Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  dom,   17/outubro/2021     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais

22/2/2004
taborda@enter-net.com.br
 
  
BIOMBO OPACO

Agora que todo o Brasil comenta a natural ligação entre bingos, caça-níqueis e outros jogos de azar com o crime organizado, em virtude do escândalo Waldomiro Diniz, esse sujeito de alta influência no governo petista e que foi, até demitir-se, homem de confiança de José Dirceu, a imprensa local e as autoridades sérias poderiam revelar como esse mesmo segmento age em Rondônia, corrompendo agentes públicos, distribuindo dinheiro entre políticos, comprando proteção para suas atividades ilícitas.

A coluna denuncia há anos a ligação perigosa da contravenção com autoridades públicas no nosso Estado. Aqui, como acontecia (e deve acontecer ainda) no Rio, ninguém fiscaliza bingos, caça-níqueis, jogos do bicho, etc. Toda essa máquina da contravenção age como que protegida pelo Estado. Já tivemos por aqui bicheiros mortos (será que vocês esqueceram o Tijóia?) em circunstâncias nunca esclarecidas. Aqui também ninguém tentou avaliar o volume de dinheiro lavado nessas atividades marginais e muito menos quanto do dinheiro da contravenção foi parar na mão de alguns políticos, custeando campanhas em troco de proteção e de influência. Ninguém, mas ninguém mesmo, mostra qualquer interesse em acompanhar as atividades das pessoas que bancam essa ignomínia em Rondônia.

A contravenção teve uma forte influência na Lotoro, num recente passado. Algumas pessoas de alto-coturno lucraram muito com este relacionamento espúrio. Fontes bem informadas garante que a contravenção, principalmente da modalidade do bingo, financiou a eleição de pelo menos três políticos importantes e eles neutralizam qualquer ameaça de fiscalização ou investigação do setor.

A contaminação das lideranças do mundo político e do poder público com a contravenção em Rondônia não chegou ao nível do Rio, onde até um bispo-deputado dessa tal Universal estava chafurdado na malandragem. Mas banqueiros dos jogos de azar e bicheiros, se não forem contidos, acabarão também chegando às lideranças eclesiásticas e de outros setores decisivos, como o da mídia.

A falta de uma fiscalização mais rígida por parte da sociedade, da mídia e dos próprios órgãos públicos encarregados de coibir os desvios de conduta dos dirigentes políticos e da administração pública permite que nossa Rondônia seja uma verdadeira festa para espertalhões que gravitam próximo do poder. Só aqui, por exemplo, é possível ver um pé-rapado analfabeto fazer fortuna de forma tão veloz, assim que entra numa boquinha do poder, sem o temor de ser pego com a boca na botija.

Quando estes personagens sem nenhum caráter, que colecionam fazendas, carros de luxo, casas, apartamentos e outros imóveis, com os quais sequer podiam sonhar antes de assumir qualquer cargo, deixarem de ser cobertos pelo biombo opaco da mídia amestrada, veremos que por aqui também há muitos “Waldomiros”, inclusive alguns que ainda não se enriqueceram, mas estão esperançosos.

NEGÓCIO DA CHINA

Decididamente nosso estado ainda é o lugar para se fazer os tais “negócios da china”. Qual outro estado daria a alguma desconhecida e minúscula empresa a chance de faturar em menos de um ano, em muito menos, uma bolada de Dez Milhões de Reais? Pois aqui, na nossa querida e nova Rondônia essa coisa acontece sem ninguém perceber. Pelo menos duas pessoas, que certamente não sabem fritar um ovo, vão pular igual a pipoca nesse carnaval, com toda a alegria que 10 milhões podem provocar. Ainda tem gente achando que o melhor negócio e montar algum dessas manjadas cooperativas de crédito. Santa inocência! Às vezes uma simples “cozinha” é mais rentável e menos perigosa do que uma, por exemplo, “lavanderia”.

TÁ EXPLICADO

Tudo não passou de um sururu de capote, feito por fontes da folia de Candeias do Jamary. A maravilhosa Regiane Lima de Souza, eleita Rainha do Carnaval 2004 daquele vibrante município apenas trabalha, isso mesmo: trabalha em Porto Velho. Mas mora, como conferimos, na cidade de Candeias. Portanto sua escolha como Rainha não apenas é motivo de orgulho para a cidade governada pelo prefeito Lindomar Garçom, como é uma justa homenagem às centenas de mulheres lindas, sensuais e maravilhosas da cidade. Nós, que moramos em Porto Velho, agradecemos a sorte de ter essa musa do encantamento trabalhando por aqui.

PROMESSAS

Pelo menos para os banqueiros (que nunca lucraram tanto) o espetáculo do crescimento prometido por Lula já aconteceu. O espetáculo da geração de empregos é, no entanto, um simples truque de madame. O que cresceu mesmo foi o desemprego. Queriam o que, com essa política de subserviência à agiotagem internacional.

ERROS DE SEMPRE

O que mata certas administrações de Rondônia é a insistência em nomear para cargos importantes, onde se exige pelo menos um vislumbre de cultura, conhecimento e civilização nomes que não poderiam ir nem para a limpeza pública. Vai dizer, leitor, que você já não identificou isso!

ELE TÁ CERTO

O vereador Ribamar, de Porto Velho, é tinhoso. Ele pediu, por exemplo, a intervenção da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal para investigar o que andam fazendo com o líder dos garis municipais, Manuel Pereira da Silva Filho, conhecido como Gari Barão. Quem ouviu o pedido imaginou logo que o Barão estava sendo seviciado. Nada disso! Apenas um caso de bloqueio de salário. Nem por isso Ribamar deixa de estar certo quando afirma que a quase totalidade dos vereadores está comprometidíssima com o esquema de poder estabelecido na municipalidade, não tendo autonomia para nada.

DONO DE TUDO

Ernandes Amorim é daqueles esperançosos de ser dono de tudo. Como não poderá disputar pessoalmente nada nesse anos garante que vai reeleger a filha, Daniela, na prefeitura de Ariquemes e ainda Helma Amorim (que ganha os tubos como liquidante do Beron) para a prefeitura de Alto Paraíso, além de seu filho Ernan para dividir a prefeitura de Cujubim. Sempre pretendendo se perpetuar no Poder, o babalaorixá ariquemense ainda não definiu quem irá monitorar no município de Jaú e da própria Porto Velho.

LIVRO DE CABECEIRA

Mauro Nazif, embora não pareça, é um homem que gosta de ler. Um de seus seguidores apaixonados contou para a coluna que ultimamente o chefão do PSB – que tanto encantamento causa ao vereador Kruger – se dedica ao autor peruano, Mario Vargas Llosa. Exatamente aquele que disputou uma vez a presidência de seu país e perdeu. E Llosa escreveu o seguinte, sobre a política: “Ela é composta quase exclusivamente de manobras, intrigas, conspirações, pactos, paranóias, traições, muito cálculo, uma dose não negligenciável de cinismo e de todo tipo de tramóia. Porque o que efetivamente mobiliza, excita e mantém em atividade o político profissional, seja ele de centro, de esquerda ou de direita, é o poder: chegar a ele, manter-se nele ou voltar a ocupá-lo o mais depressa possível”. Que se cuide, portanto, nosso burgo-mestre atual.

E BATE O BUMBO

O esforço do PT em abafar a criação de uma CPI para investigar o que andou aprontando o seu Waldomiro Diniz mostra que o outrora partido dos oprimidos também sabe promover espetáculos sombrios e absurdos tão comuns ao insólito cenário da política brasileira. Quem deve estar vibrando com isso são pessoas como o deputado Edézio Martelli e o ex-petista Daniel Pereira que no passado foram apontados pelos barbudinhos como se estivessem com as mãos sujas. E os petistas eleitos por Rondônia para compor a bancada federal? Continuarão inertes diante das traquinagens denunciadas pela mídia nacional?


Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: