Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  qua,   17/julho/2019     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais - 20/08/2003

20/8/2003
taborda@enter-net.com.br
 
  
BOCA NO TROMBONE
Jânio Batista Nascimento, líder da Liga dos Camponeses Pobres, com sede em Jaru, passou o final da última semana em Brasília denunciando a tática de intimidação patrocinada por grileiros e latifundiários, com o apoio de segmentos políticos do conservadorismo. Ele contou a Gercino José da Silva, Ouvidor Agrário Nacional, com quem se encontrou após avistar-se com o senador Amir Lando e a senadora Fátima Cleide, que a sede da LCP, em Jaru, foi alvo de ação de Policiais Militares que levaram documentos, computador, filmadora, máquina fotográfica e até dinheiro, sem maiores explicações. Jânio disse a autoridades do governo federal que 19 integrantes da LCP estão presos, sob acusações que o líder da Liga considera “meramente forjadas”. Jânio lamentou que a Polícia Militar não aja com o mesmo rigor contra os latifundiários criminosos, “mandantes de execuções de sem-terras e donos de exércitos compostos de jagunços, armados até os dentes”. O líder maior da LCP entregou às autoridades em Brasília um dossiê “mostrando o conluio do latifúndio com a Polícia Militar, responsável por diversos assassinatos e torturas contra os sem-terra”.

NOITE INESQUECÍVEL
Orestes Muniza (o advogado) e Claiton Pena (o publicitário) passaram rapidamente pelo Le Petit Taborda na noite do sábado para prestigiar o aniversário do colunista. Não podia demorar, pois estão em campanha pela presidência da OAB. Deixaram de assistir às magníficas interpretações de consagrados artistas de Porto Velho numa noite que certamente tornou-se inesquecível para dezenas de amigos que recebi, numa festa que só terminou às 4 horas do domingo. Não farei, aqui, nenhum comentário específico sobre o inigualável talento de Julio Yriarte, Rubens Parada, H. Montenegro, Nicodemos, Maracanã, Orlando do Estácio, Banana Split, Arimar Souza Sá e muitos outros que dignificaram com suas performances o palco do Le Petit. Isso é assunto para uma reportagem especial, a ser divulgada oportunamente. Mas graças aos grandes amigos do jornalismo, da cultura, dos negócios, do mundo intelectual e político, a comemoração do aniversário deste coluneador ficará indelevelmente marcada na história de nossa vida. Ninguém vive sem amigos. Por isso muito obrigado a todos vocês pela demonstração de carinho.

E AGORA MACHÕES
Para a tristeza dos machistas de plantão, e alegria de outros homens que preferem ser comandados por mulheres, na idéia de que elas são mais dóceis e compreensivas, graças ao trabalho de um mulher determinada, a deputada Hellen Ruth, a Polícia Militar de Rondônia passa a ser comandada pela coronel Angelina dos Santos Correa Ramires, que assumiu o posto deixado pelo Cel. Faller. No caso de Angelina, seu ingresso no quadro de comandantes da tropa militar não pode ser uma simples surpresa, mesmo num país onde é raro ver uma mulher desempenhando cargo tão complexo, comandando principalmente homens. Tem gente aflita com a ascensão da coronel Angelina. Pura bobagem. Angelina está devidamente habilitada às responsabilidades da caserna. A imagem de que o comandante de uma força como a Polícia Militar tem de ser necessariamente uma pessoa forte e máscula não tem nada a ver com estes tempos. Hoje, num mundo onde o que conta é a habilidade tecnológica, a capacidade de raciocínio e liderança dispensa aqueles que buscam conduzir as coisas e pessoas no muque. O que se espera é que Angelina tenha melhor capacidade de gerenciamento que seu antecessor. Mesmo que a coronel imprima em seu comando algumas peculiaridades femininas, certamente não deixará de pensar a Polícia Militar como uma instituição profissional responsável pelo combate preventivo ao crime e pela segurança dos cidadãos. E não deverá demorar muito para que algum membro do alto comando da PM, a título de elogio, acabe dizendo a Angelina: “você comanda... como um homem”.

FUNCIONANDO
Já está funcionando o mais novo hospital de Porto Velho, criado pelo iniciativa privada. Trata-se do Hospital Bom Jesus, inaugurado no último dia 18, com sede na avenida Calama, 5175, proximidades do bairro Quatro de Janeiro. No coquetel de inauguração o diretor clínico, Rogério Neves, médico vindo do Rio Grande do Sul especialmente para assumir essa função, mostrava aos convidados equipamentos de última geração a serem utilizados em cirurgias especializadas. O novo hospital terá uma sala de cirurgias a laser, onde se dispensa a sutura nos pacientes. Ozias, assessor do deputado Ronilton Capixaba, contava orgulhoso que o novo hospital pertence à sua mulher. Ele recebeu, entre dezenas de convidados, a presença do Secretário de Estado da Saúde, Miguelzinho Sena, e a do presidente da Associação dos Médicos de Rondônia, Aparício Carvalho, que se fazia acompanhar Silvia, sua mulher. Também participou da festa o advogado João Sismeiro, chefe da Defensoria Pública do estado.

É DO JOGO
A informação é sempre um bem apropriado e manipulado pelo poder central. Assim o mais aconselhável é não ir acreditando piamente naquilo que é servido cotidianamente pela mídia. A troca do comandante da PM é apenas a sinalização de que o governo – malgrado suas diatribes verbais – busca um pacto de cumplicidade com os deputados, igualmente interessados em fortalecer seus instrumentos particulares de fazer política, ampliando os chamados votos cativos. O governador está descobrindo, por fim, que não vale a pena ser contra a maioria dos deputados. Descobriu que não resistiria a uma oposição unificada de parlamentares. Se no final o governo acabará cedendo as pressões dos deputados para evitar um impiedoso tratamento político, porque não dar início logo – para fechar antes do final do ano – às mudanças de seu secretariado, reclamadas por parlamentares do alto clero? No sistema de governo do Brasil, o governador não manda tanto quanto fala, quanto pensa ou quanto acredita. Nesse jogo os deputados têm a seu favor aquela palavrinha chata, o “impeachment”.

SONHO PEEMEDEBISTA
Alguns peemedebistas interessados em pesar no arranjo do tabuleiro de xadrez da política de Porto Velho trabalham no sentido de conseguir o mais rápido possível a filiação do ex-deputado federal e atual presidente da Ceron, Miranda Botelho, que consideram peça essencial para um cheque-mate na sucessão de 2004. Para eles, com a força da legenda e um nome realmente representativo, especialmente entre o eleitorado dos servidores públicos, tornar-se-ia verdadeiramente possível agregar Mauro Nazif a um projeto capaz de sobrepor-se “ao tal frentão que o PFL, junto com o PDT, tenta formar”. Apenas a exposição desse “sonho” já é o suficiente para constatar que o PMDB não tem o menor interesse em aderir “ao frentão” ou caminhar a reboque de outra aliança na disputa eleitoral do próximo ano. Que se cuidem os pretensos candidatos do PMDB. Miranda Botelho começa a ficar fascinado com essa alquimia política.

NO INTERIOR

Viajou ontem para o interior onde cumprirá agenda em diversos municípios, o presidente da seccional rondoniense da OAB, o advogado Hiram Marques. Manterá contato com membros de sua categoria para falar sobre as próximas eleições onde se definirá o nome do futuro presidente. Hiram não disputa a reeleição, mas apóia a candidatura de Raul, seu atual vice. Ele explicará mais uma vez que Raul representa exatamente o advogado militante, sem estar preso aos interesses empresariais das grandes bancas que praticamente monopolizam as melhores e mais importantes ações.

PERGUNTA

Empresas responsáveis por planos de saúde e medicina de grupo perguntam: Que isenção terá o chefe de um órgão como o CRM para falar em desvios éticos de publicidade se ele é ocupa importante cargo corporativo numa poderosa cooperativa concorrente?

MORATÓRIA

Algumas prefeituras de Rondônia estão no limiar de decretar moratória de suas dívidas em conseqüência da drástica redução no repasse do FPM. Fornecedores das administrações estão roendo as unhas na expectativa de que isso não aconteça.

RECONHECIMENTO

A professora Maria Antonieta (irmã de Silvernani Santos), vereadora de Porto Velho, está cada vez mais encantada com o preparo intelectual do professor Moisés Oliveira, secretário geral do diretório regional do PFL. Ela considera que o jovem professor tem todas as credenciais para ser escolhido candidato a prefeito de Porto Velho, com capacidade de levar o partido à vitória. A manifestação da vereadora ganha importância porque ela sempre esteve ligada ao grupo de Moreira Mendes. Sua declaração deixa transparecer que o ex-senador não terá maiores chances em conseguir uma indicação partidária para disputar, como candidato a prefeito, as eleições de 2004.

Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: