Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  sáb,   19/outubro/2019     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais - 05/09/2003

4/9/2003
taborda@enter-net.com.br
 
  
A MOÇÃO DO BETO
O amável Beto do Trento, jovem parlamentar do PSDB, é o autor de moção de pesar à família do jornalista Roberto Marinho, aprovada pela totalidade da Assembléia Legislativa, como certamente não deveria deixar de ser. É claro que a moção do nosso parlamentar mais jovem segue a linha utilizada por todos que se pronunciaram sobre a morte do importante empresário das comunicações, principalmente os políticos, enaltecendo os feitos do homem morto, que fundou a Rede Globo. Negar os feitos do dr. Roberto Marinho seria uma burrice. Um homem que aos 60 anos aceita o desafio de criar uma rede de tevê da importância da Globo, a quarta maior do mundo, merece ter seu esforço reconhecido como formidável, principalmente num país como o Brasil que possuí uma das maiores cargas tributárias do mundo e que está sempre dentro de um quadro de incertezas econômicas. Eu particularmente gostei da frase do criador da Globo, tão destacada nas homenagens póstumas: “Nos meus comunistas ninguém mexe. Deles cuido eu”. E, segundo consta, parece que o dr. Roberto Marinho realmente soube protege-los da brutalidade da ditadura. Ah, que bom seria se hoje, quando governantes e políticos dos mais diversos matizes fazem de tudo para domar jornalistas, pressiona-los, todos os donos dos grandes veículos seguissem esse exemplo: “Ninguém vai pressionar os meus críticos! Ninguém irá castra-los”.

O que não deve ser mantida é a falsa impressão de que o dono da Globo “peitou” a ditadura. É bom lembrar que a rede Globo surgiu exatamente em 1995, um ano após o golpe militar. E surgiu porque o empresário Roberto Marinho obteve sinal verde dos ditadores de plantão. A rede deveria ser criada por Assis Chateaubriand. Este não era, no entanto da confiança dos milicos, que o consideravam um aventureiro. Daí foram criadas todas as facilidades para que o dr. Roberto firmasse o acordo com o grupo americano Time-Life, que colocou em suas mãos 4 milhões de dólares, permitindo o início da rede de televisão. A Globo se agigantou e mesmo assim não confrontou o regime militar em nenhum momento. Aliás, só em 1985 o termo “ditadura militar” foi usado em seu telejornalismo. Em 1984, quando milhares de pessoas por esse país afora clamavam por Diretas-já, a Globo ignorava o movimento e por isso colheu vaias em quase todas as concentrações populares (O povo não é bobo...).

Fernando Collor de Mello possivelmente não teria chegado à presidência da República se a Globo não tivesse abraçado sua candidatura por ordem, é claro, de Roberto Marinho. Ele foi extremamente beneficiado no debate de 1989, em detrimento do atual presidente Lula. E foi, depois de algum tempo, a própria Globo que ajudou a varrer Collor, dando dimensão nacional às denúncias de seu irmão, Pedro, estimulando a população a protestar. Estes são fatos que, é claro, Beto do Trento não falou. Talvez nem soubesse deles.

EMATER
O senador Amir Lando foi o único parlamentar rondoniense a exaltar, na sessão de ontem do Senado, os 32 anos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, Emater, de Rondônia. Em seu discurso o senador garantiu que a Emater atende de perto cerca de 100 mil famílias rurais no nosso Estado. Para ele o trabalho da Emater é fundamental para promover a inclusão social das pessoas ligadas à agricultura familiar. O senador lembrou que a Emater surgiu nos idos de 1948, em Minas Gerais, através da Acar, “que começou a política desenvolvimentista de modernização e melhorias na vida da população rural”.

OAB
A sexta-feira marca dois importantes eventos em torno da disputa da presidência da seccional rondoniense da Ordem dos Advogados do Brasil. O advogado Raul Fonseca faz o lançamento oficial de sua candidatura numa festa, recebendo em seu escritório os simpatizantes de sua campanha. Orestes Muniz, já lançado candidato, faz uma festa reunindo parceiros no clube Takeda. O advogado Orestes, da chapa de Oposição, deixa claro assim o apoio que recebe do segmento empresarial. A campanha do candidato de Oposição é coordenada pelo poderoso empresário Geraldo Assis, que já foi presidente do diretório municipal do PTB em Porto Velho.

CORRUPÇÃO
Com a presença de Luiz Francisco de Souza, Procurador da República, foi lançado na quinta-feira, em Porto Velho, o Fórum Transparência de Rondônia. A nova entidade combater sem tréguas todo tipo de corrupção, no setor público e privado, que venha a acontecer em nosso Estado. O objetivo não é apenas denunciar, a nível nacional, as práticas de corrupção, principalmente no meio político e na administração, mas também cobrar empenho das autoridades responsáveis nesse combate. O Fórum congrega diversas entidades civis, representando os setores eclesiásticos, estudantis e de trabalhadores. Luiz Francisco tornou-se notável por denunciar figurões da política nacional, contribuindo para a prisão de alguns deles.

DESCANSO
O prefeito Carlos Magno, de Ouro Preto, afirmou ao colunista que não pretende influenciar sua sucessão em 2004. Ele confessou-se cansado da vida pública, “após tantos anos” como executivo municipal e, acentuou, “pretende terminar o mandado e descansar por pelo menos uns dois anos”. Isso significa que em 2006, Magno – que é o presidente da entidade que representa os municípios do Estado – deverá apresentar-se para a disputa, possivelmente no rumo da Câmara dos Deputados. Considerando-se um dos responsáveis pela eleição do deputado Amarildo, do PDT de sua cidade, Magno disse que “não pretende participar diretamente” de sua campanha se ele sair como candidato a prefeito.

MAGOADO
O ex-deputado Daniel Pereira deixou o PT profundamente magoado com seus cardeais. Para ele, receber uma decisão punitiva pelo correio, sem ter o direito de pelo explicar-se perante os mandatários do Diretório Regional do Partido, não foi só um desrespeito aos seus mais de 20 anos de militância junto aos “barbudinhos”, mas uma tremenda ingratidão por tudo que fez pelo crescimento do partido no Estado. Daniel sente-se vítima de “uma manobra” engendrada por alguém que “não queria” vê-lo na disputa das eleições municipais de 2004 em Porto Velho. Nas entrevistas que andou concedendo, várias farpas foram atiradas contra os métodos da Senadora Fátima Cleide para controlar e manipular o poder nas entranhas do partido.

NO PÁREO
Everton Leoni não desistiu de submeter seu nome à convenção do PSDB que irá escolher o candidato à prefeitura de Porto Velho. Ele reconhece que o governador Cassol demonstra “uma ligeira preferência” pelo deputado Hamilton Casara, mas isto não o preocupa, “porque o governador não deverá ir contra a decisão dos convencionais” e estes “irão escolher aquele nome melhor colocado na preferência do eleitorado”. Everton afirmou que “seu programa voltará à televisão” sem o objetivo de ampliar seu potencial eleitoral: “No programa a gente nem falará de política, pois meu público não gosta disso”, sentenciou.

STRESS
Dando um duro danado para fazer do Ipam uma instituição modelar, o presidente do Instituto, o ex-deputado Dedé de Melo está à beira do stress e por isso às vezes é incompreendido até por pessoas que tem por ele uma grande admiração. Mas o esforço não tem sido em vão. Tudo vai acabar se encaixando, mesmo aquelas coisas que ainda não agradam ao próprio presidente, os chamados entraves burocráticos. É inegável que Dedé tem se desdobrado para corrigir os erros do passado. Por isso tem todo apoio do prefeito Carlos Camurça.

BRIGANDO
Agora Rondônia tem um governo capaz de falar grosso quando é necessário defender os interesses do Estado. E seu estilo foi sentido pela própria Ministra Marina, do PTB, pela sua insensibilidade em desengessar a agricultura rondoniense em virtude da famigerada MP que exclui a maior parte dos produtores rurais do acesso aos recursos do Basa. O governador deixou claro para a Ministra que Rondônia não vai aceitar a posição de ajoelhar-se aos argumentos daqueles que pretendem decidir o futuro de nosso Estado nos refrigerados gabinetes de Brasília. Se a senadora acreana, atual Ministra do Meio-Ambiente, for informada da capacidade de Ivo em enfrentar uma boa briga acabará compreendendo a justeza da reivindicação do povo rondoniense, cansado de tanta humilhação vinda do centro do poder da República.

DIA 19
Todo o pessoal ligado a área de comunicação e relações públicas da Assembléia estão em rítmo de trabalho redobrado para fazer do dia 19 próximo uma data inesquecível, com a inauguração do “novo” prédio do Poder Legislativo. Autoridades de renome nacional deverão estar presentes em Porto Velho. Com a total reforma, levada a efeito pelo presidente do Poder, o Estado ganha uma sede do Poder Legislativo que não fica a dever praticamente nada a capitais do porte da nossa.

REVOLTA
De Vilhena vem a informação de que o povo pretende fazer manifestações cobrando o total esclarecimento do escândalo sexual envolvendo menores e figuras de proa dos setores políticos e econômicos do município. A população também quer o fim da “lei da mordaça” contra a imprensa local, para não publicar nada sobre o escândalo.

Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: