Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  s√°b,   19/outubro/2019     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais

28/6/2003
taborda@enter-net.com.br
 
  
O DESTEMPERO
As turbul√™ncias pol√≠ticas definitivamente influem o comportamento do soba rondoniense. E ai o seu destempero acaba revelando e sinalizando para estabilidades cont√≠nuas no governo, diante de um comportamento pouco democr√°tico e narcisista que continuar√°, pelo visto, sendo a marca durante os quatro anos de gest√£o desse Narciso. A interven√ß√£o abrupta do “imperador” num programa radiof√īnico onde o colunista – ao lado de outros jornalistas – era entrevistado por uma r√°dio comunit√°ria de Rolim, no √ļltimo dia 26, continuam repercutindo negativamente para o poderoso em seu pr√≥prio cartel.
Como sempre, de seu or√°culo, as palavras jorraram toscas e seu raciocino parecia nascido do chamado c√©rebro de camar√£o, o que em termos desse Narciso nem chega a ser novidade. Improp√©rios, recalques, gafes n√£o desfizeram a vis√£o de um governo de nulidades, acostumado a elogiar suas pr√≥prias limita√ß√Ķes, suas pr√≥prias ignor√Ęncias. Esse tipo de comportamento tem serventia apenas para emoldurar a nulidade dos primeiros seis meses, carregando ainda mais de cinza o incerto futuro.
Fica dif√≠cil para quem pretende analisar e definir o que ai est√° sem a utiliza√ß√£o de voc√°bulos como frivolidade, disson√Ęncia, depress√£o, melancolia, etc, falar dessa coisa que alguns chamam de “governo”. J√° conhe√ßo o fim desse filme, onde o personagem principal acaba tendo de esconder-se num bunker qualquer ao descobrir, chocado, que o governo n√£o funciona s√≥ com a popularidade dos √°ulicos de sempre.
Enquanto o estado permanecer na posi√ß√£o ris√≠vel dentro da federa√ß√£o, os custos pol√≠ticos para toda essa sociedade (at√© para os √°ulicos) ser√£o alt√≠ssimos. Esse marketing do “comigo √© assim”, “eu fa√ßo e ta acabado”, serve s√≥ para ressaltar a ocupa√ß√£o fisiol√≥gica do governo, a sua t√īnica dirigista, o seu tom palanqueiro e a sua hesita√ß√£o. Essa s√©rie de confus√Ķes confirma que estamos diante de uma farsa dolorosa que, se algu√©m n√£o tomar alguma outra medida, ir√° durar mais 3 anos e meio. Esse per√≠odo representar√° mais de d√©cada de travamento no processo de retomada do progresso econ√īmico e social de Rond√īnia.

SAFRA GARANTIDA
√Č not√°vel a alegria de alguns rolimeirenses (um grupo expressivo, segundo pessoas bem informadas daquela comunidade) que, em virtude da formata√ß√£o do atual governo, acabaram tendo de trocar a cidade por uma temporada na capital. Esse pessoal, em seis meses de poder j√° ganharam, em termos de rendimento salarial (u√©, em quem disse que sal√°rio √© renda?) muito mais do que ganhariam em mais de um ano labutando no reduzido per√≠metro da fronteira de Rolim. O pessoal – tudo g√™nio, dentro do conceito do bigboss estadual – vem para Porto Velho com sal√°rio m√≠nimo da ordem de 4,5 mil reais ao que agregam ainda benesses bem ao estilo de espertos maraj√°s.

T√ĀTICA DA UNIVERSAL
Pol√≠tico que espalhar por ai aquela conversa de que a Igreja Universal est√° fechada com este ou aquele partido, estar√° falando besteira. Na elei√ß√£o passada dizia-se que Fl√°vio Lemos seria eleito pela Igreja e que seu partido, o PL, era o escolhido da c√ļpula macediana. Conversa, Fl√°vio foi para o vinagre. Vai ter de rebolar, e muito, se desejar permanecer na C√Ęmara Municipal. A igreja do bispo Macedo usa a tradicional t√°tica dos caciques pol√≠ticos. A de espalhar seus candidatos por v√°rios partidos, na inten√ß√£o de eleger todos. Em Rond√īnia a poderosa organiza√ß√£o quer dist√Ęncia do PL, agora com uma c√ļpula que n√£o merece sequer uma “Aleluia!” ou uma “gl√≥ria a Deus!” mais tronitroante.

CANTO DA SEREIA
√Č grande o n√ļmero de virtuais candidatos a vereadores em 2004, hipnotizados com o novo canto da sereia ouvido no mundinho pol√≠tico de Porto Velho. Est√£o acreditando que Oscar Andrade repetir√° os esquemas milion√°rios de atra√ß√£o de votos, repetindo as nuances do antigo “4040” com seus mega-shows. Dizem que o mo√ßo que veio de Minas vai espelhar nada menos que 5 milh√Ķes na opera√ß√£o de convencimento do eleitorado dessa terra banhada pelo Madeir√£o.

APROVAÇÃO TOTAL
A realiza√ß√£o da Assembl√©ia Itinerante em Rolim de Moura, por iniciativa do deputado Carl√£o de Oliveira, recebeu aprova√ß√£o de mais 70%, de acordo com resultado de pesquisa de opini√£o realizada entre as duas mil pessoas que passaram pelo templo da igreja Assembl√©ia de Deus, onde a sess√£o ordin√°ria (√ļltima antes do recesso) foi instalada. Carl√£o de Oliveira foi aclamado como “o melhor presidente que a Assembl√©ia Legislativa j√° teve”, superando as maiores marcas conseguidas por seu antecessor, o ex-deputado Natanael Silva, agora conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

FORÇA TOTAL
Na √°rea dos gr√°ficos, uma fonte que conhece de perto o setor, destacou a for√ßa dominadora da Rondoform nas transa√ß√Ķes com o governo. O sindicato das ind√ļstrias gr√°ficas est√° preocupado com uma poss√≠vel quebradeira que esse relacionamento provocar√° no setor, atingindo a maioria das pequenas gr√°ficas que n√£o t√™m pistol√£o.

O NOVO RONILTON
Depois de tornar-se vice-presidente nacional da Unale, o deputado Ronilton Capixaba vem crescendo em import√Ęncia pol√≠tica no Estado de Rond√īnia por seus pronunciamentos. Ele recebe parab√©ns de todos os quadrantes rondonienses por mostrar aquilo que boa parte da classe pol√≠tica e dos meios de comunica√ß√£o t√™m coragem de dizer: o rei est√° nu. Ronilton conseguiu identificar que entre o povo reina o descr√©dito nos bobos da corte. Suas catilin√°rias ecoam entre todos aqueles decepcionados com a festa do nepotismo, dos neg√≥cios de compadre, dos epis√≥dios desastrosos expondo o Estado ao rid√≠culo, com um b√°lsamo para quem est√° com a garganta sufocada, para quem todos os canais de manifesta√ß√£o est√£o fechados. Ronilton compreendeu que os quase dois milh√Ķes de habitantes dessa Rond√īnia necessitam – e esperam, de uma estrat√©gia de desenvolvimento, at√© agora n√£o formulada, n√£o anunciada. Gra√ßas √† sua desabrida coragem, outros parlamentares, como Edson Gazzoni (este paulista) tamb√©m come√ßa a tornar-se porta-vozes dessa √Ęnsia popular, notadamente dos segmentos ligados √† produ√ß√£o.

NA BERLINDA
Ainda continuo analisando o catatau de documentos em meu poder para tirar da berlinda, de uma forma definitiva, para o conhecimento da sociedade todos os ind√≠cios de favorecimento e desvios de recursos p√ļblicos que fizeram a alegria de uma meia d√ļzia de benefici√°rios na constru√ß√£o (que ainda n√£o acabou) do tal Aeroporto Internacional Jorge Teixeira, para g√°udio do Infraero local. Tem gente com a pulga atr√°s da orelha, principalmente depois de uma auditoria recentemente realizada naqueles dom√≠nios. O que tem de caub√≥is correndo atr√°s do senador Valdir Raupp, de Amir Lando e de outros pol√≠ticos com grande tr√Ęnsito nos escaninhos do poder em Bras√≠lia, na esperan√ßa de aliviar poss√≠veis puni√ß√Ķes n√£o est√° escrito em gibi nenhum. Certamente estes nossos representantes na pol√≠tica nacional n√£o proteger√£o os autores dessa intoler√°vel novela, que se julgam intoc√°veis.

CONSUMIDORES BABACAS
As conseq√ľ√™ncias dos consumidores acostumados a freq√ľentar os supermercados fazendo, depois que pagam as compras no caixa, o papel do empacotador, colocando as compras na sacola, arrumando-as no carrinho de compras, empurrando-o at√© o ve√≠culo estacionado, etc, etc, se revelam diariamente em humildes casebres dos arrebaldes para retornou o empacotador que perdeu o emprego. Engra√ßado √© que tem gente que acha simp√°tico e correto agir assim. N√£o sabem, por exemplo, que os supermercados embutem no pre√ßo final do produto os custos com os sal√°rios e encargos dos empacotadores. Quando o consumidor assume esse papel, os donos dos supermercados demitem aqueles que verdadeiramente precisam daquele sal√°rio e, claro, n√£o d√£o desconto ao consumidor babaca.

PESQUISAS
Estou selecionando mo√ßas interessadas em trabalhar como pesquisadoras, num projeto que pretendo ver funcionado j√°. As interessadas, com idade acima dos 17 anos, facilidade de relacionamento com o p√ļblico, e disponibilidade para pequenas viagens, podem entrar em contato com o colunista. Tamb√©m estou precisando, com urg√™ncia, de uma empregada dom√©stica. Mais informa√ß√Ķes pelo fone (069) 9981-2846.

LAVANDERIA
O crime organizado vem usando o mercado imobiliário para lavar dinheiro. Isto é o que garante uma fonte do setor. Segundo ela, a tática é comprar imóveis, principalmente casas de boa qualidade, e apartamentos que têm preços superfaturados na hora da escrituração, permitindo a legalização de dinheiro de origem ilícita, principalmente do narcotráfico.

PT S√ď PENSA EM CARGOS
No final do governo FHC foi encaminhado um projeto de lei ao Congresso Nacional permitindo a cess√£o de parte da Floresta Amaz√īnica aos interesses internacionais, abrindo assim, legalmente, a brecha para a internacionaliza√ß√£o da nossa regi√£o. No novo governo Lula nenhum barbudinho do PT preocupou-se em barrar essa sandice. Os petistas rondonienses, por exemplo, eleitos para a C√Ęmara e Senado preferiram, at√© agora, brigar por cargos, fazer notas eminentemente pol√≠ticas contra decis√Ķes de al√ßada do legislativo estadual do que entrar na defesa da Amaz√īnia contra as maiores amea√ßas √† nossa soberania. Mas, pela clarivid√™ncia de uma deputada acreana, do PC do B, o assunto dever√° finalmente entrar na ordem do dia do debate pol√≠tico e popular do povo brasileiro.

Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: