Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  sáb,   19/outubro/2019     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais

6/11/2003
taborda@enter-net.com.br
 
  
ACORDO TUCANO
A anunciada preferência da cúpula do PSDB pelo nome do deputado Everton Leoni como o melhor quadro para a disputa eleitoral do próximo ano não irá provocar nenhuma crise interna no partido, mesmo sabendo-se de antemão do empenho do próprio governador Ivo Narciso em favor do deputado federal Casara, tido como o melhor passaporte para a assunção de Reditário Cassol (pai do governador) a um novo mandato na Câmara dos Deputados. Em conversa com a coluna o próprio deputado estadual Beto do Trento, outro nome interessado em conseguir a indicação partidária para a disputa do cargo de prefeito de Porto Velho, afirmou que entre ele e Everton “há um pacto de apoio mútuo”. Beto demonstrou entender que “o PSDB tem obrigações com sua militância e não deverá deixar de escolher o nome com mais condição de somar para o partido, numa disputa tão séria, como será a eleição de 2004”. Para Trento o nome de seu colega televisivo “tem esses predicados que somam politicamente para o partido” e por isso não sofrerá, de sua parte, nenhuma restrição.

EXPOSIÇÃO DO HERÓI
Cândido Mariano da Silva Rondon, o herói brasileiro nascido em 1865, é o tema da exposição aberta na noite da última quarta-feira na Faro, pelo museólogo Antonio Ocampo Fernandes, ex-secretário municipal da Cultura e do Meio Ambiente. O nome de nosso estado, votado pelo Congresso em 1956, é uma homenagem a este sertanista que em seu trabalho de implantar linhas telegráficas em regiões inóspitas do Brasil desde o ano de 1890, defendia um relacionamento pacífico com os índios, adotando o lema “Morrer se preciso for, mas matar nunca!”. Ocampo é especialista em Rondon, sobre quem defendeu tese na Faculdade de Musicologia do Rio de Janeiro. Ele pretende transformar a exposição em itinerante, “percorrendo as várias escolas de Segundo Grau de Porto Velho”, permitindo aos estudantes um conhecimento mais profundo sobre o que significou para o Brasil e, sobretudo, para a nossa região o legado do Marechal. Além de permitir o contato dos estudantes com grande acervo fotográfico sobre a vida e as expedições de Rondon, a mostra se completa com a exibição de um documentário exclusivo, onde figuras da mais alta respeitabilidade cultural do Brasil confirmam o lado pacifista de Rondon, desmentindo versões de que ele “matou índios para levar postes telegráficos” a regiões como a nossa Rondônia. Imperdível!

LEVANTAR PORTO VELHO
Ao participar de um sarau realizado no Le Petit Taborda em homenagem ao escritor e jornalista Audálio Dantas e ao artista plástico paulista Stival Forti, o engenheiro e empresário Renato Lima, presidente do diretório municipal do PTB e virtual candidato do partido ao cargo de prefeito, explicou porque decidiu atender os apelos para entrar na vida pública: “Precisamos botar Porto Velho no mapa. Levantar o município, começando pelo respeito, o respeito que todo portovelhense merece. Quanta coisa para se fazer em Porto Velho! A nossa capital precisa ser uma vitrine para as demais capitais da região, especialmente em setores como saúde, educação, segurança, lazer e cultura. Veja, por exemplo, no setor de saneamento, como está a situação. A administração tem de ter coragem de arranjar dinheiro para fazer estas obras enterradas, sem se preocupar se o povo lembrará ou não delas. Nós precisamos conseguir, de forma concreta, um teatro, um centro de cultura. Nossa população tem o direito a mais segurança, a mais empregos, condições de ganhar a vida produzindo. Porto Velho precisa ter voz, não só junto ao governo estadual mas também em Brasília. A felicidade precisa estar ao alcance de todos que moram em Porto Velho e não ser um privilégio de um grupo pequeno. Por tudo isso aceitei participar da vida pública porque tenho respostas para estas indagações, sei como resolver estes problemas emergenciais”.

ADMINISTRADORES NO TC
Para demonstrar a nova modalidade de auditoria implantada pelo Tribunal de Contas do Estado, o presidente do TCE, Conselheiro Rochilmer Rocha, está convidando administradores públicos, municipais e estaduais, para um encontro programado para os dias 25 e 26 próximos, quando haverá um amplo debate no sentido de esclarecer todas as dúvidas em torno da nova sistemática. Auditores daquela corte de contas estarão abordando, em palestras, tópicos da auditoria integrada implementada pelo TCE e outros aspectos da moderna atuação da entidade. Prefeitos, vereadores e administradores públicos que participarem do Encontro receberão, como se informou, um manual da auditoria integrada. Para o dia 26 está prevista a palestra de Carlos Santiago, quando será abordado o tema Planejamento Governamental.

GUERRILHA
Conflitos fundiários, extração ilegal de madeira, tráfico de drogas e ocupação de terras sem documentação são, para o deputado Nilton Capixaba, “o estopim de uma guerrilha comandada pelo crime organizado”. Esta visão levou-o a solicitar ao Ministro Márcio Tomas Bastos, da Justiça, agilidade na implantação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) em Rondônia, pois ele será “a ferramenta mais importante que as forças de segurança pública poderão utilizar para restringir a ação do crime organizado em Rondônia”, disse o parlamentar.

PALAVRAS DE CONFÚCIO
“A reforma foi extraordinária. Eu fiquei surpreso como conseguiram transformar aquele antigo prédio em uma moderna estrutura arquitetônica de dar inveja”, elogiou Confúcio Moura ao presidente da ALE, deputado Carlão de Oliveira, ao visitar a “nova” Assembléia. Não foi só o prédio da Assembléia que melhorou. Veja o que o deputado federal Confúcio Moura disse: “O papel do legislativo do Estado também é outro. O que vemos hoje nesta Casa é outra dinâmica. Saiu de cena o velho clientelismo e entrou a atuação profissional e séria focada nas questões de grande relevância para o Estado de Rondônia. Era o que estávamos precisando. Uma nova Assembléia”.

VIGILÂNCIA CLANDESTINA

O deputado Edson Gazoni está preocupado com o crescente número de vigilantes clandestinos em Porto Velho e propôs, uma fiscalização mais acurada sobre a atuação dos mesmos. Ele disse que recusar os serviços destas pessoas pode sofrer retaliações. O deputado não detalhou como espera que a tal fiscalização seja exercida.

OPORTUNIDADE

Estou interessado em contratar moças com redação própria, boa cultura geral e facilidade de relacionamento com o público. As escolhidas serão treinadas para a função. Interessadas entrem em contato com o colunista pelo fone 9981-2846.

PAPAI NOEL EXIGENTE

Querido Papai Noel: Poxa, fazem 3 anos que venho pedindo um caminhãozinho de bombeiros e nada... Por favor, vê se dessa vez você me traz um!!! Obrigado, Luiz. A resposta não demorou: Querido Luiz: Seus pedidos já me encheram o saco!!! Outra coisa... não é "fazem 3 anos"... cacete, não aprendeu ainda???? Use sempre "faz 1 ano", "faz 3 anos", "faz 2.000 anos". O verbo fazer no sentido de tempo não vai pro plural...ah deixa prá lá... Quando você estiver dormindo, incendiarei a sua casa. Assim terá todos os caminhões de bombeiros que sempre desejou!!! – Papai Noel

VALE A PENA

Como todos sabem, o colunista não está aqui para fazer média com artista, só porque ele pertence ao “cast” da cidade. Até porque aqui também tem muita enganação. Mas quando se trata de Rubens Parada não se pode negar que ele é digno dos aplausos e respeito daqueles que apreciam um artista completo em suas interpretações no palco. Certamente seu próximo show “Una Noche Mexicana” será mais uma daquelas noites imperdíveis. A música mexicana não é para principiantes, incapazes de perceber a diferença entre um “guitaron” e um violão. Certamente Parada vai por no palco ótimos mariachis para sobressair-se como um seresteiro do tipo Miguel Aceves Mejia que tanto encantou minha infância no tempo em que o cinema mexicano tomava conta das telas nacionais. Quem teria coragem de perder um espetáculo internacional como esse, que ocorrerá no próximo dia 15, no Círculo Militar? Certamente não será o leitor.

NO CIRCO POLÍTICO

O PT de Porto Velho pode não ter nem um nome capaz de agitar o pedaço para concorrer à prefeitura da capital. Todavia, agora que é governo e manda no país, o PT tem a seu favor uma contabilidade que os outros partidos nem sonham. E quem comentava isso era um daqueles barbudinhos fascinado com a posição de bigboss que jamais imaginou conseguir. Falava, ao que tudo indica, da situação do partido a nível nacional. “O PT parte para as eleições municipais com monumental caixa de R$ 35 milhões e sem dever a nenhum fornecedor. Tem todas as contas em dia. Sabe mobilizar e nem precisa cobrar contribuições dos seus filiados, que elas chegam naturalmente. Suas finanças são bem administradas”. Possivelmente ai esteja a explicação para os brilhantes olhos de Roberto Sobrinho, aquele que nunca ganhou uma eleição mas sempre conseguiu subir, a cada derrota, um novo degrau na escala social.

Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: