens também), vamos precisar de tudo isso, até para consertar os erros graves que a estupidez, a brutalidade e o machismo dos homens que detêm algum poder na história causaram. E falo das mulheres hoje (não pude faze-lo no dia 8) porque acho que ninguém precisa de data nenhuma para lembrar que devemos amar estas mulheres que tanto podem fazer para modificar nossa sociedade. Que outras mulheres, estimuladas pelas ações das citadas, também tenham coragem para assumir suas posições abertamente, seja no campo pessoal ou no político. Assim, e não apenas com as “Amélias” da vida, avançaremos para uma sociedade mais solidária.

NADA DE NOVO

A sessão da Câmara Municipal de Porto Velho da última quarta-feira durou menos de 5 minutos. Os vereadores não tinham nada para fazer. Também, quem teria alguma coisa para fazer numa cidade que deve ser, na opinião da edilidade, um autêntico burgo suíço.


Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: