Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  sex,   10/julho/2020     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais - 17/09/2003

16/9/2003
taborda@enter-net.com.br
 
  
POSIÇÃO DO GOVERNADOR
A pesquisa nacional, promovida pela Brasmarketing, que avaliou 27 governadores (o do Distrito Federal ficou de fora) deixando de fora do ranking dos mais honestos o nosso Ivo Narciso – da região apareceram só o amazonense Eduardo Braga (segundo lugar) e o acreano Jorge Viana (em terceiro) – acabou dando a Ivo a 11ª posição no quesito excelência administrativa, superando gente como o governador Blairo Maggi, do Mato Grosso; Aécio Neves, de Minas; Rosinha Garotinho, do Rio. Esta posição não deixa de ser um consolo para o governador rondoniense, mesmo sendo superado novamente por Eduardo Braga (o melhor governador do Brasil, de acordo com a pesquisa) e Jorge Viana (sexto colocado, em termos de excelência administrativa).

ESSE É HOMEM
O alerta é o colunista carioca Fred Suter: “Rodolfo Tourinho, que será Relator da Reforma Tributária, foi vice-presidente do Banco Econômico, que fechou, também vice da OAS, que quebrou, e Ministro das Minas e Energia que garantiu que no Brasil não haveria apagão”.

PREVISÃO
Carlos Magno, prefeito da Arom, prevê que a maioria de seus colegas em condições legais de disputar a reeleição deverão ficar fora do pleito. O empobrecimento das finanças municipais, a impossibilidade de atender a maioria dos pleitos sociais, as restrições determinadas pela legislação em vigor para certas iniciativas próprios estão desestimulando os alcaides a buscar renovação de mandato. O próprio presidente da Associação dos Municípios de Rondônia considera “muito longo e desgastante” um período de oitos à frente de uma administração municipal. Magno defende um mandato de “seis anos” sem reeleição, como o ideal para os administradores das nossas urbes.

PREFEITURA
A entrada de Cláudia Carvalho, mulher do falecido deputado Sérgio Carvalho, num partido comunista apenas reforça a constatação de que a prefeitura de Porto Velho deve ter uma eleição muito concorrida, mas não muito disputada. Vamos ter vários candidatos, mas boa parte quase sem chances. E nesse quadro Mauro Nazif continua liderando todas as preferências, na opinião de analistas, mas sofre de evidente desgaste entre seus antigos admiradores “da esquerda” e, porque não dizer, com o próprio povo. O quadro está tão instável que o experiente Eurípedes Miranda Botelho, agora presidente da Ceron, acredita piamente que esta será uma eleição dos “novos”. Mas não contou qual desses “novos” tem musculatura suficiente para chegar na grande final.

GRANDE PADRINHO
Entre os novos, o deputado Hamilton Casara, guajarimiriense sem maiores ligações com a Capital, tem um padrinho de peso, o próprio governador Ivo Narciso. Para quem estará praticamente no meio do mandato, a posição de Hamilton permite-lhe disputar qualquer coisa. Não perde nada e ainda reforça seu nome, consolidando possibilidades de uma reeleição mais tranqüila em 2006. Disputar tendo a seu favor toda a máquina faz de Hamilton um “novato” com força bastante para enfrentar as candidaturas mais reforçadas diante do colégio eleitoral propriamente dito. Mas o PSDB tem outro candidato: o televisivo Everton Leoni ainda não jogou a toalha. Sabe que se a coisas for decidida com base em pesquisas, seu cacife é o mais alto dentro do partido.

SEM CANDIDATO
A recente visita de Michel Temer, presidente nacional do PMDB, ao Estado não mudou praticamente nada na situação do partido, especialmente em Porto Velho. Temer enfatizou o interesse da cúpula nacional “em estimular o partido a lançar candidatos próprios” em todas as capitais. Na nossa Capital o partido de Amir Lando teria, teoricamente, dois candidatos: Luiz Augusto, o médico, e José Guedes, agora o criador de galinhas. Fala-se ainda em Nelson Marques, o ex-executivo da Teleron. Todos os três são fracos. Luis Augusto é mais eleitoral, Nelson é mais, digamos, comercial e Guedes é mais necrológico e ao mesmo tempo o mais interessado. Vai acabar não saindo ninguém. A tendência do PMDB é apoiar alguém de fora. Mauro Nazif torce para isso. Poderia obter um reforço muito maior do que o sonhado pelos seus correligionários.

NA CORRIDA
Ele está em plena corrida para ser o indicado pelo PT à prefeitura de Porto Velho. É por isso que o deputado federal (noviço, mas com um mandato importante) está em todas manifestações organizadas pela sociedade rondoniense, sobre qualquer assunto. Não perde festas, seminários, congressos, passeatas (foi destaque na passeata gay), etc. Na mesma corrida, mas sem fôlego, caminha Roberto Sobrinho. Não consegue tirar proveito nem como coordenador do Fome Zero que, aqui também, ainda não emplacou nada no Estado. Não tem a menor chance de se eleger mesmo se o PT der nas suas mãos, além do Fome Zero, todos os instrumentos que dispõe hoje em decorrência de ter o governo federal. Sobrinho, que foi Secretário da Municipal da Educação no governo de José Guedes, não acredita, mas não conseguiu – coisa fácil de constatar – seduzir a grande massa dos eleitores desse segmento importante. Pelo contrário.

NA MIRA
Como não podia deixar de ser, Renato Lima já está na alça de mira de eventuais concorrentes à prefeitura de Porto Velho. Novato no ramo da disputa eleitoral, ele tem ganhado muita visibilidade como possível candidato ao cargo, pelo PTB, partido do qual é presidente, do diretório municipal. Agora mesmo Renato denunciou à Justiça eleitoral uma manobra contra suas pretensões políticas. Alguém andou pregando cartazes de sua suposta campanha em postes e locais públicos da cidade, objetivando inviabiliza-lo como candidato por fazer propaganda eleitoral antes do prazo. O engenheiro não sabe de onde partiu tal manobra.

SEM COMPROVAÇÃO
Carece de comprovação o informe em circulação nos bastidores políticos sobre a decisão do professor Moisés de Oliveira, secretário geral do PFL, de não mais disputar a indicação do candidato a prefeito de Porto Velho, para ficar cuidando da “horta” política da partida na cidade de Alta Floresta. Porto Velho, onde Moisés mora há longo tempo, atrai os interesses do professor por “possibilitar uma projeção política estadual” e por permitir que ele continue próximo do irmão, que vem a ser o presidente da Assembléia, ajudando na coordenação de sua política administrativa do parlamento e, claro, na política eleitoral de Carlão que olha 2006 como um ano de sua grande decisão.

FACTOIDE
Pode parecer estranho, ou até mesmo um factóide... E talvez seja justamente isso. Mas dona Silvana Davis vai deixar o ótimo emprego no Detran para disputar a prefeitura de Porto Velho. Não tenho a menor idéia de quem poderia “comprar” a candidatura de dona Silvana. Sem um patrocínio forte a pretensão dessa “negra, servidora da FSN, ex-vereadora, etc, etc” parece brincadeira. É certo que dona Silvana teve uma bela votação como ex-candidata ao senado. Mas ali teve as benesses de um “financiamento” forte, daquele que desce redondo. Sem esse tipo de ajuda eu não apostaria quase nada nessa bizarra aventura. Resta um consolo: dona Silvana não ficará desempregada se o desfecho for catastrófico. Pode, no entanto, não ter mais uma gratificante “boquinha” na corte de Ivo.

PONTO DE ENCONTRO
Graças ao agitador cultural Carlinhos Maracanã, a Casa da Cultura Ivã Marrocos torna-se, nas quartas-feiras, um verdadeiro ponto de encontro da intelectualidade e da boemia de Porto Velho. Assim na noite de hoje você poderá se livrar daqueles shows patéticos, de barzinhos idem e de locais onde o pessoal costumar “tirar o couro do consumidor”, vendo o Ernesto Melo (um dos melhores violões de Porto Velho) e o Maracanã mostrar que ainda acontece alguma coisa na sociedade alternativa dessa Capital. Se você é um cara antenado, que não gosta de perder tempo com essas bobajadas e impressões parciais das coisas referentes à genuína cultura popular, certamente você deverá estar lá no espaço aberto da Casa da Cultura nessa noite. O único risco que você pode correr é de ficar habituado a aparecer todas as quartas e sair espalhando por aí que não existe melhor divertimento para as pessoas cabeças.

CONSCIENTIZAÇÃO
Ôrra meu! Não é que mais um monte de presos do Urso Panda, anexo do Urso Branco, deram no pinote! Afinal, quando esses bandidos irão se conscientizar de que ao fugirem em grandes grupos estão não só fazendo a apologia do crime como financiando e fortalecendo a violência? Fala sério... isso acontece sem alguma “ajudinha” interna?

LÁ VAI O DAVID
Para quem achava que o David Erse, o filho do Chiquilito, tinha escafedido-se da canoa da política, uma novidade: ele vai voltar. E volta na próxima sexta-feira, quando assinará a ficha do PSB. Quem for fã do rapaz pode aparecer lá na sede do partido, defronte à Câmara Municipal. Desta vez o David vai disputar uma vaga no legislativo mirim. Tem tudo para garantir uma cadeira.

Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: